Conecte-se conosco

Cultura

Cinema brasileiro marca presença com 12 filmes no Festival de Berlim

Publicados

em

Foto: Divulgação

O cinema brasileiro estará presente com 12 filmes na 67ª edição do Festival de Cinema de Berlim, que começa hoje (9) na capital alemã e vai até o dia 19 deste mês. Considerado um dos eventos mais importantes do calendário cinematográfico mundial, o Berlinale, como o festival é conhecido, terá este ano mais uma vez um representante nacional na competição principal, disputando o Urso de Ouro.

O filme Joaquim, de Marcelo Gomes, é uma coprodução luso-brasileira, ambientada no século 18, que mostra a trajetória de Joaquim José da Silva Xavier até se tornar conhecido como Tiradentes, a mais importante figura histórica da Inconfidência Mineira. O longa que disputa o Urso de Ouro foi um dos vencedores do edital de coprodução Brasil-Portugal em 2014, promovido pela Agência Nacional do Cinema (Ancine), em parceria com o Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), de Portugal, e também teve recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).

O cinema brasileiro venceu o Urso de Ouro no Festival de Berlim em duas ocasiões: em 1998, com Central do Brasil, de Walter Salles, e em 2008, com Tropa de Elite, de José Padilha.

Na mostra Panorama, a presença nacional fica por conta de Como Nossos Pais, de Laís Bodanzky, e das coproduções Brasil-Argentina-França Pendular, de Julia Murat; e Brasil-Portugal Vazante, de Daniela Thomas. Além desses, No Intenso Agora, de João Moreira Salles, está na programação da mostra Panorama Dokumente, e o curta de animação Vênus – Filó a Fadinha Lésbica, de Sávio Leite, fecha a participação brasileira na mostra, como filme de apoio.

A Mostra Generation traz os longas Não Devore meu Coração, de Felipe Bragança; Mulher do Pai, de Cristiane Oliveira; As Duas Irenes, de Fabio Meira; e o curta Em Busca da Terra sem Males, de Anna Azevedo. Do diretor Davi Pretto, Rifle aparece na mostra Forum, enquanto Estás Vendo Coisas, de Barbara Wagner e Benjamin de Burca, aparece na Berlinale Shorts, seção de curtas do evento.

Dois projetos brasileiros participam do Berlinale Co-Production Market: Obreiro, de Gabriel Mascaro, e Paloma, de Marcelo Gomes.

De acordo com a Ancine, cinco longas, entre as produções brasileiras presentes no Festival de Berlim, receberam recursos do FSA, contempladas em diferentes chamadas públicas do Programa Brasil de Todas as Telas, o principal da agência. Além de Joaquim, integram a lista Mulher do Pai, Pendular, Rifle e Como Nossos Pais.

Da Agência Brasil

Cultura

Prefeito Cícero recebe visita de Laís Menezes, cantora que representa JP no The Voice Kids

Laís faz parte do time Teló e já chegou até a etapa dos shows ao vivo, que funcionam como as quartas de final da competição

Publicados

em

O prefeito Cícero Lucena recebeu, na tarde desta quarta-feira (8), a cantora Laís Menezes, de 11 anos, que representa a capital paraibana no programa The Voice Kids, da Rede Globo. Na ocasião, o gestor manifestou apoio à participante e agradeceu por ela representar a cidade nacionalmente.

“É o talento de João Pessoa sendo levado para o Brasil e também um grande exemplo que é dado com sua capacidade e alegria para todas as nossas crianças. Tenho fé em Deus que ela vai ser bem-sucedida nesta caminhada, que está só no começo”, declarou o prefeito.

Laís faz parte do time Teló e já chegou até a etapa dos shows ao vivo, que funcionam como as quartas de final da competição. “Estou muito feliz e conto com todos assistindo e votando em mim no próximo domingo”, convocou a cantora.

O pai da cantora, Rafael Menezes, agradeceu o encontro. “Temos muito orgulho pois ela está num lugar onde poucos têm a oportunidade de chegar. Nos preparamos muito para no domingo podermos representar bem nossa cidade e nosso Estado”, afirmou.

Da Secom-JP

Continue lendo

Cidades

IV Festival de Música da Paraíba seleciona últimos finalistas

O evento aconteceu com transmissão ao vivo, no Teatro Paulo Pontes, no Espaço Cultural, em João Pessoa

Publicados

em

Foto: Reprodução

A 4ª edição do Festival de Música da Paraíba classificou sete novas músicas na noite do último sábado (04), durante a segunda eliminatória. O evento aconteceu com transmissão ao vivo, no Teatro Paulo Pontes, no Espaço Cultural, em João Pessoa. 

Dentre as 15 canções apresentadas, estarão na finalíssima as seguintes: ‘Terra do Acaiz’ (Laiz de Oyá); ‘Desgoverno’ (Tom Drummond); ‘Pássaro’ (Samir); ‘Pelas Calçadas’ (Tiago Sotero); ‘Coco Aperreado’ (Larry Brasil); ‘Bandeira’ (Alcides Prazeres) e ‘Pega o Beco’ (Totonho).

A competição será encerrada no próximo dia 10, quando serão conhecidos os cinco grandes vencedores. Todas as apresentações dos participantes estão disponíveis no canal TV Funesc, no YouTube (www.youtube.com/TvFunesc ).

Além das sete finalistas, foram apresentadas no festival as canções ‘Mardoce’ (Priscila Cler); ‘Côco Saudade’ (Jessica Melo); ‘Quiçá ou Manifesto Afroindígena’ (Rhuda); ‘Feliz Dia dos Pais’ (Head Li); ‘Mestre do Coco’ (Cristiano Lucena); ‘Caboco da Jurema’ (Chiquinho Mino di Souza); ‘Pincel Encantado’ (Artur Neto) e ‘Extremo’ (Calazans).

ClickPB

Continue lendo

Cultura

Secretário de Cultura de Guarabira ganha prêmio de literatura na Capital

Publicados

em

Foto: Reprodução

O Secretário de Cultura e Turismo da cidade de Guarabira, Tarcísio Pereira, ganhou o prêmio “Políbio Alves” de literatura, promovido pela Fundação Cultural de João Pessoa – FUNJOPE.

Entre os critérios adotados pela comissão julgadora do prêmio estiveram a originalidade e relevância da obra, qualidade estética e literária, qualidade de escrita do texto, impacto na sociedade e contribuição à cultura, além da qualidade dos aspectos formais da obra.

Tarcísio recebeu o primeiro lugar na premiação com o seu romance intitulado de ‘Velho Flor’. “Recebi a notícia na noite desta sexta com muita alegria, um motivo de comemorar e dormir feliz”, frisou o secretário.

Secretário de Cultura e Turismo de Guarabira, Tarcísio Pereira foi o principal responsável em tornar a cidade pioneira em todo o estado a lançar os editais de cultura e realizar o repasse da Lei Aldir Blanc, criada para a situação emergencial de cultura causada pela pandemia de coronavírus.

Também foi proposta de Tarcísio a realização das “lives culturais” comemorativas, a exemplo da Festa da Luz, Dia das Mães, São João, Dia dos Namorados e dos Pais, entre outros, ajudando artistas da terra que sofreram grande impacto com a pandemia.

VELHO FLOR

Velho Flor é a história do homem moderno e atribulado com tantos encargos. São sete personagens e todos eles são a mesma pessoa.

Um conflito entre eles, quando se reúnem para que seja iniciado um processo de aniquilamento gradual de si mesmo.

Um único ser que é Pai, Marido, Professor, Artista, Executivo (entre outras atividades) e chega à conclusão de que não está dando conta de cada um desses encargos. Matando cada pedaço, o personagem vai continuando até terminar sozinho, sem nada e com a decisão de se assumir como uma nova criatura. É quando ele se transforma em Velho Flor, o novo personagem que se torna um personagem folclórico da cidade e que ajuda a transformar tantas vidas com mensagens e práticas de amor e esperança.

Portal25horas

Continue lendo
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas