Brejo/Agreste

Elba Ramalho é coroada Rainha da Música Nordestina

Fotos: Leonardo Silva

Além de Madrinha do Troféu Gonzagão, Elba é uma das mais autênticas defensoras do forró.

Ela chegou radiante. Plena, estilosa, sempre à frente de seu tempo. Quando passa, a “Flor da Paraíba” deixa um rastro de perfume e segue suave, atraindo olhares de muitos súditos. É rainha por direito. Faltava ser rainha de fato, coroada, consagrada pelo título e reconhecimento de todos os grandes artistas que a reverenciam.

Foi assim que Elba Ramalho foi entronizada no grande palco do Troféu Gonzagão 2018, na noite da quinta, 03 de maio, durante a entrega do Troféu Gonzagão 2018 o “Oscar da Música Nordestina”, ocorrido no Teatro do Centro de Convenções do Garden Hotel e Resort, em Campina Grande, na Paraíba.

Durante a cerimônia, os dentistas e realizadores do evento Ajalmar Maia e Rilávia Cardoso proclamaram a cantora como “Rainha da Música Nordestina”. “Rainhas recebem coroa, mas a Rainha da Música Nordestina recebe seu chapéu de couro como marca das mulheres fortes e valentes de nosso Nordeste”, exclamou Ajalmar Maia ao coroá-la com um chapéu de couro dourado, cravejado de strass por Ary Rodrigues, estilista da estrela.

Artista versátil e atemporal, Elba é responsável por levar o forró para os grandes palcos do mundo. Ela representa uma linhagem de artistas que descendem de Gonzagão, a quem se refere como “professor” e com quem dividiu palcos, sorrisos e muitas histórias.

No que tange à premiação, a cantora e Madrinha do evento foi a grande homenageada da noite, recebendo o prêmio de “MAIOR REFERÊNCIA FEMININA DA HISTÓRIA MUSICAL NORDESTINA EM NÍVEL MUNDIAL” através das mãos do cantor e compositor Daniel Gonzaga, que representou a memória de seu pai e de seu avô, Gonzaguinha e Gonzagão, respectivamente.

Após a homenagem, coroada e ovacionada como rainha e tendo em mãos um microfone como cetro, a cantora dividiu o palco com alguns amigos como Chico Pessoa, Flávio José e Dorgival Dantas. Ao final do evento ficou ainda mais clara a máxima popular de que “quem é rei – no caso rainha – nunca perde a majestade”! Elba é Elba! Ponto.

 

Por: Geneceuda Monteiro




Mais Lidas

Topo