Brasil

Cuidados com a saúde óssea na terceira idade – 27 de fevereiro: Dia Nacional do Idoso

Nesta terça-feira, 27 de fevereiro, é comemorado o Dia Nacional do Idoso. A sociedade deseja envelhecer com qualidade, especialmente no que diz respeito a saúde e, para isso, são necessários alguns cuidados. De acordo com dados do Ministério da Saúde, em 2017 o Brasil tem 29,3 milhões de pessoas acima de 60 anos, destes, 17,3% apresentam dificuldades para atividades diárias, como cuidar da casa, se deslocar; e 6,8% apresentam dificuldades com atividades básicas, como vestir-se e alimentar-se. Com bases nessas e outras informações, é salientado a importância de exames periódicos para acompanhamento do idoso, como a densitometria óssea, que avalia o grau de perda da massa óssea. Essa perda,  muito comum em pessoas na terceira idade, pode ser o fator determinante na recuperação de lesões ocasionadas por quedas, também constantes em idosos.

De acordo com o médico Janniê de Miranda, especialista em Radiologia e Diagnóstico por Imagem, o exame de densitometria é muito útil para o acompanhamento da saúde óssea do idoso, principalmente para o diagnóstico o monitoramento de doenças comuns nesta faixa etária, como a osteopenia  e a osteoporose. “O exame é pra ver a densidade do osso, fazendo o diagnóstico de osteopenia ou osteoporose, que são graus de perda de massa ósseas, que predispõe a fraturas , principalmente de coluna e fêmur, o que  causam grande debilidade me idosos”, explicou.

Com 14,3% de idosos no Brasil, o país tem a quinta maior população nesta faixa etária no mundo, de acordo com o Ministério da Saúde. O órgão ainda prevê que, até 2030, a população de pessoas acima de 60 anos seja maior do que as de crianças de 0 a 14 anos, somando 18% de habitantes no país.

As fraturas ósseas são cada vez mais comuns entre os idosos, especialistas contam que 30% da população na terceira idade sofre quedas anualmente, destes se mantém a média de 5% a 10% de fraturas nos ossos. Alguns fatores são primordiais para um envelhecimento com a saúde óssea preservada, entre eles estão:

  • Praticar regularmente exercícios, para aumentar o aporte de cálcio aos ossos e ajudar no equilíbrio, evitando quedas;

  • Ter o peso controlado, uma vez que tanto acima quanto abaixo do peso podem aumentar o número de fraturas. Em geral, os idosos acima do peso têm outras doenças que acompanham os quilos a mais, como a hipertensão e o diabetes. Já as pessoas abaixo do peso, estão mais propensas à fraqueza dos ossos por não terem justamente a gordura periférica que ajuda a manter o aporte de cálcio;

  • Manter uma alimentação saudável é importante para o fortalecimento ósseo.  Alimentos ricos em  nutrientes como cálcio e vitamina D exercem papéis fundamentais para a formação do osso.

  • Adaptar o ambiente onde o idoso vive. Pisos antiderrapantes e apoios com barras fixas nas paredes são boas opções para evitar quedas e, por consequencias, lesões.

Através desta sugestão de pauta, a Imago Radiologia gostaria de propor para os veículos de imprensa de Campina Grande matérias sobre a descoberta de problemas ósseos através da densitometria óssea. Caso precisem de um ortopedista para enriquecer as matérias, teríamos parceiros nosso para sugestão.

A Imago Radiologia, em Campina Grande na Paraíba, realiza o exame de densitometria óssea, para a detecção de perda na massa do osso e outros diagnósticos por imagem, para o acompanhamento de lesões e fraturas.

Por Geovanna Teixeira/Assessoria

 




Mais Lidas

Topo