Conecte-se conosco

Cultura

Brasília vai sediar campeonato de quadrilhas juninas

Publicados

em

Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Influência nordestina cria tradição de São João na capital federal.

A capital do Brasil será a capital dos festejos de São João fora de época. Nos dias 2, 3 e 4 de agosto, Brasília vai sediar o Campeonato Brasileiro de Quadrilhas Juninas, também conhecido como Brasileirão de Quadrilhas. Vinte e dois estados, além do Distrito Federal, participarão da 7ª edição do torneio que ocorrerá em Samambaia, uma das regiões administrativas mais populosas do DF.

A expectativa é que até 10 mil pessoas assistam o campeonato. “Brasília é uma referência forte em festa junina. Tem um estilo bem próprio de dançar. É bem caipira, é bem interessante”, atesta Michael Helry da Silva, presidente da Confederação Nacional de Quadrilhas Juninas e Grupos Folclóricos, Conaqj. Segundo ele, a cidade construída por candangos vindos especialmente do Nordeste, “herdou o amor pelos festejos juninos”.

Até hoje, 59 anos após a inauguração, metade dos imigrantes (49,88%) de Brasília são oriundos de um dos estados do Nordeste, especialmente da Bahia (143 mil pessoas), Piauí (137 mil) e do Maranhão (136 mil), conforme os dados da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (2018), da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan).

Os dados populacionais não computam, porém, os filhos dos imigrantes que hoje passam a animar as quadrilhas juninas da capital, gente como o professor de educação física Patrese Ricardo da Silva Mendes, filho de cearense, que coordena as quadrilhas Formiga da Roça e Coisas da Roça, ambas da região administrativa de São Sebastião, a 24 km do Plano Piloto.

Confira a matéria completa no link abaixo:

Agência Brasil

 

Cidades

Organização divulga relação dos artistas contemplados para participar da 3º Edição do FIAN

Publicados

em

O Festival Internacional de Arte Naif, edição 2021, em Guarabira, será aberto no final de maio com uma ampla exposição envolvendo obras de 19 estados brasileiros e 09 países. Nesta quarta-feira (07), a Secretaria de Cultura e Turismo do município divulgou o resultado dos artistas selecionados no edital que foi lançado no último mês de fevereiro.

As inscrições estiveram abertas durante 40 dias e contaram com a participação de 173 artistas de 19 estados brasileiros, do Distrito Federal e de 11 países – como Espanha, Portugal, Itália, Bélgica, Argentina, Alemanha, Romênia, Cuba, Uruguai, Finlândia e Turquia. Ao todo foram selecionados 111 trabalhos.

Na relação de inscritos, participaram vários artistas já consagrados na cena nacional e mesmo internacional, além de novas expressões da Arte Naif que estão procurando conquista seus espaços. Entre os participantes, 144 se inscreveram com pinturas, 12 com bordados, 10 com xilogravuras, 02 esculturas, 01 mosaicos, 01 diorama, 01 colagem, 01 desenho e 01 com técnica mista. Como previsto no edital, os artistas inscritos com obras em três dimensões foram desclassificados, restando 171 artistas que concorreram a dois prêmios-aquisição, um prêmio de incentivo e um do júri popular.

A curadoria foi formada por 5 personalidades das artes plásticas no Brasil, notadamente da Arte Naif, convidados pela coordenação do Fian em Guarabira. Entre eles, Jacqueline Filkenstein (que inclusive foi homenageada na última edição do Fian), além de Ângela Gomes, Pedro Cruz, Rui Piranda e Adiano Dias, este representando a coordenação local.

A edição 2021 do Festival Internacional de Arte Naif (3º FIAN), que já se tornou uma marca de Guarabira na difusão da Arte Naif no Brasil, este ano vai homenagear o ex-prefeito Zenóbio Toscano, que era um colecionador de obras em Naif e que, na sua gestão, estimulou a realização desse festival nas duas primeiras edições consecutivas.

Abaixo, confira a relação dos artistas selecionados, por suas localidades internacionais ou estados brasileiros, bem como as informações curriculares sobre cada membro da curadoria.

RELAÇÃO ARTISTAS FIAN 2021

CURADORIA:

Jacqueline Filkstein – Museóloga de formação, foi  diretora do Museu Internacional de Arte Naïf (MIAN), que fechou as portas no Cosme Velho (RJ), em 2016, e possui um dos maiores acervos do estilo naif no Brasil.

Ângela Maria Vasconcelos Gomes (Ângela Gomes) – Natural de Cachoeiro de Itapemirim, ES. Pintora naif – espontânea, ingênua com várias exposições e obras em acervos no Espirito Santo e vários estados do Brasil e exterior. Ângela Gomes busca valorizar paisagens regionais de forma simples e bela que expressam a arte e a tradição popular – o povo, seus usos e costumes.

Rui Piranda – Formado em Comunicação Social, já participou de processos de curadorias de exposições no Museu da Imagem do Som de São Paulo. “Há anos me aproximei da arte por acreditar que ela é a mais autêntica e intensa forma de estabelecer contato com o nosso presente e com o nosso futuro. Acredito que o registro artístico em suas mais diferentes formas, nos conecta com o nosso melhor…”, diz ele, acrescentando: “Espero que o 3º FIAN seja para todos o que foi para mim: uma fonte de descobertas e de novos caminhos.”

Pedro Cruz Lima – Publicitário e sócio fundador da Galeria André Cunha de Arte Naïf em Paraty, é um dos idealizadores da Mostra Literária Naïf, que já teve duas edições e prepara a abertura do Miman (Minimuseu de arte naïf) em Paraty.

Adriano Dias – Artista plástico, natural da cidade de Guarabira – PB, tem a poética de sua obra voltada para o resgate dos festejos populares, memórias afetivas de sua infância, a religiosidade numa obra de colorido vibrante, tendo participado de diversas exposições no Brasil e no exterior.

Codecom/PMG


Continue lendo

Cultura

Morre Genival Lacerda, ícone do forró

Publicados

em

©Reprodução/Facebook

Cantor faleceu aos 89 anos vítima da covid-19.

O forró perdeu, na madrugada de hoje (7), um de seus maiores ícones: o cantor e compositor Genival Lacerda, aos 89 anos, em decorrência da covid-19. A notícia foi divulgada por familiares nas redes socais. Lacerda estava internado na unidade de terapia intensiva do Hospital da Unimed, no Recife, desde o final de novembro.

Nascido em Campina Grande, no ano de 1931, cidade que é considerada a capital do forró na Paraíba, Lacerda foi autor de sucessos como Severina Xique Xique, De quem é esse jegue? Radinho de Pilha, em meio aos cerca de 70 discos lançados por ele – o primeiro deles, gravado em 1955, quando já havia se mudado para Pernambuco.

Incentivado por seu concunhado, o músico Jackson do Pandeiro, Lacerda se mudou para o Rio de Janeiro em 1964, onde trabalhou em algumas casas de forró. O salto na carreira só veio em 1975, quando lançou a música Severina Xique-Xique – famosa pelo verso “ele tá de olho é na butique dela“, feita em parceria com João Gonçalves. O disco vendeu cerca de 800 mil cópias.

AVC e covid-19

Em maio, antes de ser contaminado pelo novo coronavírus, o músico já havia sofrido um acidente vascular cerebral (AVC).

Genival Lacerda vinha apresentando piora em seu quadro de saúde nos últimos dias, a ponto de a família usar as redes sociais para pedir que as pessoas doassem sangue para ajudá-lo.

Agência Brasil

Continue lendo

Cultura

CULTURA PB NA WEB: Artistas podem se inscrever até este domingo, 21

Publicados

em

Encerram neste domingo (21) as inscrições do projeto #CULTURAPBNAWEB, que tem o objetivo de proporcionar cultura, arte, entretenimento e atividades formativas para a população que se encontra em isolamento social e beneficiar artistas de diversas áreas afetados pela pandemia. Estão sendo oferecidas 150 vagas de propostas artísticas nas categorias: Apresentação e Performance Artística, Curso, Oficina e Workshop, E-Books e História em Quadrinhos, Podcast, Exibição de Curta-Metragem e Exposição, Intervenção e Galeria de Arte Virtual. Os artistas interessados devem acessar o link https://paraiba.pb.gov.br/diretas/secretaria-da-cultura/edital-cultura-pb-na-web

Cada proposta selecionada terá direito a um cachê de R$ 1,2 mil, totalizando um investimento de R$ 180 mil. As propostas culturais em formato digital serão divulgadas em plataformas e tecnologias disponíveis on-line a partir do dia 14 de julho e uma das exigências do edital é que seu conteúdo seja de classificação etária indicativa livre. 

Categorias – As propostas culturais em formato digital estão assim definidas:

– Apresentação e Performance Artística, comconteúdo de caráter performático, disponibilizado em formato audiovisual, digital, com duração entre 15 e 45 minutos, relacionado às artes cênicas, artes visuais, literatura, humor, música e patrimônio cultural imaterial, assim como à diversidade de expressões estéticas decorrentes desses segmentos; 

– Cursos, oficinas e workshops de caráter formativo, também em formato audiovisual, digital, podendo ser utilizado o modelo seriado, relacionado às artes cênicas, artes visuais, literatura, cinema, música e patrimônio cultural imaterial, assim como à diversidade de atividades laborais, de habilidades e de técnicas;

 – E-booke história em quadrinhos, de conteúdo literário em formato digital, com características de livro padrão ou conjunto de posts para a internet, relacionado a temas como cultura, arte e história paraibana; 

– Podcasts de caráter lúdico-formativo, disponibilizado em formato de áudio, utilizando o modelo seriado, incluindo histórias, relatos, reflexões, entrevistas, entre outros;

– Exibição de curta-metragens, obras audiovisuais, digitais, de gênero ficção, documentário ou animação, produzida na Paraíba, finalizadas entre 2016 e 2020, com duração de até 20 (vinte) minutos; 

– Exposições, intervenções e galerias de arte virtual, de conteúdo contemplativo, disponibilizadas em formato digital.

Fonte: Paraiba.pb.gov

Continue lendo
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas