Política

Paraibanos cobram ações do governo contra efeitos da seca no Congresso

ROMULO-101215

Durante uma audiência pública, proposta pelo deputado federal Rômulo Gouveia (PSD), realizada na Comissão Mista Permanente Sobre Mudanças Climáticas (CMMC) do Congresso, Gouveia, o deputado Marcondes Gadelha (PSC) e o senador Raimundo Lira (PMDB) cobraram do Governo Federal agilidade nas obras da transposição e ações emergenciais para combater os efeitos da estiagem na Paraíba. Representantes do Ministério da Integração Nacional e da Agência Nacional de Águas (Ana) participaram da audiência.

 

“Estamos nos encaminhando para o quinto ano de seca e isso é muito sério. Temos mananciais com 3% de sua capacidade. Nessa audiência, assumimos o compromisso de tentar agilizar para janeiro (2016) o início das obras do terceiro turno para reduzir o cronograma. As alternativas mencionadas por eles, como a adutora de engate [tubulação para transportar água], a perfuração de poços para captação de águas e a dessalinização são boas ideias, mas paliativas”, disse Gouveia que é relator da comissão especial que analisa o tema na Câmara.

 

O assessor especial do ministro da Integração Nacional, Irani Ramos Braga, disse que um dos projetos do órgão objetiva reservar até 140 metros cúbicos por segundo de água e que a Pasta tem se empenhado em propostas de sustentabilidade hídrica. Ele solicitou aos parlamentares que incluam, no orçamento anual, mais recursos para aperfeiçoar projetos alternativos. “Precisamos otimizar a utilização de águas tratadas e olhar com atenção todas as bacias hidrográficas.”

 

O diretor de gestão da Ana, Paulo Lopes Varella, avaliou que as chuvas para o próximo ano ficarão abaixo da média e, por isso, o uso e reuso da água devem ser conscientes. “Estamos sete anos atrasados na entrega dessa obra de transposição. Uma série de medidas está sendo tomada, mas precisamos mudar a cultura do manejo. Por exemplo, a água salgada não pode ser ingerida por nós, mas serve para plantações e limpeza. O uso tem que ser racional.”

 

O presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (AESA), João Fernandes, apresentou a situação hídrica da Paraíba.

 

Marcondes Gadelha e Raimundo Lira também cobraram ações efetivas da União. Lula Cabral, secretário de Cultura de Campina Grande também participou da audiência.

Assessoria




Click para Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

Mais Lidas

Topo