Saúde

Drogas anti-câncer podem ajudar no tratamento de aterosclerose

Uma equipe de pesquisadores do Instituto do Coração, em São Paulo, apresentou, esta semana no Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, um método que pode reduzir em 60% as lesões nas artérias, utilizando medicamentos antitumorais. Segundo o endocrinologista Raul Cavalcante Maranhão, o método deve ser testado em humanos ainda este ano, sendo esperança contra a aterosclerose – processo inflamatório alimentado pelo acúmulo de gordura nas paredes das artérias.

A aterosclerose é uma das principais causas de doenças cardiovasculares, que matam 15 milhões de pessoas por ano no mundo. Mas novas possibilidades de tratamento para a doença estão em desenvolvimento no Brasil e podem ser a salvação para milhões de pessoas. “Faltam medicamentos novos contra aterosclerose”, afirma o palestrante, destacando a importância do novo estudo.

O médico explica que desenvolveu esferas artificiais de gordura de até 60 nanômetros de diâmetro que simulam a LDL – transportadora do colesterol “ruim” – e verificou que essas partículas paravam nos locais onde havia proliferação acelerada de células, como tumores e tecidos inflamados. Baseados nesse efeito, os pesquisadores colocaram, nas esferas artificiais de gordura, um medicamento que impede a multiplicação celular, e as injetou em coelhos que tinham uma dieta rica em gordura.

“Tanto o câncer quanto a aterosclerose são doenças igualmente caracterizadas pela intensa proliferação de células, por isso a ideia dessa associação. O resultado foi surpreendente, nós conseguimos reduzir em 60% as lesões nas artérias de coelhos com colesterol 200 vezes acima do normal”, comemora.

O método deve ser testado em seres humanos ainda este ano, segundo o especialista, que esclarece: “Esse tratamento não tem como objetivo, de forma nenhuma, substituir a estatina, que é o medicamento mais usado hoje para reduzir o colesterol ruim”.

DOC Press Comunicação – XXX Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo.




Click para Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

Mais Lidas

Topo