Banco de Leite Humano promove V Semana Estadual de Doação de Leite Materno – brejo.com
Conecte-se conosco

Saúde

Banco de Leite Humano promove V Semana Estadual de Doação de Leite Materno

Publicados

em

Foto: Ricardo Puppe

O Banco de Leite Humano Anita Cabral, que compõe a rede estadual de saúde, promove a partir desta segunda-feira (15), às 7h, a V Semana Estadual de Doação de Leite Materno. A programação se estende até a sexta-feira (19), com atividades de sensibilização nas maternidades do estado. Na abertura da programação, será oferecido um café da manhã para as doadoras e mães que amamentam no Banco de Leite Anita Cabral.

A Semana Estadual de Doação de Leite Materno foi instituída pela Lei estadual 9.956, de 11 de janeiro de 2013 e tem como objetivo divulgar a estratégia para doação de leite materno pelos diversos setores da sociedade.

“Nessa semana, toda sociedade será convidada a aderir à campanha de doação de leite materno, sensibilizando para a importância do leite doado e o importante papel na redução da mortalidade neonatal no estado. A demanda por leite humano pasteurizado cresce a cada dia, para suprir as necessidades dos bebês internos nos leitos neonatais do estado e em especial das UTIs neonatais da grande João Pessoa, por este motivo é importante prospectar doadoras cada vez mais”, disse a diretora do Anita Cabral, Thaíse Ribeiro.

Na terça-feira (16), dando prosseguimento às atividades, às 14h, acontecerá uma roda de conversa na sala de apoio à mulher trabalhadora que amamenta, na empresa Indaiá. Já na quarta-feira (17), às 8h30 e 14h30, a programação inclui uma roda de conversa com o grupo de gestantes e mães, na empresa Coteminas. Na quinta-feira (18), às 10h, será ministrada uma palestra para os profissionais de saúde da Maternidade Frei Damião.

De acordo com a programação, durante a semana acontecerão atividades em todo o estado, para a promoção da doação de leite materno, por meio dos seis Bancos de Leite em João Pessoa, Campina Grande, Guarabira, Patos e Cajazeiras e dos 21 Postos de Coleta, entre os quais se destacam os de Pombal, Santa Luzia, Sousa, Mamanguape e Taperoá, que realizarão atividades locais para esse incentivo.

Rede de Serviços e situação do estoque de leite – A rede de bancos de leite da Paraíba conta atualmente com 350 doadoras e coleta mensalmente em média 400 litros de leite, o que dá para atender cerca de 600 receptores.

De acordo com Thaise Ribeiro, a quantidade ainda é insuficiente para atender a demanda. “É necessário o aumento da coleta, em torno de 200 litros, para atender todos os bebês que requeiram, transitoriamente, um apoio de complemento durante sua internação nas maternidades”, informou. Ainda de acordo com a diretora do Anita Cabral, entre os meses de janeiro e abril deste ano, houve um aumento da demanda por leite humano nos bancos de leite, para bebês internos em UTIs do estado, ocasionando uma queda considerável no estoque.

“A nossa grande preocupação é que essa queda se acentue consideravelmente nos feriados de São João e férias do meio do ano e venha a prejudicar, principalmente, o abastecimento nas unidades neonatais do estado”, ressaltou Thaise.

Doações – Para ser doadora é só procurar o banco ou posto de coleta de leite humano mais próximo, estar amamentando o filho, estar saudável e ter excesso de produção de leite. O serviço de Rota Domiciliar irá até a residência da doadora e entregará o Kit Doação (frascos de vidro esterilizado, luvas, gorro e máscara). Além disso, a equipe prestará todas as orientações necessárias para o correto armazenamento e ainda comparece semanalmente ao domicílio da mãe para coletar a doação.

Armazenamento – Se a mãe desejar guardar o leite imediatamente, em casa, basta seguir algumas regras: lavar bem as mãos até os cotovelos com água e sabão, prender os cabelos, colocar um lenço sobre a boca (para evitar gotículas de saliva sobre o leite) e o vidro com tampa de plástico seco e já fervido por 15 minutos. Deve-se realizar a extração de leite dentro do vidro e desprezar os primeiros jatos. Após a retirada do leite, colocar o frasco fechado no congelador, onde deverá ter a validade de 15 dias congelado.

Para a utilização do leite congelado deve-se descongelá-lo em banho maria a 40°C e usá-lo, imediatamente. A conservação do leite já descongelado só deverá ser feita pelas próximas 12 horas em refrigerador.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: 3215-6047

Redação com Secom/PB

Saúde

Vacinação contra pólio e sarampo atinge 51% da meta

Publicados

em

Foto: Divulgação

O Ministério da Saúde informou que 51% das crianças de 1 ano a menores de 5 anos foram vacinadas contra poliomielite e sarampo após o Dia D de Imunização, realizado neste sábado (18).

No total, mais de 11,4 milhões de doses das vacinas contra a pólio e sarampo (cerca de 5,7 milhões de cada) foram aplicadas até esta segunda-feira (20). A meta do Ministério da Saúde é vacinar pelo menos 95% das 11,2 milhões de crianças independentemente da situação vacinal delas.

A vaicnação vai até o dia 31 de agosto.

Segundo o ministério, para a poliomielite, as crianças que ainda não tomaram nenhuma dose da vacina vão ser imunizadas com a Vacina Inativada Poliomielite (VIP). As crianças que já tiverem tomado uma ou mais doses receberão a gotinha (Vacina Oral Poliomielite – VOP). Em relação ao sarampo, todas as crianças devem receber uma dose da vacina tríplice viral, independente se estão com as vacinas em dia. A exceção é para as que tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias, que não necessitam de uma nova dose.

Atualmente, o país enfrenta dois surtos de sarampo, em Roraima e Amazonas. Até o dia 14 de agosto, foram confirmados 910 casos de sarampo no Amazonas e 5.630 continuam em investigação. Já em Roraima, foram 296 casos confirmados e 101 em investigação.

Os surtos estão relacionados à importação, já que o genótipo do vírus (D8) que está circulando no país é o mesmo que circula na Venezuela, país que enfrenta um surto da doença desde 2017. Até o momento, foram identificadas seis mortes por sarampo: sendo quatro em Roraima (três em estrangeiros e um em brasileiro) e duas no Amazonas (brasileiros).

Fonte: Agência Brasil

Continue lendo

Saúde

Dia D de vacinação contra pólio e sarampo será neste sábado

Publicados

em

Campanha de vacinação contra o sarampo e a paralisia infantil / Foto: Divulgação

Postos de saúde em todo o país abrem as portas neste sábado (18), sábado, para o chamado Dia D de Mobilização Nacional contra o sarampo e a poliomielite.

Todas as crianças com idade entre um ano e menores de 5 anos devem receber as doses, independentemente de sua situação vacinal. A campanha segue até 31 de agosto.

A meta do governo federal é imunizar 11,2 milhões de crianças e atingir o marco de 95% de cobertura vacinal nessa faixa etária, conforme recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Até a última terça-feira (14), no entanto, 84% das crianças que integram o público-alvo ainda não haviam recebido as doses.

Este ano, a vacinação será feita de forma indiscriminada, o que significa que mesmo as crianças que já estão com esquema vacinal completo devem ser levadas aos postos de saúde para receber mais um reforço.

No caso da pólio, as que não tomaram nenhuma dose ao longo da vida vão receber a vacina injetável e as que já tomaram uma ou mais doses devem receber a oral.

Para o sarampo, todas as crianças com idade entre um ano e menores de 5 anos vão receber uma dose da Tríplice Viral, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

Casos de sarampo

Atualmente, o país enfrenta dois surtos de sarampo – em Roraima e no Amazonas. Até a última terça-feira (14), foram confirmados 910 casos no Amazonas, onde 5.630 outros casos permanecem em investigação. Já em Roraima, são 296 casos confirmados e 101 em investigação.

Há ainda, de acordo com o Ministério da Saúde, casos isolados e relacionados à importação nos seguintes estados: São Paulo (1), Rio de Janeiro (14), Rio Grande do Sul (13), Rondônia (1) e Pará (2).

Até o momento, foram confirmadas no Brasil seis mortes por sarampo, sendo quatro em Roraima (três em estrangeiros e um em brasileiro) e dois no Amazonas (brasileiros).

Fonte: Agência Brasil

Continue lendo

Saúde

Estudo mostra que Zika chegou ao Brasil proveniente do Haiti

Publicados

em

Foto: Ilustração

Estudo desenvolvido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em Pernambuco revela que o vírus Zika chegou ao Brasil proveniente do Haiti. De acordo com pesquisadores, imigrantes ilegais e militares brasileiros que participaram da missão de paz no país caribenho podem ter trazido a doença.

Entre as hipóteses consideradas até então estava a de que o vírus teria entrado no Brasil durante a Copa do Mundo de 2014, trazido por turistas africanos. Outra teoria era de que a introdução teria ocorrido durante o Campeonato Mundial de Canoagem, realizado em agosto de 2014 no Rio de Janeiro, que recebeu competidores de vários países do Pacífico afetados pelo vírus.

Segundo a Fiocruz, o vírus Zika, originário da Polinésia Francesa, não veio de lá diretamente para o Brasil. Antes, migrou para a Oceania, depois para a Ilha de Páscoa, de onde foi para a América Central e o Caribe e só então chegou ao Brasil, no final de 2013. O trajeto coincide com o caminho percorrido por outras arboviroses, como dengue e chikungunya.

“Esse resultado aponta para o fato de que a América Central e Caribe são importantes rotas de entrada para arbovírus na América do Sul. Uma informação estratégica para a vigilância epidemiológica e para adoção de medidas de controle e monitoramento dessas doenças, especialmente em regiões de fronteira com outros países, portos e aeroportos”, destacou a fundação.

Ainda de acordo com a Fiocruz, em todos os casos brasileiros estudados, o ancestral em comum desse tipo de vírus é uma cepa do Haiti, país afetado por uma espécie de tripla epidemia de zika, dengue e chikungunya.

Outra conclusão do estudo é que houve múltiplas introduções, independentes entre si, do vírus Zika no Brasil. Isso muda a crença anterior de que um único paciente poderia ter trazido a doença, que depois teria se espalhado pelo país.

Fonte: Agência Brasil

Continue lendo

Mais Lidas