Brejo/Agreste

Agevisa encontra irregularidades e interdita restaurantes universitários da UFPB no Brejo

De acordo com o superintendente dos Restaurantes Universitários da UFPB, Ruy Portela, uma nova licitação será feita até o mês de novembro.

Os Restaurantes Universitários (RUs) que funcionam nos campi da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em Areia e Bananeiras, ambos no Brejo paraibano, foram interditados nessa quarta-feira (13) por fiscais da Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa). A alimentação nos dois restaurantes é fornecida pela mesma empresa.

Em contato com o Portal Correio, o superintendente dos Restaurantes Universitários da UFPB, Ruy Portela, a interdição foi motivada por problemas encontrados durante inspeção nos restaurantes. Dentre as falhas encontradas, foram detectadas ausência de nutricionista, falta de produtos de limpeza no estoque e de conservação das instalações.

De acordo com Ruy Portela, o restaurante de Areia atende a aproximadamente 500 estudantes, diariamente, enquanto que o de Bananeiras fornece refeições a 450 alunos.

Ele explicou que em Areia, a empresa conseguiu alugar a cozinha de um restaurante local e vem mantendo o serviço normalmente. Já em Bananeiras, como não conseguiram uma cozinha disponível, as aulas tiveram que ser suspensas.

Ruy disse que a maior parte do alunado voltou para suas casas e que os estudantes que permanecem alojados na universidade receberam mantimentos para a alimentação nas residências universitárias. Esses alunos, segundo Ruy, também jantaram na noite dessa quarta e tomaram café da manhã nesta quinta-feira, normalmente.

Questionado se a UFPB cogitou a rescisão do contrato, Ruy disse que como se trata de alimento, isso só poderia acontecer se a universidade já possuísse outro fornecedor. Ele adiantou, no entanto, que o atual contrato não será renovado e uma nova licitação será feita até o mês de novembro.

Ruy lamentou o ocorrido e disse que esse tipo de falha não deve acontecer. Uma reunião, marcada para as 13h desta sexta-feira (15), na sede da Agevisa, em João Pessoa, vai avaliar se as irregularidades já foram sanadas e se os restaurantes podem voltar a funcionar.

A reportagem tentou contato com a diretora de alimentos da Agevisa, Tatiana Lucena, mas ela disse que só falaria com a imprensa nesta sexta-feira, quando o fiscal responsável pela inspeção retornasse de viagem.

Portal Correio




Mais Lidas

Topo