Conecte-se conosco

Paraíba

Plantio de algodão resiste à seca e é alternativa de agricultores na Paraíba

Publicados

em

Foto: ilustrativa

Em tempos de seca, o plantio de algodão pode ser uma boa saída para os agricultores paraibanos. Uma parceria entre a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural  (Emater) e os agricultores tem tornado o plantio de algodão mais resistente e lucrativo no Estado, garantindo colheita em tempos de pouca chuva, em que outras culturas não estão rendendo bem.

Na cidade de Gurinhém, no Agreste paraibano, a Emater tem incentivado os agricultores ao plantio de algodão prestando consultorias e oferecendo treinamento. O investimento tem dado retorno. Em 2016, por exemplo, a agricultora Maria das Graças plantou milho, feijão, fava e algodão. De todas as culturas a mais resistente e que rendeu mais foi a de algodão.

“O algodão resistiu ao sol mais que os outros. Os outros eu colhi pouco, cinco ou seis sacas de milho. Feijão deu só uma saca. O que mais fiz foi o algodão”, disse ela.

Com o bom resultado, outras famílias de agricultores do município já estão preparando o roçado para o próximo plantio, este ano. O produtor rural Dionísio Oliveira teve bons lucros em 2016 e já quer plantar algodão novamente. “Eu plantei um hectare e colhi 853 quilos de algodão”, disse ele.

De acordo com a técnica da Emater, Angélica Cassia, o trabalho dos agricultores em parceria com a Emater tem dado certo. “Eles se sensibilizaram, aceitaram a propostas, aceitaram as técnicas de trabalhar com defensivos naturais, pensando no melhor para o meio ambiente. Tivemos o plantio do algodão consorciado com feijão, milho, fava e as barreiras de gergelim para evitar que as pragas viessem mais rápido para o plantio. Quase não tivemos incidência de bicudos e eles [os agricultores] tiveram uma safra muito favorável”, contou ela.

O algodão marcou a história econômica de Campina Grande, no Agreste paraibano, durante o século 20. O produto era bem exportado e chegava a ser chamado de “ouro branco”. Segundo a Emater, em 2016 foram produzidas 15 toneladas de algodão na região e vendidas para indústria têxtil de João Pessoa.

Com esses primeiros novos resultados, o diretor técnico da empresa, Wlamike Paiva, faz planos para exportar algodão, ampliando também a área de plantio e distribuição de sementes para os produtores paraibanos.

“Estudamos e encontramos um mercado muito promissor e aí a gente colocou os agricultores para discutir com esse mercado. Então os representantes da empresa vieram discutir e isso foi muito importante. Através dessa discussão surgiu um contrato de compra e venda com preço justo”, explicou ele.

Ainda em Gurinhém, pelo menos 17 famílias já se preparam para o plantio de algodão em 2017. “A gente espera que este ano o plantio de algodão melhore. A gente tem mudas, produtores e terras para o plantio de algodão”, disse o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais local, Marinaldo da Silva.

Do G1 PB

Rate this post

Guarabira

Gervásio garante emenda parlamentar para Campus da UEPB de Guarabira

Publicados

em

Foto: Reprodução

Atendendo ao pedido do pré-candidato a deputado estadual Célio Alves, do vereador Josa da Padaria e do Dr. Teotônio, o deputado federal Gervásio Maia (PSB), assumiu o compromisso de destinar emenda parlamentar para Universidade Estadual da Paraíba, Campus Guarabira. O anúncio foi feito logo após a visita do parlamentar a instituição.

“Vamos fazer a nossa parte pra deixar o campus da UEPB em Guarabira à altura de suas necessidades”, afirmou o deputado.

Na ocasião, Célio Alves agradeceu ao deputado Gervásio pela emenda. “Conheço a realidade da UEPB em Guarabira e sei como será importante a chegada desses recursos para se oferecer à comunidade universitária condições adequadas de desenvolvimento de suas atividades”, pontuou Célio.

Gervásio Maia ressaltou que, desde que assumiu o mandato na Câmara Federal, tem destinado emendas para fortalecer as áreas da saúde e educação da Paraíba. “Educação e Saúde sempre foram prioridades no nosso mandato parlamentar. Buscamos atender desde a parte da infraestrutura, até a parte de esporte e lazer”, explicou.

ParlamentoPB

Rate this post
Continue lendo

Paraíba

Deputados aprovam Política de Cuidados e Combate à Ansiedade Generalizada

Publicados

em

Pixabay

A Assembleia Legislativa da Paraíba aprovou por unanimidade a Política de Saúde direcionada aos cuidados e combate as consequências do Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) e ao transtorno misto ansioso e depressivo. Em sessão híbrida realizada nesta quarta-feira (16), os parlamentares também foram favoráveis à criação do Selo da Empresa Amiga da Agricultura Familiar destinado a empresas utilizem produtos deste setor.

O texto do Projeto de Lei 2.619/2021, do deputado Júnior Araújo, além de criar a uma política de ações de cuidados e de enfrentamento às consequências do Transtorno de Ansiedade Generalizada, especifica que caberá ao Poder Executivo, principalmente por meio da Secretaria Estadual de Saúde, desenvolver atividades direcionadas a promover o conhecimento sobre a identificação, significados e tratamentos do TAG, assim como, do transtorno misto ansioso e depressivo. O parlamentar defende ainda a elaboração e ampla divulgação de material didático impresso e mídias digitais sobre os transtornos, diagnóstico e o tratamento adequado. Segundo a matéria, o deputado Júnior Araújo defende ainda a realização de eventos públicos de conscientização e sensibilização para levar ao conhecimento da população informações sobre o TAG.

“O Brasil sofre uma verdadeira epidemia de ansiedade e de depressão. Segundo dados publicados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2017, o Brasil tem o maior número de pessoas ansiosas do mundo: 18,6 milhões de brasileiros(9,3% da população) convivem com o transtorno. A gravidade desse cenário impõe a mobilização coordenada do Poder Público e da sociedade civil para combater esse mal, que poderá ser iniciada através da política de cuidados”, declarou o deputado.

Assessoria

Rate this post
Continue lendo

Cidades

Programa Tá na Mesa já contempla 83 municípios

Publicados

em

Foto: Secom/PB/Divulgação

Programa Tá na Mesa chegou, nesta sexta-feira (3), a Picuí, 83º município contemplado cuja população em situação de vulnerabilidade social passa a ser beneficiada com 250 refeições servidas diariamente. Esta é uma ação de caráter emergencial adotada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh), com o objetivo de promover assistência alimentar aos segmentos mais vulneráveis da população, com o fornecimento de 25.100 refeições diárias, ao preço de R$ 1,00. O investimento com recursos do tesouro estadual ultrapassa R$ 4 milhões. 

O programa é executado nas cidades que não possuem Restaurante Popular. Para isso, o Governo do Estado lançou edital de convocatória e selecionou, entre as que apresentaram propostas, as empresas do setor alimentício (restaurantes e similares) que desejavam fornecer as refeições, do tipo quentinha. 

A diretora de Segurança Alimentar e Nutricional da Sedh, Luciana Leal, comentou que o programa, iniciado há dois meses, foi acontecendo de maneira paulatina. “Na medida em que os estabelecimentos credenciados entregavam suas documentações, os contratos eram assinados e publicados, o fornecimento das refeições era iniciado”. 

O secretário do Desenvolvimento Humano, Tibério Limeira, acompanhou desde o início a implantação do programa na maioria dos municípios e destacou que o Governo do Estado implantou o maior programa emergencial de segurança alimentar da Paraíba. “São R$ 4,4 milhões investidos em 83 cidades, naquelas com mais de 20 mil habitantes serão fornecidas 400 refeições diárias; em cidades com população entre 10 e 20 mil habitantes, serão 250 refeições. No total são 25.100 refeições diariamente, totalizando mais de R$ 552 mil em recursos circulando mensalmente pelos próximos três meses nestes municípios. Um programa para fazer com que a comida chegue na mesa de quem mais precisa”, declarou.  

Tibério destacou ainda que o Tá na Mesa, ao mesmo tempo que injetou recursos em um segmento da economia altamente fragilizado e penalizado por conta da pandemia, atendeu o segmento de restaurantes, bares e lanchonetes, permitindo que possam contratar novas pessoas com carteira assinada para dar conta de produzir o volume de refeições diariamente. “Estamos também atendendo aquelas pessoas mais vulneráveis, desprovidas do emprego, e de uma garantia de prover seu sustento básico. Um programa grandioso, que fecha todo um ciclo, muito bem estudado pela equipe do Governo”, ressaltou. 

O empresário Genilson Medeiros é um dos credenciados pelo programa e elogia a iniciativa do Governo do Estado. “Foi uma sacada maravilhosa do Governo do Estado, porque simplesmente nos tirou do buraco. O governo veio com esse projeto, esse programa e nos deu fôlego, não só eu, mas as pessoas que voltei a contratar, tirando as pessoas do sufoco”, comemora o empresário.  

Dona Daluz, moradora da cidade de Solânea, mãe de oito filhos, também está satisfeita com a chegada do Tá na Mesa: “Agradeço a Deus e ao pessoal que trouxe essas comidas, e um real fica mais fácil da gente arrumar. Logo eu que trabalho na carroça vendendo uns cajuzinhos, durante seis meses não tinha caju, trabalhava na rua para poder dar de comer aos filhos. Acho que todas as mães vão agradecer, não só eu, pelo Governo ter mandado essa alimentação pra nós”.  

Fonte: Secom/PB

Rate this post
Continue lendo
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas