Conecte-se conosco

Saúde

Paraíba Pet: Castra Móvel atende 400 animais em dois meses da ação itinerante

Publicados

em

O Programa Paraíba Pet, disponibilizado pelo Governo do Estado, por meio da Gerência Operacional de Políticas da Causa Animal, já atendeu, em dois meses de atuação, cerca de 400 animais entre cães e gatos. A ação tem o objetivo de evitar a superpopulação de animais de rua e a proliferação de zoonoses. O Castra Móvel do programa já percorreu cidades de várias regiões da Paraíba garantindo o acesso a um serviço veterinário essencial.

Nesta semana, os atendimentos são oferecidos na Rua Maria Gonçalves de Melo, 357, Novo Bodocongó, em Campina Grande. As castrações começaram no dia 3 de maio, na “Feira de Serviços: Aqui Tem Mais Saúde”, na cidade de Cuité, seguindo a agenda do “Cidadania Democrática”, evento que ocorre antes das plenárias do Orçamento Democrático Estadual (ODE) e que atende pessoas das cidades-sede e de municípios adjacentes.

Anúncio


Além de Campina Grande, foram contempladas com os serviços as cidades de Cajazeiras, Sousa, Guarabira, Mamanguape, Princesa Isabel, Monteiro, Itaporanga, Pombal e Catolé do Rocha.

O atendimento é dirigido aos cães e gatos de ONG’s de defesa animal, protetores independentes e famílias em situação de vulnerabilidade social, que realizaram um cadastramento através do formulário eletrônico disponibilizado pela Gerência Operacional da Causa Animal que possui sede regionais em João Pessoa e em Campina Grande.

Campina Grande – Na Rainha da Borborema, o Castra Móvel já percorreu as comunidades do Complexo Habitacional Aluizio Campos, Três Irmãs e do Distrito de São José da Mata para atender animais de tutores que moram distante do centro urbano, como é o caso de Emília da Silva que trouxe seu pet para ser castrado no Conjunto Acácio Figueiredo. “Foi muito bom que vocês vieram pra cá, já que é difícil da gente ir até outros bairros. Gostei muito”, elogiou.

A dona de casa Rosane Sousa também teve seu animal castrado e destacou a importância da ação. “É muito bom ter esse programa aqui pois castração é um ato de amor. Eu não gosto que ele saia daqui de dentro de casa, mas de vez em quando consegue sair na calçada e por aqui tem muitos animais soltos. Eu só estava esperando por essa oportunidade para castrar o meu”, contou.

A gerente regional da causa animal em Campina Grande, Waléria Assunção, falou sobre o papel do Castra Móvel dentro das ações do Paraíba Pet. “O cuidado com os animais em situação de rua é uma questão de saúde pública e no programa temos ações prioritárias de sensibilização sobre questões relacionadas à saúde animal, educação e a posse responsável, mas diante da necessidade do controle da população animal, concentramos os esforços neste momento, nas castrações, que são fundamentais para a promoção do bem-estar dos animais na Paraíba”.

Ainda de acordo com Waléria Assunção, o serviço consegue alcançar áreas mais vulneráveis. “O Castra Móvel é uma das ações do Paraíba PET, junto ao trabalho educativo que iniciamos e será ampliado para que, no futuro, a castração seja um complemento, dentro da cultura de convivência harmoniosa entre animais humanos e não humanos, através da oferta de outros serviços de saúde, como vacinação e tratamento de doenças”, explicou.

Rate this post
Anúncio


Apoio

Saúde

Funad disponibiliza aulas de Biodança para famílias de usuários com Transtorno do Espectro Autista

Publicados

em

Foto: Divulgação

A Fundação Centro Integrado de Apoio à Pessoa com Deficiência (Funad) ampliou os serviços oferecidos na Sala Te Acolher, criada para atender às famílias de usuários com autismo. O espaço conta agora com uma nova ferramenta: aula de Biodança, método vivencial que visa promover os potenciais saudáveis da pessoa, através de encontros em grupos, mediados pela música e pela dança.

O objetivo do serviço, que é um anexo da Coordenadoria de Atendimento à Pessoa Autista, é servir de espaço de reforço ao atendimento dos pais e responsáveis das pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), com acolhimento humanizado e terapêutico. A Biodança é uma parceria da Funad com a UFPB e é aplicada pela professora Sandra Barbosa.

Anúncio


A aceitação da nova modalidade oferecida às famílias na Sala Te Acolher tem sido muito proveitosa. Enquanto os filhos são atendidos nas terapias, as famílias praticam a Biodança.

Para Rosângela Bernardo, mãe de Arthur Bernardo, de 7 anos, usuário da Funad, diante dos desafios diários, esse é um momento importante, porque assim, ela também se sente cuidada.  “Aqui reponho as energias, aprendo a encontrar equilíbrio e me sinto cuidada, protegida”.

Para Maria das Dores Pereira, mãe de Gabriel Pereira, ao participar da aula ela sai renovada. “Saio leve, alegre, esqueço ao menos por uns minutos da vida e meu filho também participa. Fico solta, entro no clima e adoro esses momentos”, destacou.

Segundo a professora Sandra Barbosa, a Biodança é uma prática integrativa que ao utilizar os movimentos da dança promove o relaxamento, estimula a criatividade e o autoconhecimento. “Também promove o diálogo não verbal entre os participantes, o olhar e o toque e seus efeitos terapêuticos e benéficos, sobretudo para essas famílias que chegam aqui sobrecarregadas, cansadas, com emoções reprimidas e que, na Biodança, se entregam ao relaxamento e saem refeitas para enfrentar novos desafios”. As aulas ocorrem sempre na terça-feira e são voltadas apenas para famílias de autistas, nos horários das terapias deles.

PB Agora

Rate this post
Anúncio


Continue lendo

Saúde

Julho Amarelo: Saúde de Guarabira realiza ações de conscientização sobre as hepatites virais; veja programação

Publicados

em

Foto: Reprodução

A Prefeitura de Guarabira por meio da sua Secretaria de Saúde deu início as ações alusivas à Campanha Julho Amarelo, mês de conscientização sobre as hepatites virais. A abertura das atividades aconteceu na manhã desta quarta-feira (10/7), na UBS Cordeiro, com uma palestra sobre o tema, para usuários, efetivada pelo médico da unidade, Dr. Thalles Viegas. 

Uma vasta programação elaborada em parceria pelas coordenações de ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis) e Atenção Primária à Saúde, respectivamente, traz diversas atividades, como palestras sobre o tema, Dia D de testes rápidos nas UBS e Seminário de Prevenção às Hepatites. 

Anúncio


Veja a programação detalhada

  • Quarta, 10/7, às 8h – UBS Cordeiro – Palestra com Dr. Thalles 
  • Quinta, 11/7, às 14h – UBS São José – Palestra com a Dra. Rayana
  • Terça, 16/7, às 8h – UBS Mutirão – Palestra com a Dra. Dayse.
  • Quarta, 17/7, às 8h – UBS Juá e Nações – Palestra com o Dr. Alisson
  • Quinta. 18/7, das 8h às 11h – Em todas as UBS – Dia D de testes rápidos para hepatites virais.
  • Segunda, 29/7, às 8h – Auditório do Complexo Municipal de Saúde – Seminário de Prevenção às Hepatites Virais – Palestrantes: Dra. Elizany e Dr, Thalles.

Julho Amarelo – O Julho Amarelo é uma campanha de conscientização sobre as hepatites virais promovida pelo Ministério da Saúde do Brasil

Hepatites virais – São infecções que atingem o fígado, causando alterações leves, moderadas ou graves. Na maioria das vezes são infecções silenciosas, ou seja, não apresentam sintomas. Entretanto, quando presentes, podem se manifestar como: cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

No Brasil, as hepatites virais mais comuns são causadas pelos vírus A, B e C. Existem ainda, com menor frequência, o vírus da hepatite D (mais comum na região Norte do país) e o vírus da hepatite E, que é menos frequente no Brasil, sendo encontrado com maior facilidade na África e na Ásia. 

As infecções causadas pelos vírus das hepatites B ou C frequentemente se tornam crônicas. Contudo, por nem sempre apresentarem sintomas, grande parte das pessoas desconhecem ter a infecção. Isso faz com que a doença possa evoluir por décadas sem o devido diagnóstico. O avanço da infecção compromete o fígado sendo causa de fibrose avançada ou de cirrose, que podem levar ao desenvolvimento de câncer e necessidade de transplante do órgão.

Plugados

Rate this post
Anúncio


Continue lendo

Cinema

Cuidando das emoções: o que ‘Divertida Mente 2’ nos ensina sobre saúde mental

Publicados

em

Foto: Disney/Pixar / Reprodução.

Raiva, inveja, alegria, tristeza, ansiedade, nojo, vergonha, tédio e medo. Esses sentimentos podem estar presentes no dia a dia das pessoas e mostram que gerir as emoções é uma habilidade vital para manter a saúde mental e o bem-estar. O assunto está em evidência, pois é o tema central do filme ‘Divertida Mente 2’, que ilustra de forma lúdica e educativa a complexidade das sensações humanas, reforçando a mensagem de que todas têm um papel importante em nossas vidas. 

A neuropsicóloga Jessyca Gabriella César Silva, da Hapvida NotreDame Intermédica, destaca a importância de reconhecer e lidar com as emoções e alerta que negá-las ou reprimi-las pode levar a problemas, como ansiedade, depressão e transtornos de humor. 

Anúncio


“Compreender nossas emoções é essencial para promover uma saúde emocional positiva. Quando reconhecemos e avaliamos nossos sentimentos, somos capazes de lidar com eles de maneira saudável e construtiva”, frisou. 

A especialista chama atenção para a necessidade de não reagir no calor da emoção, seja ela positiva ou negativa. Ela recomenda que é importante parar e respirar; e ensina um exercício: você pode contar até 10, tomar um gole d’água ou apenas respirar profundamente, utilizando técnicas como a respiração diafragmática. 

“O processo de parar, respirar, observar e então responder permite que você possa agir de uma outra forma que não seja por impulso. Isso traz inteligência às suas emoções: seja raiva, tristeza, frustração ou tantas outras, você passa por esse processo para assim reagir de uma maneira consciente, evitando arrependimentos”, explica. 

Sobre a tristeza, Jessyca afirma que esse é um sentimento comum, mas, quando se torna persistente, afetando o bem-estar mental, surge a necessidade de compreender e abordar suas raízes. 

A inveja, que também aparece em ‘Divertida Mente 2’, pode estar associada à baixa autoestima e à dificuldade de reconhecer o próprio valor. “Saber como lidar com a inveja significa entender que as emoções negativas se manifestam em qualquer pessoa, mas que elas não determinam sua maneira de agir diante das situações. Desse modo, é possível se policiar, dar mais atenção aos seus sentimentos e traçar alternativas para se livrar do que gera incômodos”, orienta a profissional. 

Outro fato interessante é que no filme a raiva e a ansiedade não têm nariz, e a teoria é que são emoções que mexem com a respiração. Conforme a neuropsicóloga, a raiva surge ao enfrentarmos obstáculos percebidos como hostis, enquanto a ansiedade se manifesta em situações de incerteza. Técnicas de controle respiratório são eficazes para gerir essas emoções, ajudando a tomar decisões mais ponderadas e evitando reações impulsivas.

Ascom/Hapvida

Rate this post
Anúncio


Continue lendo
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas