Brasil

VIOLÊNCIA CONTRA MULHER: Para Camila, subnotificações podem comprometer resultado do número de estupros no Brasil

VIOLENCIA-ESTUPRO
Números apresentados na última quinta-feira (3) no 10º Anuário Brasileiro da Segurança Pública, do Fórum Brasileiro da Segurança (FBSP) mostra que em 2015 a Paraíba registrou 7,3 casos de estupro para cada grupo de 100 mil habitantes. A deputada estadual e presidente da Comissão da Mulher da Assembleia Legislativa (ALPB), Camila Toscano, acredita que os índices podem ser bem maiores por conta da falta de notificação.

“Temos ainda um grande problema nos números reais dos casos de estupro no Brasil, principalmente na Paraíba, já que a subnotificação deste tipo de crime é extremamente elevada. Também conta a falta de confiança de muitos que não confiam na polícia para fazer a denúncia”, destacou a deputada.

A pesquisa mostra que 50% entre homens e mulheres demonstram insatisfação e descrença em relação ao preparo de policiais militares em oferecer apoio no caso de violência sexual contra a mulher. E esta descrença pode afetar diretamente no número de notificações em todo o Brasil.

De acordo com o levantamento do 10º Anuário Brasileiro da Segurança Pública, no Brasil, mais de cinco pessoas foram estupradas por hora no ano passado. O país registrou 45.460 casos de estupro, sendo 24% deles nas capitais e no Distrito Federal. Em 2014, foram 50.438 pessoas vítimas de violência sexual.

Segundo a ouvidora Ana Paula Gonçalves, nove em cada dez reclamações feitas à Ouvidoria da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República foram queixas contra o serviço de atendimento da Polícia Militar (190), a assistência prestada em delegacias de polícia tradicionais e em delegacias especializadas no combate à violência contra a mulher.

ONU – A violência contra as mulheres é definida pelas Nações Unidas como qualquer ato de violência de gênero que resulte ou possa resultar em dano físico, sexual, dano psicológico ou sofrimento para as mulheres, incluindo ameaças, coerção, ou privação arbitrária de liberdade, tanto na vida pública como na vida privada.

Assessoria




Mais Lidas da Semana

Topo