Conecte-se conosco

Cultura

Du’Rock Festival: Guarabira realizará o maior evento de rock de sua história

Publicados

em

Foto: Ilustração

durock_festival_guarabira_Pb_2017__cartaz_divulgacaoNeste sábado (18), a cidade de Guarabira (PB) realiza o maior festival de rock de sua história, o Du’Rock Festival, com duas das maiores bandas do cenário nacional: Korzus e Dead Fish. O evento será realizado no Ginásio do CIEC, onde já ocorreram outras duas edições do gênero.

Entre as atrações confirmadas, a banda paulista Korzus, uma das pioneiras do gênero thrash metal e liderada pelo vocalista Marcelo Pompeu e pelo baixista Ricardo Siebert, promete atrair uma legião de fãs de vários estados do Nordeste. É a primeira vez que a banda toca em solo paraibano.

Já a banda Dead Fish, que gravou um DVD ao vivo no Circo Voador no Rio de Janeiro, é considerada a maior expressividade do hard core da atualidade. Korzus e Dead Fish, portanto, fazem parte do cast list das atrações do Festival, além das bandas paraibanas Hard Trio, Menthor e N9.

Conforme Clênio Lima, diretor Administrativo da Natribos Produções, que é a responsável pela a realização do festival, “o propósito da empresa é consolidar o evento para entrar no calendário turístico do estado, transformando Guarabira numa referência para esse tipo de atividade alternativa”.

Este ano o evento conta com uma novidade: todos os ingressos estão sendo vendidos, exclusivamente, pela internet no site da TicketBrasil ao preço promocional de estudante no valor de R$ 40,00 reais.

Do Caderno de Matérias com Assessoria

Cultura

Museus fluminenses terão capacitação para o período pós-pandemia

Iniciativa tenta fortalecer instituições nacionais para o pós-pandemia

Publicados

em

© Tomaz Silva/Agência Brasil

A Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro (Secec-RJ), através da Lei de Incentivo à Cultura, a Oi Futuro e a empresa Coeficiente Artístico lançam no próximo dia 23 o edital do projeto HUB+, cujo objetivo é apoiar museus de todo o estado para se prepararem para o período pós-pandemia do novo coronavírus.

Serão selecionados dez museus fluminenses para um ciclo de 12 meses de formação e qualificação, por meio de mentoria técnica, voltada para ampliação de acesso, inovação, dinamização, com foco em educação, acessibilidade e preservação de acervos, informou a secretaria.

A iniciativa visa fortalecer o setor através do apoio às instituições fluminenses para enfrentarem os desafios no contexto da pandemia e desenvolverem novas estratégias de atuação e conexão com o público brasileiro daqui para frente.

A secretária de estado de Cultura e Economia Criativa, Danielle Barros, acredita que o projeto “dará aos museus fluminenses a possibilidade de dar um salto rumo ao futuro. Todo o conhecimento que eles reúnem estará assim mais acessível às pessoas, contribuindo para o desenvolvimento do nosso estado.”

Comprovação

As inscrições gratuitas se estenderão até o dia 13 de maio no site ou pelas redes sociais do programa e canais do Oi Futuro e da Secec-RJ. Poderão participar do edital museus de todo estado do Rio de Janeiro, desde que comprovem sua atuação com práticas museológicas em seu território.

Serão consideradas todas as tipologias e a diversidade de museus para inscrição. De acordo com a secretaria, o presente edital busca a capilaridade de atendimento do Programa HUB+ junto ao território fluminense e obedecerá, como primeiro critério para a seleção, a proporcionalidade de territórios, o que significa que 40% de museus selecionados serão das regiões metropolitanas 1, 2 e 3 e 60% das demais regiões do estado do Rio de Janeiro.

Os critérios técnicos considerados para a escolha dos dez equipamentos são:  exposição de motivos do museu candidato, iniciativas culturais realizadas e sua atuação em território. A Comissão de Seleção é composta por cinco membros de notório saber, representantes da Secec-RJ, Oi Futuro, Coeficiente Artístico e Conselho Regional de Museologia.

O conteúdo do processo permanecerá numa plataforma digital pública, para pesquisa de museus interessados em todo o Brasil. Demais museus e públicos interessados também poderão participar do programa HUB+. Através da plataforma HUB+ Digital e redes sociais criadas, eles poderão ter acesso a conteúdos de formação e se inscreverem em cursos ofertados ao longo do programa, também de forma inteiramente gratuita.

Cadastro

Dados do Cadastro Fluminense de Museus (CFM), referentes às áreas de educação, preservação e acessibilidade, indicam que o estado do Rio de Janeiro possui 340 museus de diferentes tipologias e administrações.

Levantamento realizado pela Superintendência de Museus da Secec-RJ entre setembro a outubro de 2020, sobre as atividades virtuais dos museus durante a pandemia, identificou que, dos 162 museus existentes na capital fluminense, 71 vêm atuando em programas e atividades digitais com caráter educativo cultural, o que corresponde a 43,8% dos museus. 

Outras 92 instituições reduziram suas atividades nesse período ou não desenvolveram programação virtual, o que equivale a 56,2% dos equipamentos.

Agência Brasil

Continue lendo

Cultura

Inscrições para o Festival de Música da Paraíba tem início nesta sexta-feira

Publicados

em

Começaram nesta sexta-feira (16) as inscrições para o IV Festival de Música da Paraíba, que acontecerá de forma virtual nos dias 3, 4 e 10 de setembro deste ano, no Teatro Paulo Pontes, do Espaço Cultural, em João Pessoa. As premiações somam um total de R$ 28 mil em dinheiro. O edital do festival foi divulgado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira (15).

As inscrições estarão abertas até o dia 31 de maio, por meio de um formulário eletrônico disponível no site do evento: https://festivaldemusica.pb.gov.br/ . Os documentos necessários para inscrição, detalhes da premiação, protocolos de segurança e destaques de outras edições também podem ser conferidos no portal oficial do Festival.

Poderão participar artistas paraibanos com residência comprovada no território estadual ou artistas de outros estados, desde que igualmente comprovem ser residentes na Paraíba há dois anos. Além disso, é preciso ter idade acima de 18 anos e se inscrever com música autoral inédita, uma vez que a natureza do festival é de revelação e valorização do artista autoral.

O evento cultural abre espaço para que os artistas possam apresentar ao público as suas criações inéditas. Quem venceu a edição do ano anterior não pode participar. A divulgação da seleção dos participantes, após a curadoria, está prevista para o dia 5 de julho, com o sorteio da ordem nas eliminatórias programado para ocorrer no dia 9 de julho.

A novidade do festival neste ano está no maior número de premiações, ampliadas para cinco. Além dos três primeiros colocados, o evento vai premiar a melhor performance e ainda o mais votado pelo público na internet.

Como o festival será de forma virtual, apenas os músicos, concorrentes, equipes de produção e convidados em número limitado poderão estar presentes, seguindo todos os protocolos de segurança da Covid-19.

O evento é realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Comunicação Institucional (Secom PB), Empresa Paraibana de Comunicação – EPC e Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc).

O compositor Genival Macedo Lins, autor do ‘Hino Popular da Cidade de João Pessoa’, ‘Meu Sublime Torrão’, será o homenageado desta IV edição do Festival de Música da Paraíba, neste ano de 2021, quando se celebra o centenário de seu nascimento.

A premiação oferecida aos finalistas, no dia 10 de setembro, será assim distribuída:

1º lugar: R$ 10.000,00 (dez mil reais)

2º lugar: R$ 7.000,00 (sete mil reais)

3º lugar: R$ 5.000,00 (cinco mil reais)

– Melhor intérprete: R$ 3.000,00 (três mil reais)

– Melhor canção pelo voto popular: crédito no valor de R$3.000 (três mil reais) para aquisição de equipamento ou instrumento musical.

Paraiba.pb.gov

Continue lendo

Cidades

Organização divulga relação dos artistas contemplados para participar da 3º Edição do FIAN

Publicados

em

O Festival Internacional de Arte Naif, edição 2021, em Guarabira, será aberto no final de maio com uma ampla exposição envolvendo obras de 19 estados brasileiros e 09 países. Nesta quarta-feira (07), a Secretaria de Cultura e Turismo do município divulgou o resultado dos artistas selecionados no edital que foi lançado no último mês de fevereiro.

As inscrições estiveram abertas durante 40 dias e contaram com a participação de 173 artistas de 19 estados brasileiros, do Distrito Federal e de 11 países – como Espanha, Portugal, Itália, Bélgica, Argentina, Alemanha, Romênia, Cuba, Uruguai, Finlândia e Turquia. Ao todo foram selecionados 111 trabalhos.

Na relação de inscritos, participaram vários artistas já consagrados na cena nacional e mesmo internacional, além de novas expressões da Arte Naif que estão procurando conquista seus espaços. Entre os participantes, 144 se inscreveram com pinturas, 12 com bordados, 10 com xilogravuras, 02 esculturas, 01 mosaicos, 01 diorama, 01 colagem, 01 desenho e 01 com técnica mista. Como previsto no edital, os artistas inscritos com obras em três dimensões foram desclassificados, restando 171 artistas que concorreram a dois prêmios-aquisição, um prêmio de incentivo e um do júri popular.

A curadoria foi formada por 5 personalidades das artes plásticas no Brasil, notadamente da Arte Naif, convidados pela coordenação do Fian em Guarabira. Entre eles, Jacqueline Filkenstein (que inclusive foi homenageada na última edição do Fian), além de Ângela Gomes, Pedro Cruz, Rui Piranda e Adiano Dias, este representando a coordenação local.

A edição 2021 do Festival Internacional de Arte Naif (3º FIAN), que já se tornou uma marca de Guarabira na difusão da Arte Naif no Brasil, este ano vai homenagear o ex-prefeito Zenóbio Toscano, que era um colecionador de obras em Naif e que, na sua gestão, estimulou a realização desse festival nas duas primeiras edições consecutivas.

Abaixo, confira a relação dos artistas selecionados, por suas localidades internacionais ou estados brasileiros, bem como as informações curriculares sobre cada membro da curadoria.

RELAÇÃO ARTISTAS FIAN 2021

CURADORIA:

Jacqueline Filkstein – Museóloga de formação, foi  diretora do Museu Internacional de Arte Naïf (MIAN), que fechou as portas no Cosme Velho (RJ), em 2016, e possui um dos maiores acervos do estilo naif no Brasil.

Ângela Maria Vasconcelos Gomes (Ângela Gomes) – Natural de Cachoeiro de Itapemirim, ES. Pintora naif – espontânea, ingênua com várias exposições e obras em acervos no Espirito Santo e vários estados do Brasil e exterior. Ângela Gomes busca valorizar paisagens regionais de forma simples e bela que expressam a arte e a tradição popular – o povo, seus usos e costumes.

Rui Piranda – Formado em Comunicação Social, já participou de processos de curadorias de exposições no Museu da Imagem do Som de São Paulo. “Há anos me aproximei da arte por acreditar que ela é a mais autêntica e intensa forma de estabelecer contato com o nosso presente e com o nosso futuro. Acredito que o registro artístico em suas mais diferentes formas, nos conecta com o nosso melhor…”, diz ele, acrescentando: “Espero que o 3º FIAN seja para todos o que foi para mim: uma fonte de descobertas e de novos caminhos.”

Pedro Cruz Lima – Publicitário e sócio fundador da Galeria André Cunha de Arte Naïf em Paraty, é um dos idealizadores da Mostra Literária Naïf, que já teve duas edições e prepara a abertura do Miman (Minimuseu de arte naïf) em Paraty.

Adriano Dias – Artista plástico, natural da cidade de Guarabira – PB, tem a poética de sua obra voltada para o resgate dos festejos populares, memórias afetivas de sua infância, a religiosidade numa obra de colorido vibrante, tendo participado de diversas exposições no Brasil e no exterior.

Codecom/PMG


Continue lendo
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas