Conecte-se conosco

Paraíba

FAKE NEWS: Notícia falsa ligada à política se alastra três vezes mais rápido e tema será abordado em Congresso na Paraíba

Publicados

em

Quando uma notícia falsa é ligada à política, o alastramento é três vezes mais rápido, segundo dados do Instituto de Tecnologia de Masachussetts, dos Estados Unidos. O tema Fake News será abordado pelo presidente da Caixa de Assistência dos Advogados da Paraíba (CAA/PB), Carlos Fábio, durante o I Congresso Brasileiro de Advocacia Municipalista, que será realizado nos dias 10 e 11 de agosto, em João Pessoa.

Carlos Fábio participará de uma mesa redonda intitulada: ‘Comunicação e o Mundo Jurídico – Fake News, estratégias de comunicação e marketing jurídico’ e aboradrá o tema sobre a ótica do Direito Eleitoral. O jurista lembrou que as informações falsas têm 70% mais chances de viralizar que as notícias verdadeiras e alcançam muito mais gente. Ele destacou a importância do debate sobre o assunto.

“É preciso avançar em relação ao combate das ‘fake news’. Os mecanismos para identificar e punir quem produz e dissemina esse conteúdo já existe. Agora, a justiça precisa tratar desses casos com agilidade, pois um fake news pode mudar o resultado de uma eleição”, afirmou.

A Caixa de Assistência dos Advogados da Paraíba será um dos parceiros do I Congresso Brasileiro de Advocacia Municipalista. O evento discutirá grandes temas como lei de licitações, contratação por inexigibilidade, Direito Eleitoral, entre outros.

Inscrições – Para se inscrever no I Congresso Brasileiro de Advocacia Municipalista basta acessar http://apam.adv.br/ficha-de-inscricao/, preencher a ficha, efetuar o pagamento e enviar o comprovanete de pagamento (juntamente com o nome completo, telefone e e-mail do participante) para o endereço de e-mail: congresso.apam@gmail.com para validar a inscrição. Mais informações acesse: www.apma.adv.br.

Assessoria

Paraíba

Confiante: Raniery Paulino espera que o Projeto de Lei da Defensoria Pública seja aprovado ainda este ano

Publicados

em

Tomando a frente da problemática da Defensoria Pública da Paraíba, o deputado estadual Raniery Paulino está confiante e espera que seja aprovado ainda este ano, o Projeto de Lei (1.848/18) que assegura a revisão constitucional do subsídio dos defensores públicos ativos e inativos, prevista no artigo, 37, X, da Constituição Federal.

A categoria que vem lutando há meses sobre o Projeto que foi fundamentado no artigo 247 da Lei Complementar Estadual n. 104/2017, que instituiu o Regime Jurídico Único da Defensoria Pública da Paraíba e estabeleceu a data-base para revisão do subsídio da categoria. O último reajuste aprovado nesse sentido se deu há quatro anos, quando da implementação da Lei n. 10.380/2014 e o percentual de revisão proposto, de 27,01%, refere-se ao IPCA acumulado no período de abril de 2014 a março de 2018.

“Os defensores lutam por isso há muito tempo. O governo não pode fechar os olhos para categoria que defende a família e a sociedade. Muitos paraibanos recorrem aos defensores para ajudar em diversas situações, por isso, espero que esse projeto seja aprovado ainda este ano e acredito que os deputados não irão deixar essa categoria na mão” desabafou Raniery Paulino.

O parlamentar foi reeleito levantando importantes bandeiras, uma das categorias foram os aprovados do último concurso da PM que ainda não foram sequer convocados, outra categoria é o dos Técnicos Administrativos, Raniery vem sendo o porta-voz da categoria na AL, tentando que o governo dialogue com os técnicos, que reivindicam reposição salarial de 15,76% referente às perdas salariais da nos últimos cinco anos.

Assessoria

 

Continue lendo

Paraíba

Paraíba volta a eleger Governador em 1° turno após 20 anos

Publicados

em

Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

Com mais de um milhão de votos, João Azevedo, do PSB, deve governar a Paraíba nos próximos 4 anos.

Após 20 anos a Paraíba volta a eleger um Governador ainda no prímeiro turno. Com mais de um milhão de votos, João Azevedo, do PSB, deve governar a Paraíba nos próximos 4 anos.

No dia 4 de Outubro de 1998 José Maranhão era eleito aindo no primeiro turno com 80,72% dos votos válidos. A partir daí, as disputas foram para o Segundo turno.

Em 2002 o confronto foi entre Cássio Cunha Lima e Roberto Paulino. Já em 2006, se enfrentaram Cássio voltou a disputar, dessa vez contra Zé Maranhão. Em 2010, Zé Maranhão voltou a disputar, mas dessa vez com o socialista Ricardo Coutinho. Em 2014 o confronto foi entre os ex-aliados Cássio Cunha Lima e Ricardo Coutinho

Nesse ano o feito de 1998 foi repetido.

 

Fonte: Portalt5

Continue lendo

Brasil

CONQUISTA: Conselho Federal derruba cláusula de barreira e novos advogados podem concorrer a cargos nas direções da OAB

Publicados

em

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) derrubou, durante sessão realizada nesta terça-feira (2), a chamada cláusula de barreira na cidadania política da advocacia. Antes, apenas advogados inscritos há mais de cinco anos eram aptos a concorrer aos cargos nas direções do órgão. Hoje, com a nova decisão, os recém inscritos há pelo menos três anos na Ordem passam a ter o direito de disputar as vagas.

O presidente da Associação Paraibana da Advocacia Municipalista (Apam), Marco Villar, destacou a conquista obtida e que, segundo ele, reforça a democracia nos processos eleitorais da Ordem em todo o Brasil. “Sem dúvida foi uma grande vitória para a advocacia, principalmente para os jovens advogados e advogadas. O Conselho Federal chega a um consenso importante para garantir mais direitos à advocacia”, disse.

Para o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB), Paulo Maia, a decisão do Conselho federal se deu depois de um longo e intenso processo de discussão nas esferas das 27 seccionais e nas comissões da Jovem Advocacia chegando a um ponto de consenso.

“Os jovens advogados e advogadas podem concorrer aos cargos no Conselho Federal e nas diretorias das subseções e nas seccionais das Caixas de Assistência. Além disso, para os conselhos seccionais, não haverá mais a limitação temporal, podendo se inscrever sendo inscrito na Ordem a qualquer tempo”, explicou o presidente da OAB-PB, Paulo Maia.

Para o presidente da OAB-PB, a decisão é entendida como uma grande conquista. “É um marco civilizatório, é um avanço que se dá no processo político eleitoral da Ordem dos Advogados do Brasil e que parabenizamos todos aqueles e aquelas que colaboraram com essa conquista”, destacou o presidente.

A decisão do Conselho Federal será encaminhada para avaliação do Congresso Nacional por meio de Projeto de Lei para que se mude o Estatuto da OAB. Com isso, o entendimento ainda não valerá para o processo eleitoral deste ano da Ordem.

Assessoria de Imprensa

Continue lendo
Apoio

Mais Lidas