Conecte-se conosco

Cidades

Governador entrega Hospital Solidário para atendimento de casos de coronavírus

Publicados

em

O governador João Azevêdo fez a entrega simbólica, nesta segunda-feira (20), do Hospital Solidário montado no estacionamento do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita. A estrutura já está pronta para atender pacientes com casos moderados ou graves de coronavírus e é a primeira desse porte a ficar totalmente pronta no Nordeste, erguida do zero. 

Para manter o funcionamento da unidade durante os próximos três meses, o Governo do Estado está investindo R$ 17,1 milhões, destinados à aquisição de equipamentos e insumos, pagamento do funcionalismo e locação de estrutura. O Hospital Solidário disponibiliza 130 leitos de enfermaria e está a 50 metros do Hospital Metropolitano, que reservou 53 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para atender os casos mais graves, além de disponibilizar o Centro de Diagnóstico por Imagem (CDI). Já o atendimento será feito pelos 780 profissionais de Saúde aprovados em Processo Seletivo realizado pela gestão estadual em caráter emergencial devido à pandemia. 

O governador João Azevêdo destacou que a localização estratégica do Hospital Solidário será decisiva para a realização de um atendimento eficaz. “Essa localização do hospital tem a ver com a estrutura já montada no Hospital Metropolitano para que a gente possa dar um apoio rápido e prestar a melhor assistência pública à população”, disse. 

O secretário de Saúde, Geraldo Medeiros, afirmou que os 130 leitos entregues nesta segunda-feira integram o Plano de Contingência elaborado pelo Governo do Estado para o enfrentamento da Covid-19. “O Hospital Solidário tem o objetivo de resguardar ainda mais essa estrutura de leitos hospitalares que foi montada desde o final de fevereiro e que tem o objetivo de atender os pacientes que, porventura, apresentarem  quadros moderados de coronavírus e os que precisarem de UTI serão remanejados para o Hospital Metropolitano, observando que esses pacientes serão encaminhados para o Hospital Solidário por meio da nossa Central de Regulação Estadual”, explicou. 

O diretor geral do Hospital Metropolitano, Antônio Pedrosa, destacou que a escala de plantão já está organizada para prestar os atendimentos. “Nós já temos médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e fisioterapeutas prontos para atender a população que precisar e vamos disponibilizar toda a nossa estrutura assistencial e administrativa, o que otimiza custos e tempo, sendo muito importante nesse momento. Além disso, tomamos todos os cuidados, com a implantação de barreiras químicas e físicas, para proteger as áreas do Hospital Metropolitano, onde serão mantidos os atendimentos de neurologia e cardiologia”, falou. 

Hospital Solidário – A estrutura metálica, com cobertura lonada foi montada numa área de 2.490 m². O hospital de campanha atenderá pacientes com casos diagnosticados para o coronavírus, moderados a graves, vindos de todos os 223 municípios paraibanos, por meio de regulação, ou seja, a comunicação entre hospitais para informar onde há leitos disponíveis, facilitando e agilizando o atendimento. Se o caso for grave ou moderado, fica no próprio Hospital Solidário. Se for gravíssimo, deverá ser encaminhado para o Metropolitano. 

O Hospital Solidário possui três eixos: amarelo (pacientes que apresentam sintomas leves, mas que precisam de internação), vermelho (pacientes com diagnóstico confirmado para a Covid-19, mas que ainda não precisam de intubação) e verde (pacientes com melhora clínica e perto de receber alta), oito postos de enfermagem, áreas de descontaminação, áreas de repouso e relaxamento para os profissionais de Saúde e salas de videoconferência e de decisão clínica. 

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) também tem contribuído com a manutenção do Hospital Solidário, fazendo a doação diária de 1,5 mil copos de água.

Paraiba.pb

Cidades

Guarabira: morre o professor Antônio Souza vítima de infarto, aos 59 anos

Publicados

em

Morreu nesse domingo, 13/6, vítima de um infarto do miocárdio, o professor, historiador, escritor e bacharel em Direito, Antônio José Souza. Ele tinha completado 59 anos de idade no dia anterior.

Segundo informações que colhemos, professor ‘Toinho’, como carinhosamente era conhecido por pessoas mais próximas, estava acometido de uma infecção generalizada e o seu quadro se agravou, sendo levado até UPA de Guarabira, onde teve um infarto e faleceu.

Antônio José de Souza nasceu em Guarabira, em 12 de junho de 1962, era casado com Suely Ferreira com quem teve uma filha de nome Yara Hermínio. Ele também é irmão do radialista e cronista esportivo Gilberto Souza.

Professor Toinho é autor do livro de poemas intitulado ‘Nem tudo que rima é poesia’ e do livro ‘O pássaro que come peixe’, que trata, de forma perspicaz, da história de cada campanha eleitoral que envolve Guarabira; folhoso que passava periodicamente por novas edições para devida atualização dos novos fatos político partidário e das novas eleições realizadas na cidade de todos os guarabirenses.

Souza também escrevia artigos para jornais locais, sendo suas últimas crônicas e opiniões, especialmente, sobre a política partidária postadas no website PLUGADOS NA NOTÍCIA, noticioso, o qual, seu editorial fica imensamente honrado por ser escolhido por Toinho para difundir seus ricos pensamentos por meio da escrita digital.

O signatário desta revista on-line se solidariza com os familiares e amigos do professor Antônio Souza pela dor da perda, desejando ao mesmo que o Divino Mestre do Universo, tenha a sua boa alma em um bom lugar.

O velório do professor Toinho acontece em sua residência, na Rua do Arame. Ele foi sepultado no cemitério central de Guarabira, às 8h30.

Plugados na Notícia

Continue lendo

Guarabira

Prefeitura orienta a população a evitar soltar fogos e acender fogueiras neste período

Publicados

em

Foto: Pixabay/ilustração

A Prefeitura de Guarabira está orientando a população por meio de suas redes sociais para que evite soltar fogos e acender fogueiras nesse mês de junho, mais uma vez, devido ao enfrentamento da pandemia de coronavírus, evitando assim, além das aglomerações desnecessárias, o agravamento de casos existentes que, independente da pandemia, lotam os hospitais devido a crise de pessoas com doenças respiratórias, queimaduras e outros atendimentos decorrentes deste período.

Além desta problemática, as pessoas acometidas da COVID-19 pode ter o quadro de saúde seriamente agravado por causa da fumaça inalada.

FESTAS JUNINAS 

As festas juninas são típicas da região Nordeste, de tradição religiosa e com forte influência dos Portugueses, os festejos atraem milhares de pessoas e alavanca o turismo regional, sendo uma das características marcantes, em algumas cidades, o acender das fogueiras principalmente na noite do dia 23, véspera da data que marca o dia de São João Batista.

Este é o segundo ano de intensificação desta campanha, em virtude da pandemia de coronavírus, diversas cidades devem também recomendar a proibição de acender fogueiras, com o intuito de ajudar no combate à disseminação da doença e suas consequências, principalmente respiratórias.

“Aqui em Guarabira, nós estamos recomendando a todos que não acedam fogueira novamente este ano, sabemos da tradição, do respeito que muitos tem pela data, mas vivenciamos um período atípico onde mais que tradição, devemos ter respeito pelo próximo, sobretudo por aquelas pessoas acometidas da COVID-19, que ataca principalmente o sistema respiratório, devemos ter cuidados com nossa população de risco, que podem ter crise com as fumaças e precisarem ir para os hospitais, que neste período estão cheios devido a pandemia”, destaca o prefeito Marcus Diôgo.

LEGISLAÇÃO PARA A PROIBIÇÃO DE FOGUEIRAS DURANTE A PANDEMIA

Em 2020, foi sancionada a Lei Estadual 11.711/20, que dispõe sobre a proibição de acender fogueiras em espaços urbanos em todas as cidades do Estado, enquanto perdurar a pandemia causada pelo novo coronavírus (COVID-19). Vale ressaltar que o não cumprimento da determinação, segundo a norma, implicará ao infrator a imposição de multas por parte dos órgãos públicos competentes, no valor de 10 (dez) UFR-PB, aplicada em dobro em caso de reincidência.

Codecom/PMG

Continue lendo

Cidades

Areia, Bananeiras e Pirpirituba lideram ranking de vacinação no Brejo paraibano

Publicados

em

O Governo do Estado da Paraíba divulgou a nota informativa número 28, onde está contida avaliação da vacinação contra a Covid-19 pelos municípios paraibanos. Entre os municípios do Brejo paraibano que lideram o ranking, aparecem: Pirpirituba com 92,94%, Areia com 83,47% e Bananeiras com 82,13%. Entre os últimos municípios do ranking ficaram Dona Inês com 70,90%, Araruna 64,90% e Guarabira em último lugar com 63,57%.

Veja o ranking:

1º PIRPIRITUBA 92,94%

2º AREIA 83,97%

3º BANANEIRAS 82,13%

4º SERRARIA 80,81%

5º CACIMBA DE DENTRO 77,42%

6º SOLÂNEA 76,00%

7º BORBOREMA 75,69%

8º REMÍGIO 73,93%

9º CASSERENGUE 73,32%

10º BELÉM 73,21%

11º ARARA 71,42%

12º CAIÇARA 71,31%

13º DONA INÊS 70,90%

14º ARARUNA 64,90%

15º GUARABIRA 63,57%.

Portal Correio

Continue lendo
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas