Conecte-se conosco

Cidades

Vacinação de adolescentes: MPs orientam municípios a adotarem técnicas de planejamento para que grupos prioritários não sejam prejudicados

Imunização de adolescentes sem comorbidades só pode ocorrer se houver vacina suficiente. Gestores devem assumir responsabilidade de eventuais falhas na organização

Publicados

em

Em reunião virtual realizada nesta segunda-feira (20), representantes do Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Trabalho (MPT) e Ministério Público da Paraíba (MP/PB) orientaram gestores que, ao optarem por vacinar adolescentes sem comorbidades, adotem técnicas de organização e planejamento, a fim de que grupos prioritários não sejam prejudicados. Na ocasião, foi esclarecido que adolescentes sem comorbidades podem ser imunizados, desde que haja doses suficientes para garantir a vacinação completa de adolescentes com deficiências permanentes ou comorbidades, gestantes e puérperas e os privados de liberdade, além de todas as pessoas maiores de 18 anos, incluindo as doses de reforço dos idosos.

No encontro, os membros do MPF esclareceram que a atuação do Ministério Público é pautada na legalidade e equidade. Esclareceu que a posição do Ministério Público Federal é a de que deve ser seguida a ordem do PNI, de acordo com recomendação do órgão, por meio do Gabinete Integrado de Acompanhamento da Epidemia Covid-19 (Giac) da Procuradoria-Geral da República, com o avanço em caso de baixa procura e superestimativa de grupos, e aplicação a adolescentes sem comorbidades apenas em último lugar.

“Os gestores podem seguir a ordem até adolescentes sem comorbidades se tiverem vacinas para isso, contudo, devem assumir a responsabilidade de eventuais falhas na organização e planejamento, pelo que devem pautar as ações de forma a não prejudicar outros grupos, que são prioritários, com busca ativa e reserva de doses para grupos específicos, devendo haver diálogo entre os municípios para não haver grande discrepância”, destacaram os membros do MPF. O Ministério Público Federal também alertou para a necessidade de prudência por parte dos gestores, “pois pode haver mudanças nas diretrizes do Ministério da Saúde e na remessa de doses”.

Representante do MP/PB pontuou que a última nota técnica do Ministério da Saúde carece de fundamentação adequada para suspender a vacinação de adolescentes sem comorbidades, de forma que devem ser respeitados os documentos anteriores, com um escalonamento, começando a vacinação em idades decrescentes.

Busca ativa – Ainda na reunião desta segunda, os procuradores do MPF reforçaram a necessidade de controle documental acerca da busca ativa dos não vacinados para primeira dose e segunda dose, maiores de 18 anos. Rememoraram que o Ministério Público recomenda há tempos que os cidadãos assinem documentos que comprovem a atuação dos agentes de endemias e comunitários de saúde. Também ressaltaram a necessidade de o município de João Pessoa registrar documentalmente o trabalho de busca ativa, conforme acordado judicialmente.

Vacinação domiciliar e monitoramento – Segundo o Ministério Público Federal, é fundamental que os municípios paraibanos realizem vacinação domiciliar para aqueles com dificuldade de locomoção: idosos, pessoas com deficiência, entre outros. É necessário, ainda, que os municípios paraibanos realizem o monitoramento e avaliação constante dos não vacinados contra a covid-19, tanto com a primeira dose como para a segunda dose, visando o alcance da meta de cobertura, a aceitabilidade da vacina e a oportuna identificação das necessidades de novas intervenções para conseguir atingir toda a população acima de 18 anos.

Orientação aos gestores – A presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde da Paraíba (Cosems) informou no encontro desta segunda-feira que solicitará reunião com todos os gestores municipais para orientá-los de acordo com os pontos levantados pelo Ministério Público, alertando para a necessidade de priorizar outros grupos e abrir para os adolescentes de forma escalonada de acordo com a idade de maneira uniforme, iniciando a vacinação de adolescentes sem comorbidades de 17 e 16 anos.

Atuação conjunta – Desde março de 2020, os três ramos do Ministério Público na Paraíba (MPF, MPT e MP/PB) trabalham no sentido de minimizar os efeitos da pandemia no estado. A atuação é baseada em diretrizes de integração emanadas do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Confira ata da reunião

Assessoria de Comunicação/MPF-PB

Rate this post

Guarabira

Desportiva Guarabira vence o Alvorada-PB por 3 a 0 com foco na segundona

Publicados

em

Foto: Reprodução/ 10faixaEsportes/ Youtube

Com o foco na 2ª Divisão do Campeonato Paraibano, a Desportiva Guarabira venceu mais um amistoso, jogando no estádio Silvio Porto contra o Alvorada da cidade de Juarez Távora. O placar foi 3 a 0 para o Azulão do Brejo.

Nos últimos dias de ajustes para estrear na segundona, foi mais um importante momento de o professor Betão analisar o desempenho dos seus comandados.

A Desportiva Guarabira estreia na competição estadual fora de casa, diante do Internacional-PB. Ainda não há data oficial da partida, que será divulgada pela FPF – Federação Paraibana de Futebol.

Do Plugados

Rate this post
Continue lendo

Cidades

Itapororoca tem o primeiro abacaxi orgânico certificado da Paraíba

Publicados

em

Fotos: Reprodução

A cidade que sempre foi destaque nacional na produção de abacaxi tem mais um motivo de orgulho ao ter em sua área, a primeira produção de abacaxi com selo orgânico do Estado e uma das primeiras do Brasil.

O Sítio São José, recebeu o selo de produção orgânica após dois anos de mudança do sistema convencional, e poderá comercializar em toda região nacional com um produto saudável, nobre e de alto valor de mercado. A comercialização iniciará apenas em 2022 mas já tem lista de espera para compra.

A produção orgânica não utiliza agrotóxicos e nem adubos químicos, sendo tudo feito com soluções naturais, microorganismos e técnicas de manejo diferenciadas, além de promover a preservação do meio ambiente e a redução dos impactos na natureza.

Itapororoca está inserida no Arranjo Produtivo da Abacaxicultura do Estado sendo protagonista enquanto atividade econômica com relevante geração de empregos e renda.

BlogChicoSoares

Rate this post
Continue lendo

Cidades

Saúde de Guarabira vacina adolescentes a partir de 12 anos sem comorbidades

O menor deve se dirigir ao local de vacinação munido dos documentos solicitados e acompanhado dos pais ou responsável.

Publicados

em

Após o recebimento de uma remessa de vacina Pfizer nesta quarta-feira (20/10), para primeira dose, a Secretaria de Saúde através da Coordenação de Epidemiologia e Imunização informa que, a vacinação para adolescentes sem comorbidades será retomada na manhã desta quinta-feira, com uma excelente novidade; avançando para 12+. 

O menor a ser vacinado deve se dirigir ao local de vacinação munido de CPF, RG, cartão do SUS e comprovante de residência. Bem como, acompanhado dos pais ou responsável. 

A atividade acontece no auditório da própria Secretaria, das 8h30 às 11h e das 13h30 às 16h30 – de segunda a quinta-feira, e na sexta, até às 11h. 

No mesmo local também segue sendo aplicada a primeira dose para adolescentes 12+ com comorbidades e para adultos de 18 a 59 anos (remanescentes), além da segunda dose da AstraZeneca para quem está concluído o esquema vacinal. Já a segunda dose da Pfizer ainda não se encontra disponível, por enquanto.

Codecom

Rate this post
Continue lendo
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas