Conecte-se conosco

Saúde

Três em cada 100 paraibanos têm epilepsia e médico apresenta esclarecimentos sobre a doença

Publicados

em

Três em cada 100 paraibanos têm epilepsia, uma patologia neurológica crônica caracterizada por crises, produzindo descargas elétricas anormais. A doença atinge mais de 50 milhões de pessoas no mundo e cerca de 3 milhões de brasileiros, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). O médico clínico do Hapvida em João Pessoa, Carlay Antunes explica que pode ocorrer dois tipos de epilepsia. “A generalizada é quando envolve todo cérebro e a parcial, em que a disfunção se limita a uma determinada área cerebral”, disse.

A epilepsia é a condição neurológica crônica mais comum em todo mundo e afeta pessoas de todas as idades, raça e classe social. “É uma patologia que impõe um peso grande nas áreas psicológica, física, social e econômica, revelando dificuldades não só individuais, mas também familiares, escolares e sociais, especialmente devido ao desconhecimento, crenças, medo e estigma. Não tenha medo nem preconceitos, epilepsia não é uma doença contagiosa, nem é sinal de loucura”, orienta.

Carlay Antunes explica que a identificação da doença se dá por meio de exames de eletroencefalograma (EEG) e de neuroimagem. Além disso, o histórico clínico do paciente é muito importante já que exames normais não excluem a possibilidade da pessoa ser epiléptica. “Se o paciente não se lembra das crises, a pessoa que as presencia torna-se uma testemunha útil na investigação do tipo de epilepsia em questão e, conseqüentemente, na busca do tratamento adequado”, afirma.

A presença de língua mordida, desvio lateral persistente da cabeça durante a crise, posturas não usuais do tronco ou membros, contração muscular prolongada dos membros e confusão mental prolongada após a crise, são algumas características que aumentam a chance de se tratar da doença.

Em termos de causas para essa patologia um fator que deve ser levado em consideração é a idade de início dos sintomas, histórico familiar, recorrência de episódios (frequência e intervalo entre as crises), e situações associadas ao evento. O médico esclarece que “menos da metade dos casos de epilepsia apresentam uma causa identificável das crises (como presença de malformações arteriovenosas ou tumores do sistema nervoso central) e alguns casos apresentam associação com fatores genéticos”.

Em meio às causas mais frequentes conforme a idade de início da epilepsia é possível observar: 0 a 14 anos: Transtornos genéticos, malformação do sistema nervoso central (SNC), infecção do SNC, trauma cranioencefálico (TCE); 15 a 45 anos: TCE, tumor, etilismo; e acima de 45 anos: Doença cerebrovascular e tumor do SNC.

Apesar de muitos pré-conceitos existirem acerca da epilepsia, essa é uma doença que possui tratamento e que ocorre preferencialmente de forma medicamentosa. “O principal objetivo é bloquear as crises, e, com isso, espera-se que o paciente tenha uma qualidade de vida dentro da normalidade”, afirma Carlay.

O médico ainda reforça que uso de medicamentos anticonvulsivantes é eficaz em 70% a 80% dos casos. “O sucesso do tratamento depende fundamentalmente do paciente, que precisa fazer uso regular da medicação por algum tempo, não necessariamente por toda a vida. Ele precisa entender sua condição, saber que medicação está usando e quais são seus efeitos colaterais”.

Apesar do tratamento medicamentoso ser eficaz, em boa parte da população que tem crises epiléticas em alguns casos faz-se necessário o tratamento por meio de cirurgia. “A cirurgia só é realizada se a epilepsia for localizada (focal), ou seja, quando apenas uma área específica do cérebro for afetada, não sendo realizada quando a doença é generalizada no cérebro (multifocal). Existem centros apropriados para o diagnóstico e o tratamento da epilepsia, com uma equipe multidisciplinar, que inclui neurologistas, enfermeiros e psicólogos. Esses centros também atendem os casos que necessitam de cirurgia”, explica.

Crise de epilepsia
O médico clínico, Carlay Antunes, enumera algumas medidas que devem ser tomadas ao presenciar alguém sob uma crise de epilepsia. São elas:

1. Mantenha-se calmo;
2. Tente proteger a pessoa em crise epilética, evitando que sofra acidentes tirando objetos pontiagudos ou cortantes de suas mãos e retirando objetos cortantes de locais próximos;
3. Não o imobilize. Se estiver indo em direção a algo perigoso, leve-o com tranquilidade para um local seguro, coloque-o deitado de lado e afrouxe as roupas para que ele possa respirar melhor; se possível, coloque um travesseiro ou uma almofada apoiando a cabeça do paciente. Não tenha receio da saliva, pois não é contagiosa. O contato com a saliva do paciente não oferece qualquer tipo de risco;
4. Não dê nada para a pessoa em crise epilética beber ou cheirar;
5. Não passe nada no pulso do paciente;
6. Não coloque nada dentro da boca do paciente e não segure a língua, pois ela não enrola;
7. Ligar para SAMU em casos que necessitam de avaliação emergencial, como crise que duram mais de 5 minutos ou paciente não apresenta recuperação completa da consciência;
8. É importante, entretanto, saber que, como a maioria das crises é rápida, não há tempo suficiente para que o paciente seja levado ao hospital para receber medicação. Muitas vezes, após o término da crise o paciente pode ficar ainda confuso e sonolento sendo que depois de alguns minutos este volta ao estado normal. Pode permanecer algum tempo com dor de cabeça e dores no corpo. Apesar de muitas vezes dramática, não há dor nem sofrimento durante a crise. O paciente geralmente tem comprometimento da consciência e não sabe o que está acontecendo.

 

Assessoria/Hapvida

Saúde

Covid-19: Brasil passa dos 400 mil casos confirmados e 25 mil mortes

País teve 166 mil pessoas recuperadas do novo coronavírus

Publicados

em

O Brasil passou dos 400 mil casos confirmados de covid-19, de acordo com o balanço diário divulgado pelo Ministério da Saúde. Foram incluídas nas estatísticas 20.559 novas pessoas infectadas com o novo coronavírus, totalizando 411.821. O resultado marcou um acréscimo de 5,1% em relação a ontem (26), quando o número de pessoas nesta condição estava em 391.222.

A atualização do ministério registrou 1.086 novas mortes, chegando a 25.598. O resultado representou um aumento de 4,4% em relação a ontem, quando foram contabilizados 24.512 óbitos por covid-19.

Do total de casos confirmados, 219.576 estão em acompanhamento e 166.647 foram recuperados. Há ainda 4.108 óbitos sendo analisados. 

A letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 6,2%. Já a mortalidade (a quantidade de óbitos pelo total da população) foi de 12,2.

Situação epidemiológica da covid-19 - 27-05-2020
Situação epidemiológica da covid-19 – 27-05-2020 – Ministério da Saúde

São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de mortes (6.712). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (4.605), Ceará (2.671), Pará (2.545) e Pernambuco (2.468).

Também foram registradas mortes no Amazonas (1.891), Maranhão (853), Bahia (531), Espírito Santo (511), Alagoas (368), Paraíba (298), Rio Grande do Norte (242), Minas Gerais (240), Rio Grande do Sul (209), Amapá (183), Paraná (162), Rondônia (137), Piauí (134), Distrito Federal (133), Santa Catarina (126), Sergipe (127), Acre (113), Goiás (108), Roraima (102), Tocantins (65), Mato Grosso (46) e Mato Grosso do Sul (18).

Já em número de casos confirmados, o ranking tem São Paulo (89.483), Rio de Janeiro (42.398), Ceará (37.275), Amazonas (33.508) e Pará (31.033). Entre as unidades da federação com mais pessoas infectadas estão ainda Pernambuco (29.919), Maranhão (26.145), Bahia (15.070), Espírito Santo (11.484) e Paraíba (10.2095).

De acordo com o mapa global da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, o Brasil é o 2º colocado em número de casos, atrás apenas dos Estados Unidos (1,69 milhão). O país é o 6º no ranking de mortes em decorrência da covid-19, atrás de Espanha (27.117), França (28.599), Itália (33.072), Reino Unido (37.542) e Estados Unidos (100.047).

De acordo com o Ministério da Saúde, em dados de ontem o Brasil era o 51º em incidência, indicador que mede a quantidade de pessoas infectadas proporcionalmente à população. O país também era o 14º em mortalidade, quando os óbitos são comparados com o total da população.

Hoje não foi realizada a entrevista coletiva com representantes do Ministerio da Saúde, onde mais dados e análises são apresentados sobre o balanço diário. O evento era uma prática diária, mas a nova gestão mudou o hábito, ainda sem a definição de uma periodicidade definida.

Edição: Fábio Massalli

Continue lendo

Cidades

Guarabira: Secretaria de Saúde confirma 5ª morte por Covid-19; recuperados já são 201

Confira o boletim epidemiológico desta quarta-feira, 27 de maio

Publicados

em

A Secretaria de Saúde de Guarabira divulgou no começo da noite desta quarta-feira (27) a atualização do boletim epidemiológico com os números da Covid-19. Os infectados na cidade já somam 412. Os números divergem dos que foram divulgados pelo Estado, que aponta a cidade com 466 casos.

Guarabira continua liderando o número de casos em toda a região. Dos infectados, 201 pacientes já foram recuperados.

São 5 óbitos confirmados em consequência do novo coronavírus e uma morte está sob investigação, aguardando resultados de exames. 514 casos foram descartados e 1.493 notificados.

Os bairros Centro (56), Cordeiro (44), Bairro Novo (41) Nordeste I (33) e Primavera (24) continuam sendo os que mais apresentam incidência de infectados com o vírus.

De acordo com Nota da Secretaria, “Foi registrado o quinto óbito ocorrido ontem, 26/05, após o fechamento dos dados para o boletim passado, sendo o registro feito hoje, 27/05. O paciente era um senhor de 60 anos, portador de Diabetes tipo II, atendido em hospital público.”

Segundo ainda a Secretaria, (os números das) “as localidade de bairros pode sofrer alterações após esclarecimentos de alguns endereços. Salientando também que a secretaria de saúde Guarabira vem testando em 7 UBS’s, além dos testes que continuam a ser realizados na UPA e nos laboratórios privados, fazendo com que Guarabira diminua as subnotificações e exponha para todos o quadro real do município.” concluiu.

Confira o boletim de Guarabira

Continue lendo

Paraíba

Com 1.290 novos casos confirmados nas últimas 24h, Paraíba ultrapassa a marca de 10 mil diagnosticados com covid-19

O aumento de casos é resultado da ampliação da capacidade de testagem e diagnóstico da população

Publicados

em

A Paraíba registrou até a tarde desta quarta-feira (27) um total de 10.209 infectados com a covid-19. Os números divulgados também incluem o total de casos descartados, com 7.995 até o momento, e 298 mortes confirmadas. São 1.290 novos casos de Covid-19 e 12 óbitos confirmados desde a ultima atualização. 

  • Casos Confirmados:  10.209
  • Casos Descartados: 7.995
  • Óbitos confirmados: 298
  • Casos recuperados: 2.232
  • Total de municípios: 185

O aumento de casos nos últimos dias é resultado da ampliação da capacidade de testagem e diagnóstico da população. Até o momento, já foram realizados 35.566 testes para diagnosticar a população em todos os municípios do estado.   

A ocupação de leitos de UTI em todo o estado é de 72%. Se fizermos um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, 85% estão ocupados. Chama atenção a ocupação de leitos adultos para Covid-19 em Campina Grande, onde estão ocupados 80% de leitos de UTI e 85% das enfermarias. No sertão, 49% dos leitos de UTI estão ocupados. Apenas, 43% da população seguiu a recomendação de Isolamento Social. 

Os casos confirmados estão em 185 dos 223 municípios paraibanos:

Água Branca (2); Aguiar (1); Alagoa Grande (48); Alagoa Nova (16); Alagoinha (92); Alcantil (1) Alhandra (124); Amparo (15); Aparecida (2); Araçagi (29); Arara (8); Araruna (2); Areia (43); Areia de Baraúnas (1); Areial (8); Aroeiras (16); Assunção (2); Baia da Traição (43); Bananeiras (16); Barra de Santa Rosa (4); Barra de Santana (12); Barra de São Miguel (2); Bayeux (196); Belém (27); Belém do Brejo do Cruz (1);Boa Ventura (1);  Boa Vista (20); Bom Jesus (1); Boqueirão (10); Borborema (1);  Brejo do Cruz (4); Caaporã (278); Cabaceiras (4); Cabedelo (517); Cachoeira dos Índios (3); Cacimba de Dentro (14); Cacimbas (2); Caiçara (19); Cajazeiras (60); Cajazeirinhas (1); Caldas Brandão (11); Campina Grande (1025); Capim (33);  Carrapateira (1); Casserengue (4); Catingueira (5), Catolé do Rocha (31); Caturité (12); Conceição (4);  Condado (39);  Conde (92); Congo (11); Coremas (13); Coxixola (4); Cruz do Espírito Santo (101); Cuité (9);  Cuité de Mamanguape (3); Cuitegí (50); Curral de Cima (7); Damião (1); Desterro (4); Dona Inês (2); Duas Estradas (15); Emas (1); Esperança (46); Fagundes (5); Gado Bravo (22);  Guarabira (466); Gurinhém (25); Gurjão (3); Ibiara (9); Igaracy (6); Imaculada (5); Ingá (31); Itabaiana (122); Itaporanga (4); Itapororoca (31); Itatuba (39); Jacaraú (7); Jericó (1);  João Pessoa (3232); Joca Claudino (1); Juarez Távora (15); Juazeirinho (50);  Junco do Seridó (6); Juripiranga (61); Juru (8); Lagoa (3); Lagoa de Dentro (6); Lagoa Seca (32); Lastro (1); Logradouro (8); Lucena (52); Mãe d’Água (2); Malta (9); Mamanguape (84); Manaíra (2); Mari (81); Marizópolis (4); Massaranduba (16); Mataraca (24); Matinhas (8); Mato Grosso (3); Matureia (7); Mogeiro (1);  Montadas (4); Monteiro (27); Mulungu (14); Natuba (7); Nova Floresta (1), Nova Olinda (3); Olho D´Água (6); Olivedos (1);  Ouro Velho (1); Passagem (4); Patos (469); Paulista (15); Pedras de Fogo (171); Pedro Régis (1); Piancó (15); Picuí (10); Pilar (39); Pilões (6); Pilõezinhos (43); Pirpirituba (14); Pitimbu (67); Pocinhos (4);  Pombal (30); Princesa Isabel (5); Puxinanã (18);  Queimadas (54); Quixaba (5); Remígio (32); Riachão do Bacamarte (53);  Riachão do Poço (1); Riacho de Santo Antônio (3); Riacho dos Cavalos (2); Rio Tinto (42); Salgadinho (7); Salgado de São Felix (23); Santa Cecília (3); Santa Helena (1); Santa Luzia (45); Santa Rita (552); Santa Terezinha (10); Santana dos Garrotes (1); São Bentinho (8); São Bento (92); São Francisco (2);  São João do Cariri (1); São João do Rio do Peixe (7); São João do Tigre (1); São José da Lagoa Tapada (13); São José de Caiana (22); São José de Espinharas (3); São José de Piranhas (4); São José do Bonfim (10); São José do Sabugi (54); São José dos Cordeiros (4); São José dos Ramos (5); São Mamede (11); São Miguel de Taipu (16);  São Sebastião de Lagoa de Roça (9); São Vicente do Seridó (16); Sapé (163); Serra Branca (2); Serra da Raíz (6); Serra Redonda (23); Serraria (8); Sertãozinho (8); Sobrado (12); Solânea (31); Soledade (6); Sousa (100); Sumé (10); Tacima (9); Taperoá (36); Tavares (6); Teixeira (13); Tenório (1); Uiraúna (4); Umbuzeiro (18); Várzea (1); Vieirópolis (2); Vista Serrana (1).

*Dados Oficiais (fonte e-sus VE e SIVEP) extraídos às 10h do dia 27/05

Mais 12 óbitos foram confirmados: 

Homem, 57 anos, sem comorbidade, residente em Serraria. Início dos sintomas 10/05, veio a óbito na unidade de pronto atendimento no dia 12/05.

Mulher, 24 anos, sem informação de comorbidade, residente em Mamanguape. Início dos sintomas 07/05, interna em hospital público, veio a óbito no dia 26/05.

Mulher, 60 anos, hipertensa, diabética, residente em Santa Rita. Início dos sintomas 05/05, interna em hospital público, veio a óbito no dia 25/05.

Homem, 61 anos, portador de insuficiência renal aguda, diabético, residente em Bayeux. Início dos sintomas 29/04, interno em hospital público, veio a óbito no dia 26/05.

Homem, 78 anos, hipertenso, diabético, residente em São Bento. Início dos sintomas 08/05, interno em hospital público, veio a óbito no dia 23/05.

Homem, 87 anos, portador de neoplasia de pulmão, residente em Catolé do Rocha. Início dos sintomas 10/05, interno em hospital público, veio a óbito no dia 25/05.

Homem, 85 anos, sequelado de AVC, cardiopata, hipertenso, residente em Catolé do Rocha. Início dos sintomas 14/05, interno em hospital público, veio a óbito no dia 25/05.

Homem, 76 anos,com comorbidade, sequelado de AVC, hipertenso, residente em Lucena. Início dos sintomas 10/05, veio a óbito na unidade de pronto atendimentono dia 14/05.

Homem, 61 anos, sequelado de AVC, diabético, hipertenso, cardiopata, residente em Barra de São Miguel. Início dos sintomas 04/05, interno em hospital público, veio a óbito no dia 20/05.

Mulher, 59 anos, sem comorbidade, residente em João Pessoa. Início dos sintomas 28/04, interna em hospital público, veio a óbito no dia 26/05.

Homem, 34 anos, diabético, residente em João Pessoa. Início dos sintomas 05/05, interno em hospital público, veio a óbito no dia 26/05.

Mulher, 95 anos, cardiopata e hipertensa, residente em Remígio. Início dos sintomas 02/05, interno em hospital privado, veio a óbito no dia 26/05.

Por ClickPb

Continue lendo
Apoio

Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas