Conecte-se conosco

Esporte

Com seis ausências, Campinense se reapresenta e foca na Desportiva Guarabira

Publicados

em

Trabalho regenerativo precedido de uma reunião entre comissão técnica, gerência de futebol e jogadores. Depois, outra reunião, dessa vez envolvendo o presidente William Simões, o gerente Marquinhos Marabá e o técnico Celso Teixeira.

Foi assim, com muita conversa e trabalho leve para os jogadores, no campo, a reapresentação do Campinense no Alto da Bela Vista, na manhã desta terça-feira, dois dias após a derrota por 1 a 0 para o Treze no Clássico dos Maiorais de domingo.

Seis ausências foram percebidas durante os trotes que os jogadores deram em torno do gramado. Os laterais Orlan e Thiaguinho, os zagueiros William Goaino e Rafael Araújo, o volante Vitor Recife e o meia Marcinho não subiram para trabalhar com o restante do elenco.

Nos casos de Goiano e Marcinho, ambos estão entregues ao Departamento Médico.

Nos bastidores do time rubro-negro, a possibilidade de dispensas estava sendo cogitada desde a noite de segunda-feira.

De acordo com o presidente William Simões, no entanto, não haverá qualquer desligamento.

Líder do Grupo A do Paraibano 2018, com 12 pontos, a Raposa se prepara para encarar a Desportiva Guarabira no próximo domingo (04), às 16h, no estádio Sílvio Porto.

Desfalques

Além das quatro ausências citadas, o zagueiro William Goiano e o meia Marcinho também não subiram para o campo para treinar na manhã desta terça-feira.

O defensor, que ficou fora do clássico, foi diagnosticado com um estiramento de grau 1 na coxa direita e deve ficar fora de combate por pelo menos uma semana.

Já o camisa 10 do Campinense, com uma lesão na região das costelas, vai submetido a um exame de imagem para que o Departamento Médico possa fechar seu diagnóstico. No dérbi contra o Treze, Marcinho foi substituído por Jean Carlos durante o intervalo.

Além de William e Marcinho, um desfalque certo para a partida ante a Desportiva é o do meia-atacante Thiago Potiguar, que recebeu o terceiro cartão amarelo contra o Galo.

 

Paraibaonline

Esporte

Desportiva Guarabira reúne a imprensa para apresentar projeto, nesta terça

Publicados

em

A Desportiva Guarabira estará reunindo a imprensa da região para participar de um café da manhã nesta terça-feira (9). Na ocasião, a direção vai apresentar aos profissionais da mídia o projeto do Azulão do Brejo para o ano de 2019 e as perspectivas para o futuro do clube.

A representação guarabirense estará participando de duas competições, simultaneamente, neste segundo semestre: o Campeonato Paraibano da Segunda Divisão e o Campeonato Paraibano Sub-19.

O evento com a imprensa será realizado a partir das 8h, no Victor’s Center Hotel.

Confira o convite abaixo:

Do Plugados

Continue lendo

Esporte

Policial do 4º BPM vence mais uma corrida de rua

Publicados

em

O soldado Edinaldo, da Ciclopatrulha do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar), subiu mais uma vez ao pódio ao ficar em primeiro lugar na categoria Militar do Circuito Sesc de Corridas/Corrida da Infantaria, que aconteceu nesse domingo (26), na praia de Cabo Branco, em João Pessoa. O policial concluiu o percurso de 10km em 37’35”, vencendo a sua categoria, e na classificação geral ficou em 8º lugar.

O Circuito Sesc de Corridas/Corrida da Infantaria foi organizado pelo Sesc, por iniciativa da Fecomércio Paraíba e do 15º Batalhão de Infantaria Motorizado. O soldado Edinaldo, que faz parte da equipe Militares Runners PB, tem participado de corridas em várias cidades paraibanas e conquistado excelentes resultados.

Com Ascom/4ºBPM

Continue lendo

Cidades

STJD arquiva as ações de Auto Esporte e Desportiva Guarabira

Publicados

em

Pleno do Superior Tribunal entende que ações possuíam problemas de ordem processual e, por maioria de votos, optou pelo arquivamento em julgamento realizado na quinta-feira.

Por maioria de votos – 4 a 3 -, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) arquivou nesta quinta-feira os processos do Auto Esporte e da Desportiva Guarabira, que pediam os rebaixamentos de Botafogo-PB e Campinense no Campeonato Paraibano. Além dos descensos de Belo e Raposa, os clubes autores das ações queriam ser incluídos no estadual deste ano, que já está em andamento. A maioria dos auditores do STJD, no entanto, entendeu que havia problemas de ordem processual nas ações, e o caso foi mesmo arquivado.

A tese defendida pelos departamentos jurídicos de Auto Esporte e Desportiva Guarabira, que foram os dois times rebaixados no Campeonato Paraibano do ano passado, é de que seus clubes foram os maiores prejudicados por conta de um esquema de corrupção no futebol do estado, que supostamente envolvia dirigentes e árbitros paraibanos.

Por conta das investigações e dos relatórios da Polícia Civil e do Ministério Público da Paraíba, dois dirigentes – de Botafogo-PB e Campinense – e nove árbitros foram banidos do futebol. E, na análise dos advogados de Auto e Desportiva, essas condenações são a prova de que Belo e Raposa cometeram atos ilícitos graves e que, portanto, merecem ser punidos com o rebaixamento.

Ademais, em se considerando que o Alvinegro de João Pessoa e o Rubro-Negro de Campina Grande fossem punidos com a queda para a 2ª divisão, as suas duas vagas seriam ocupadas justamente por Auto e Desportiva. Na verdade, além de assumir esses dois postos, os clubes queriam também a anulação da edição 2018 do Campeonato Paraibano, que teve o Botafogo-PB como campeão.

Ex-presidente do Auto Esporte e advogado do clube nesse caso, Watteau Rodrigues argumentou que os valores pagos aos clubes em decorrência das classificações no Campeonato Paraibano do ano passado também deveriam ser devolvidos.

– O Campeonato Paraibano era classificatório para a Copa do Brasil, Copa do Nordeste, Série D e com a distribuição das cotas dos primeiros colocados que vão receber R$ 4 milhões em uma competição fraudada. Na denúncia consta o organograma feito pelo Ministério Público mostrando como atuava essa organização criminosa. Queremos que seja restabelecida a Justiça – defendeu Watteau.

Quem também participou do julgamento foi Osvaldo Sestário, advogado do Botafogo-PB. Ele alegou que já se passou muito tempo desde a consumação do estadual de 2018 e foi taxativo sobre a impossibilidade de se tomar como verdade a manipulação dos resultados dos jogos da competição.

– Não existem provas de contaminação de resultados – cravou.

O procurador-geral do STJD, Felipe Bevilacqua, concordou com o advogado do Belo sobre o pedido de Auto Esporte e Desportiva Guarabira estar sendo feito fora de hora e sugeriu que o caso fosse mesmo encerrado.

– Tudo que foi colocado pelo advogado dos clubes não respeita prazos, não vem revestida de provas e não está amoldada no artigo que diz respeito – resumiu.

A partir daí, começaram os votos. A relatora dos processos, Arlete Mesquita entendeu que o pedido dos clube estava sim dentro do prazo e que deveria ser julgado, mas admitiu que não havia elementos suficientes para acatar a solicitação. E ela foi seguida pelo auditor Otávio Noronha e pelo presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho, totalizando assim os três votos em favor de o pleito de Auto e Desportiva ir a julgamento.

Mas o auditor do STJD, Ronaldo Piacente, entendeu que o pedido dos clubes estava fora do prazo e sem subsídios suficientes. Três auditores – João Bosco, José Perdiz e Vanderson Maçullo – o seguiram nesse entendimento, e, com esses quatro votos, o caso foi mesmo dado por encerrado.

Fonte: GloboEsporte

 

Continue lendo

Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas