Conecte-se conosco

Variedades

Meu corpo não é sua folia: Campanha com apoio do TJ marca presença na abertura do Folia de Rua nesta quinta (13)

Publicados

em

O período de prévias carnavalescas em João Pessoa teve início, oficialmente, na última quinta-feira (13), com a abertura do Folia de Rua 2020 no Ponto de Cem Réis. Na ocasião, a Campanha Meu corpo não é sua folia, que visa conscientizar sobre o crime de  importunação sexual, também esteve presente, com um ponto fixo da equipe da Rede Estadual de Atenção às Mulheres Vítimas de Violência da Paraíba (Reamcav), integrada pelo TJPB, montado no local, desde às 18h.

De acordo com a coordenadora da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do TJPB, juíza Graziela Queiroga, o ponto contou com uma delegacia móvel. “Toda a equipe esteve mobilizada para fazer a distribuição do material informativo e dos leques produzidos. Participamos deste momento e disseminamos o respeito ao corpo do outro, especialmente o da mulher”, afirmou.

Desde o seu lançamento, prefeituras municipais de todo o Estado têm aderido à iniciativa. Até a quarta-feira (12), 22 municípios já efetuaram adesão à campanha, se comprometendo a propagar, durante os festejos carnavalescos locais, informações sobre os crimes de importunação sexual e os canais para denúncia. Já aderiram os municípios de Alagoinha, Barra de São Miguel, Bayeux, Boqueirão, Cabedelo, Cachoeira dos Índios, Catingueira, Cuitegi, Duas Estradas, João Pessoa, Junco, Lucena, Mamanguape, Patos, Pombal, Queimadas, Rio Tinto, Sapé, São Bento, São José do Bonfim, Uiraúna e Várzea.

A iniciativa – A Campanha Meu corpo não é sua folia objetiva, durante o período dos festejos de carnaval, conscientizar a população paraibana acerca dos crimes de importunação sexual (Lei nº 13.718/18), com a entrega de leques e materiais informativos ao público durante a passagem de blocos nas prévias. O crime é caracterizado na conduta de ato libidinoso na presença de alguém e sem a sua anuência, prevendo uma sanção penal de 1 a 5 anos de prisão. Nesta edição, blocos como o Vumbora, puxado pelo cantor baiano Bell Marques, dos Atletas, que terá como atração o cantor Durval Lelys, e Cafuçu terão, em seu trajeto, um ponto de apoio do ‘Meu corpo não é sua folia’.

A Campanha é uma iniciativa conjunta das instituições que integram a Rede Estadual de Atenção às Mulheres Vítimas de Violência da Paraíba (Reamcav), composta por: Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, Delegacia Geral da Polícia Civil, Coordenação das Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Secretaria de Segurança e Defesa Social, Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça da Paraíba, Defensoria Pública, Ministério Público da Paraíba, OAB, Assembleia Legislativa, Prefeitura Municipal de João Pessoa e Câmara Municipal de João Pessoa.

Por Celina Modesto / Gecom-TJPB

Apoio







Paraíba

Corpo de Bombeiros alerta sobre acidentes domésticos no período da quarentena

Publicados

em

Foto: Ilustração

Seguindo as recomendações de isolamento social durante a quarentena, muitos se preocupam com a permanência de crianças e idosos em casa durante o período. Visando minimizar os riscos de acidentes domésticos, o Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba (CBMPB) orienta sobre quais as medidas devem ser tomadas para tornar a casa mais segura.

Brinquedos – Sempre observar a faixa etária indicada na embalagem dos produtos, pois algumas podem conter peças pequenas que crianças menores e bebês podem vir a se engasgar, caso as leve à boca. Também atente à presença do selo do Inmetro nas caixas.

Banheiros – Mantenha a tampa do vaso sanitário sempre abaixada e nunca deixe uma criança sem supervisão no momento do banho. Instale barras nas paredes para que idosos possam se apoiar quando for utilizar o vaso sanitário ou no banho.

Cozinha – gire os cabos das panelas que estiverem no fogão para dentro e mantenha utensílios cortantes ou com pontas fora do alcance. Enquanto estiver cozinhando, evite deixar que crianças se aproximem, podendo utilizar, por exemplo, grades de proteção.

Material de limpeza – Para evitar intoxicação, armazene os materiais em prateleiras altas ou instale travas nas portas onde eles estão guardados. Mantenha os baldes sempre secos e virados para baixo, a fim de evitar afogamentos.

Tomadas – Para evitar acidentes que envolvam choque elétrico, instale protetores em todas as tomadas da casa, evite conectar mais de um equipamento elétrico na mesma tomada através do uso de T’s (benjamins) e mantenha os fios fora do alcance dos pequenos.

Precauções – Sempre utilize telas ou grades de proteção em janelas e piscinas. Dê preferência a não utilizar tapetes ou instalar os que são antiderrapantes, para que idosos e crianças não tropecem.

Prefira cortinas ou persianas com tecidos grossos e pesados, que são mais difíceis para a criança manusear, e sem cordas, que causem risco de estrangulamento. Fixe protetores de quinas nas mesas e em móveis pontiagudos.  Evite posicionar camas, cadeiras ou qualquer outro móvel perto da janela, pois eles podem ser usados para a criança escalar.

Instale grades de proteção para dificultar acesso às escadas, de modo a evitar acidentes que envolvam altura.

Fonte: Secom/PB

Continue lendo

Negócios e Ofertas

MDM Viagens e Turismo continua com atendimento de vendas de passagens aéreas durante quarentena

O atendimento é através do telefone (83) 3271-1870 e whatsapp (83) 99922-8541, de PLANTÃO das 9h às 20h.

Publicados

em

Foto: Ilustração

A agência de passagens aéreas, MDM Viagens e Turismo, diante da quarentena causada pelo Coronavírus, informa que continua com atendimento de vendas de PASSAGENS AÉREAS em Home Office através do telefone (83) 3271-1870 e whatsapp (83) 99922-8541, de PLANTÃO das 9h às 20h.

A MDM Viagens e Turismo fica localizada na Rua Cônego João Gomes Maranhã, 25, Centro, Guarabira, PB. (mas neste momento de quarentena só está atendendo pelo telefone ou whatsapp informado acima.)

Continue lendo

Brasil

14,2 milhões de máscaras cirúrgicas são enviados pelo Governo aos estados

Publicados

em

O Ministério da Saúde divulgou hoje (30) balanço dos equipamentos de proteção individual (EPIs) destinados aos profissionais de saúde enviados aos estados. No total, foram direcionadas 14,2 milhões de máscaras cirúrgicas, recurso fundamental para evitar o contágio de profissionais por pacientes infectados.

Além disso, o Executivo Federal encaminhou 24 milhões de luvas para procedimento não cirúrgico, 742 mil aventais, 290 mil toucas hospitalares, 168 mil frascos de álcool etílico 100 mil sapatilhas e 60 mil óculos de proteção.

São Paulo, epicentro da pandemia no país, recebeu o maior estoque de suprimentos. Ao estado foram enviadas 3,1 milhão de máscara cirúrgicas, 3,5 milhões de luva para procedimentos não cirúrgicos, 164 mil aventais e 63,4 mil toucas hospitalares.

Estados com grande população e alto número de casos, como Rio de Janeiro, Minas Gerais, Ceará, Rio Grande do Sul e Bahia, também receberam parte importante do estoque de EPIs encaminhado até agora. Veja a lista por estado.

O ministério também afirmou que está adquirindo mais 200 milhões de máscaras cirúrgicas, 120 milhões de toucas, 80 milhões de aventais impermeáveis, 40 milhões de aventais, 40 milhões de máscaras N95, 2 milhões de frascos de álcool, 1 milhão de óculos de proteção e 1 milhão de sapatilhas.

A proteção de profissionais de saúde tem sido uma preocupação manifestada pelas entidades representativas dessas categorias. A Organização Mundial de Saúde expressou em entrevista coletiva na semana passada receio de um desabastecimento desses equipamentos e do consequente risco que essa situação pode gerar aos trabalhadores da área.

A Associação Médica Brasileira abriu um canal para receber denúncias de profissionais sobre a falta de EPIs. Até o dia 27 de março, haviam sido registradas 2.375 denúncias. Os estados com mais reclamações são São Paulo (793), Rio de Janeiro (256), Minas Gerais (244) e Rio Grande do Sul (213). A entidade disponibiliza uma plataforma que lista os equipamentos em falta por cidade e unidade de saúde.

O Conselho Federal de Medicina cobrou dos governos que ofereçam os equipamentos necessários em nota publicada na semana passada. “Exige-se, ainda, que governadores e autoridades sanitárias garantam aos médicos e outros profissionais de saúde a segurança necessária para que possam desempenhar seu trabalho, como  a oferta dos indispensáveis equipamentos de proteção individual (EPIs), leitos hospitalares de retaguarda, unidades de terapia intensiva e ventiladores em número suficiente para atender à demanda”, pontua a entidade no comunicado. A entidade abriu hoje uma plataforma para denúncias de más condições de trabalho.

Fonte: Agência Brasil

Continue lendo
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas