Política

Camila cobra providências do Governo para greve da UEPB que já que dura 97 dias

CAMILA_050416

A deputada estadual Camila Toscano (PSDB) lembrou que os professores da Universidade Estadual da Paraíba estão em greve desde o dia 6 de abril, deixando sem aula 23 mil alunos e estancando a produção cientifica e o desenvolvimento de projetos que beneficiam diretamente a população. “A greve que já dura 97 dias é em função da falta de condições de trabalho e em decorrência do não repasse de recursos e desrespeito à autonomia da instituição por parte do Governo do Estado. Mesmo com esse tempo todo em greve, o governador não se prontifica a receber a categoria para discutir a situação. Ele quer que a greve continue, pois quer tirar dos paraibanos um grande patrimônio que é a UEPB”, disse.

Camila lembrou que em duas greves de professores e funcionários entre os anos de 2013 a 2016 a instituição perdeu 15.128 alunos. Isso, sem levar em consideração os estudantes que desistiram dos cursos com essa greve atual e aqueles que não conseguiram entrar na universidade em decorrência do corte de um período, motivado por problemas financeiros.

Além dos prejuízos gerados à comunidade acadêmica, a sociedade, segundo a deputada, paga um alto preço pelo descaso do Governo do Estado com a educação. Ela destacou o desenvolvimento de projetos importantes que beneficiam a população. Entre as pesquisas que interferem no dia a dia da população está a que descobriu uma técnica que torna possível o cultivo de feijão em regiões de escassez de água, usando o ácido salicílico e outra para produzir frangos caipira em apenas 90 dias de criação e com custos até 30% menores em relação a produção convencional feita nas granjas, usando “equipamentos alternativos” como bacia de zinco e uma iluminação específica com pouca luz.

Na área de saúde, foi feita a confecção de kits com objetos destinados ao tratamento de bebês portadores de microcefalia e de outras deficiências; e desenvolvida a técnica inovadora de reabilitação para a melhoria motora de pessoas que sofrem com lesão medular, utilizando um equipamento chamado de Estimulador Magnético Transcraniano.

Meio ambiente – A instituição tem um projeto de coleta seletiva, melhorando a vida dos catadores de resíduos sólidos; e o programa de arborização “Adote uma Árvore” que tem 10 anos e já cultivou e distribuiu mais de 300 mil mudas.

Tecnologia – A UEPB desenvolveu um software onde a população tem acesso aos pagamentos da folha de pessoal de forma mais simples, garantindo transparência e acesso à informação. Também tem uma plataforma livro digital com mais de três milhões de downloads de livros diversos, difundido o conhecimento e o hábito da leitura.

Assessoria




Mais Lidas da Semana

Topo