Cidades

Comando de greve dos docentes da UEPB realiza Seminário para discutir Dívida Pública, a Universidade e o Orçamento do Estado

uepb-capa_geral

Com o tema ‘O Lugar da UEPB e da Dívida Pública no Orçamento Geral do Estado da Paraíba’, o Comado de Greve dos Docentes da Universidade Estadual da Paraíba realiza na manhã dessa quinta-feira (4) um seminário que objetiva discutir a realidade orçamentária da instituição. O evento está previsto para começar às 8h e acontecerá no auditório de Psicologia do Campus I da UEPB, que fica no bairro de Bodocongó, em Campina Grande.

De acordo com a organização do evento, o intuito desse seminário é instrumentalizar a luta da categoria no que se refere à autonomia da própria UEPB. “Enquanto professores da UEPB, precisamos conhecer mais de perto qual é o orçamento estadual e qual é o lugar que a dívida pública e que a UEPB ocupam nesse orçamento. Não dá para reivindicar autonomia se a gente não compreende o que consiste estas receitas”, explicou a professora Jordeana Davi Pereira, integrante do Comando de Greve dos Docentes da UEPB, acrescentando que a instituição tem direito a 3% das receitas estuais e que esse evento vai possibilitar à comunidade acadêmica uma melhor compreensão da distribuição desses recursos.

Esse seminário contará com a palestra do professor de Economia da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), José Menezes, que estuda dívidas públicas e, a partir desses estudos, vai mostrar qual o percentual da dívida pública da Paraíba. O evento também vai contar com a participação do presidente do SINDFISCO da Paraíba, Manoel Isidro, que vai apresentar as receitas estaduais adquiridas ao longo dos últimos anos.

Além das palestras, o seminário também vai possibilitar um debate entre as pessoas que se fizerem presentes no local. Haverá emissão de certificados e podem participar do evento professores, técnicos administrativos, bem como os alunos da UEPB.  Esse seminário faz parte do calendário de atividades promovidas pelo Comando de Greve dos Docentes da UEPB, que estão em greve desde o último dia 12 de abril.

Assessoria




Mais Lidas da Semana

Topo