Conecte-se conosco

Saúde

Ano novo melhor: psicólogo ensina cinco passos para alcançar as metas em 2020

Reprodução

Publicados

em

Chegar ao fim do ano é acreditar que período que se inicia traz novas possibilidades. Os projetos e planos para o novo ano são muitos, mas, com o passar do tempo, alguns se perdem no meio do caminho. O psicólogo do Hapvida em João Pessoa Caio Monteiro Machado afirma que isso ocorre porque geralmente não se segue uma metodologia eficaz e eficiente. “Todo planejamento precisa estar dentro da capacidade de realização e ser acompanhado também de disciplina”, explica.

Para o psicólogo, planejar é construir uma previsão. “Um planejamento de ano novo trata-se de uma previsão daquilo que precisamos e gostaríamos de construir em nossas vidas ao longo do ano. Para tanto, é importante que esteja dentro das nossas competências iniciá-lo, isto é, com metas curtas e alcançáveis”, pontua Caio.

Com o intuito de contribuir para que as pessoas possam alcançar seus objetivos e tornar o próximo ano um tempo melhor e marcado por conquistas, o psicólogo Caio Monteiro Machado sugere alguns passos a serem dados:

1. Descobrir o que é mais importante para o contexto atual de vida – Nós temos áreas importantes que estruturam a nossa vida, como a religião, relacionamentos, a vida financeira, familiar, profissional, saúde. Pra descobrir o que é mais importante é necessário olhar pra essas áreas. Olhando para cada uma delas conseguimos perceber aquelas coisas que poderíamos ter feito melhor e o que é importante melhorar;

2. Selecionar as idéias – Aconselho não listar mais do que duas coisas/ideias/metas em cada área com a finalidade de melhorar. Lembre-se! Metas curtas e alcançáveis para tornar o planejamento possível;

3. Quebrar as poucas metas em partes menores – Seguindo pequenos passos a realização se torna mais possível. Quanto menor a meta melhor pra colocá-la em prática;

4. Acompanhar a execução dessas metas – Funciona como uma espécie de monitoramento da execução, o que permite a constante avaliação de desempenho e percepção dos pontos positivos e negativos do processo;

5. Praticar o uso de uma agenda para o registro das tarefas – Tendo as tarefas diárias registradas elas tomam uma maior conotação na responsabilização e tornam-se mais enfáticas, o que aumenta o seu grau de importância.

Ascom Hapvida

Cidades

Coronavírus: Guarabira já tem 529 casos e 7 mortes; confira o boletim

O bairro Novo superou o Cordeiro em número de casos

Publicados

em

Vista parcial de Guarabira/Rose Vídeo

A Secretaria de Saúde de Guarabira divulgou na noite desta sexta-feira (29) a atualização do boletim epidemiológico com os números da Covid-19.

Os infectados na cidade já somam 529, um crescimento de 46 casos em 24 horas. Os números divergem dos que foram divulgados pelo Estado, que aponta a cidade com 545 casos.

Guarabira é o epicentro da doença em toda a região, que envolve mais de 25 cidades. Dos infectados, 252 pacientes já foram recuperados.

São 7 óbitos confirmados em consequência do novo coronavírus e uma morte está sob investigação, aguardando resultados de exames.

581 casos foram descartados e 1.615 notificados.

Dos locais com mais casos confirmados, estão: Centro (70), Bairro Novo (58) Cordeiro (56) e Nordeste I (42). Estes continuam sendo os que mais apresentam incidência de infectados com o vírus.

Veja o Boletim da Prefeitura

Continue lendo

Saúde

Depressão aumenta entre brasileiros durante quarentena, diz pesquisa

Estudo foi realizado pelo UERJ em parceria com pesquisador da Universidade de Yale

Publicados

em

Pixabay

Nesta última terça-feira, 5 de maio, a Universidade Estadual do Rio de Janeiro divulgou em seu site novos dados, baseado em pesquisa, sobre a pandemia do coronavírus: o aumento da depressão entre brasileiros durante este período.

Segundo a UERJ, logo após a decretação da quarentena por causa da pandemia de COVID-19, o professor Alberto Filgueiras, do Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, iniciou uma pesquisa sobre o comportamento dos brasileiros durante o isolamento. Os resultados mostram que os casos de depressão praticamente dobraram entre os entrevistados, enquanto as ocorrências de ansiedade e estresse tiveram um aumento de 80%.

O estudo foi coordenado em parceira com o Laboratório de Neuropsicologia Cognitiva e Esportiva (LaNCE), gerenciado pelo Dr. Matthew Stults-Kolehmainen, do Yale New Haven Hospital, nos EUA. Os dados foram colhidos através de 1.460 pessoas em 23 estados que responderam um questionário on-line com mais de 200 perguntas em dois momentos específicos, de 20 a 25 de março e de 15 a 20 de abril.

Os dados analisados indicam que as mulheres são mais propensas do que os homens a sofrer com estresse e ansiedade durante a quarentena. Outros fatores de risco são: alimentação desregrada, doenças preexistentes, ausência de acompanhamento psicológico, sedentarismo e a necessidade de sair de casa para trabalhar. Já para depressão, as principais causas são idade mais avançada, ausência de crianças em casa, baixo nível de escolaridade e a presença de idosos no ambiente doméstico.

“A prevalência de pessoas com estresse agudo na primeira coleta de dados foi de 6,9% contra 9,7%, na segunda. Para depressão, os números saltaram de 4,2% para 8,0%. Por último, no caso de crise aguda de ansiedade, vimos sair de 8,7% na primeira coleta para 14,9%, na segunda coleta”, ressalta Alberto Filgueiras. Entretanto, a pesquisa sinaliza que quem recorreu à psicoterapia pela internet apresentou índices menores de estresse e ansiedade. Da mesma forma, aqueles que puderam praticar exercício aeróbico tiveram melhor desempenho do que os que não fizeram nenhuma atividade física, ou que praticaram apenas atividade de força.

Outro alerta que Filgueiras faz é sobre a pressão social que está sendo criada em volta de ‘obrigações de quarentena’, o que pode acabar impondo mais estresse às pessoas, em tempos de isolamento. “Esse período da quarentena não é o momento de mudar seus hábitos radicalmente. Isso pode gerar ainda mais angústia. Respeite seu estilo de vida e seus limites”, diz.

Fonte: Revista Casa e Jardim

Continue lendo

Saúde

Covid-19: Brasil tem 438.238 casos; total de mortes chega a 26.754

Segundo Ministério da Saúde, 177.604 pacientes foram recuperados

Publicados

em

Ministério da Saúde divulgou, nesta quinta-feira(28), que 26.417 novas pessoas foram incluídas na estatística de infectados pela covid-19, totalizando 438.238 casos confirmados. O resultado marcou um acréscimo de 26.417 em relação a ontem (27), quando o número de pessoas nesta condição estava em 411.821

A atualização do ministério registrou 1.156 novas mortes, chegando a 26.754. O resultado representou um aumento de 1.156 em relação a ontem, quando foram contabilizados 25.598 óbitos por covid-19.

Do total de casos confirmados, 233.880 estão em acompanhamento e 177.604 foram recuperados. Há ainda 4.211óbitos sendo analisados. 

A letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 6,1%. Já a mortalidade foi de 12,7 por 100 mil habitantes.

São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de mortes (6.980). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (4.856), Ceará (2.733), Pará (2.704) e Pernambuco (2.566).

Também foram registradas mortes no Amazonas (1.964), Maranhão (887), Bahia (570), Espírito Santo (538), Alagoas (385), Paraíba (318), Rio Grande do Norte (258), Minas Gerais (255), Rio Grande do Sul (213), Amapá (198), Paraná (169), Rondônia (142), Piauí (138), Distrito Federal (142), Santa Catarina (131), Sergipe (135), Acre (122), Goiás (115), Roraima (102), Tocantins (68), Mato Grosso (51) e Mato Grosso do Sul (18).

Já em número de casos confirmados, o ranking tem São Paulo (95.865), Rio de Janeiro (44.886), Ceará (37.821), Amazonas (36.146) e Pará (33.699). Entre as unidades da federação com mais pessoas infectadas estão ainda Pernambuco (30.713), Maranhão (27.979), Bahia (15.963), Espírito Santo (12.203) e Paraíba (11.132).

Boletim epidemiológico covid-19

Boletim epidemiológico covid-19 – Ministério da Saúde.

Fonte: Agência Brasil

Continue lendo
Apoio

Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas