Brejo/Agreste

Unidades de Conservação são boas opções de passeios nas férias

pedra_da_boca_na_paraiba

Uma boa opção para ocupar os dias das férias do mês de julho, desfrutando de lazer com belezas cênicas dos recursos naturais, é a visita às Unidades de Conservação (UC) da Paraíba, que são gerenciadas pelo Governo do Estado por meio da Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema).

São 17 UC administradas pela autarquia, mais seis mantidas pelo Governo Federal, 12 pelos municípios e 10 particulares, todas conduzidas nos tipos de proteção: integral – que podem ser visitadas, mas necessitam de uma autorização e até acompanhamento especial; e de uso sustentável – que objetivam unir a conservação da natureza com a forma de uso sustentável dos recursos naturais.

Das 17 gerenciadas pela Sudema, nove exigem a proteção integral, como os Parques Estaduais da Mata do Pau Ferro, em Areia; Mata do Xém-Xém (Bayeux); Pico do Jabre (Maturéa e Mãe D’água); Pedra da Boca (Araruna); Mata de Jacarapé (João Pessoa), Aratu (João Pessoa); Trilha dos Cinco Rios (João Pessoa); Parque Estadual Marinho de Areia Vermelha (Cabedelo); e Monumento Natural Vale dos Dinossauros (Sousa).

A técnica responsável pelo gerenciamento das UC, Simone Porfírio, informou que Areia Vermelha necessita de autorização, que é dada de forma indireta: “Esta unidade é uma ilha que só aparece quando o nível do mar está baixo. Ela pode ser visitada em qualquer período do ano. Mas, necessita de embarcação específica (e autorizada) para se chegar no local”.

Já o Vale dos Dinossauros, também necessita de autorização, mas a liberação é dada no momento em que os visitantes chegam ao local. “Eles podem apreciar uma beleza histórica como as famosas trilhas de dinossauros, denotando uma perseguição (entre predador x presa) e outros icnofósseis, ou seja, registros fossilizados da presença dos seres pré-históricos”, explica Simone.

Passeios radicais – Para os amantes de esportes radicais, e ainda pelo interior do Estado, existem os Parques do Poeta, em Campina Grande, Pico do Jabre (Patos) e Pedra da Boca (Araruna), que também necessitam da autorização e uma equipe com experiência nos esportes.

Os demais parques e UC de Proteção Integral, como Jacarapé, Aratu, Trilha de Cinco Rios, Pau Ferro, Xém-Xém, Estação Ecológica do Pau-Brasil e Refúgio de Vida Silvestre (RVS) Mata do Buraquinho se destacam pela exuberância de suas matas e, algumas vezes, pela presença de reservatório ou mananciais.

As Unidades de Conservação de Uso Sustentável, com gestão do Governo do Estado, são quatro Áreas de Proteção Ambiental (APA), duas Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN) e uma Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE).

São a APA das Onças, em São João do Tigre, onde é possível encontrar o segundo ponto mais alto do estado; APA do Cariri, abrangendo os municípios de São João do Cariri, Cabaceiras e Boa Vista, criada para preservar área com Geodiversidade, como as belas paisagens do Lajedo de Pai Mateus; APA do Roncador (Bananeiras), que protege a Cachoeira do Roncador; e APA de Tambaba, com as falésias coloridas do Litoral Sul, atingindo os municípios de Alhandra, Pitimbú e parte do Conde.

UC – Unidades de Conservação são áreas decretadas como sendo especiais por possuírem requisitos ecológicos e/ou beleza cênica. São decretadas por autoridades federais, estaduais ou municipais. Áreas particulares também podem ser transformadas em UC, bastando para isso que o proprietário procure um órgão governamental demonstrando seu interesse em transformar sua área (ou parte desta) em Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN).

Nas Unidades de Proteção Integral, a proteção da natureza é o principal objetivo, por isso as regras e normas são mais restritivas. Nesse grupo é permitido apenas o uso indireto dos recursos naturais (que não envolve consumo, coleta ou dano aos recursos naturais).

Exemplos de atividades de uso indireto dos recursos naturais são: recreação em contato com a natureza, turismo ecológico, pesquisa científica, educação e interpretação ambiental, entre outras. As categorias de proteção integral são: estação ecológica, reserva biológica, parque, monumento natural e refúgio de vida silvestre.

Unidades de Uso Sustentável são áreas que visam conciliar a conservação da natureza com o uso sustentável dos recursos naturais. Nesse grupo, atividades que envolvem coleta e uso dos recursos naturais são permitidas, mas desde que praticadas de uma forma que a perenidade dos recursos ambientais renováveis e dos processos ecológicos esteja assegurada.

As categorias de uso sustentável são de relevante interesse ecológico, floresta nacional, reserva de fauna, reserva de desenvolvimento sustentável, reserva extrativista, APA e RPPN.

Serviço – Para o cidadão (ou grupo de pessoas) que tenha interesse de visitar as UC (Proteção Integral), o responsável pela visitação deve encaminhar à Sudema, seja via email ou presencialmente, 48 horas antes, o pedido de autorização para visitas em unidades de conservação da Paraíba. É necessário preencher formulário com dados completos do responsável, assim como de todos os participantes (nome, CPF, email e telefone). Para a validação da autorização, o formulário deverá ser assinado e enviado para o endereço da Sudema na Avenida Monsenhor Walfredo Leal, 181 – Tambiá – João Pessoa/PB, CEP 58020-540, telefones (83) 3218-5627 ou 3218-5581, email ceasudemapb@gmail.com, ou comparecer pessoalmente nos das 8h às 12h ou das 13h30 às 16h30, de segunda a quinta, e sexta-feira das 8h às 12h.

 

PBAgora




Mais Lidas da Semana

Topo