Conecte-se conosco

Cidades

Horário de verão começa à zero hora deste domingo

Foto: Ilustração

Publicados

em

O horário de verão terá início na madrugada deste domingo (4), mesmo dia de aplicação da primeira etapa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). À meia-noite de hoje (3), os brasileiros das regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul, que abrangem dez estados e o Distrito Federal, devem adiantar o relógio em uma hora.

Com a vigência do horário especial, o Brasil terá quatro fusos diferentes, uma vez que os estados das regiões Norte e Nordeste permanecerão no horário normal. O ministro da Educação, Rossieli Soares, em entrevista coletiva na última quarta-feira (31) fez um alerta aos estudantes que vão fazer as provas do Enem para que fiquem atentos aos horários. Ele disse que acionou as instâncias responsáveis para que as operadoras não errem na atualização dos relógios, como ocorreu há duas semanas.

Em nota, o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil) explicou que a alteração do relógio no último dia 21 não ocorreu nas plataformas de rede das operadoras, e sim em aplicativos externos instalados nos aparelhos, fora do domínio de controle dessas operadoras. A entidade reforçou que o horário das plataformas de rede e serviços segue o calendário oficial e que há monitoramento online nos dias de mudança para garantir que a alteração da hora ocorra conforme o esperado.

As provas aplicadas neste domingo serão: Redação Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias. Os estudantes terão cinco horas e meia para fazer o exame.

Os portões dos locais de realização do exame serão abertos e fechados em horários diferentes nos estados, de acordo com o fuso, tendo como referência o horário de Brasília. Confira a programação preparada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para este domingo:

Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo:

12h – Abertura dos portões
13h – Fechamento dos portões
13h30 – Início das provas
19h – Término das provas

Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe, Tocantins

11h – Abertura dos portões
12h – Fechamento dos portões
12h30 – Início das provas
18h – Término das provas

Amazonas (com exceção de 13 municípios da região sudoeste), Rondônia, Roraima

10h – Abertura dos portões
11h – Fechamento dos portões
11h30 – Início das provas
17h – Término das provas

Acre, Amazonas (13 municípios da região sudoeste: Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Boca do Acre, Eirunepé, Envira, Guajará, Ipixuna, Itamarati, Jutaí, Lábrea, Pauini, São Paulo de Olivença e Tabatinga)

9h – Abertura dos portões
10h – Fechamento dos portões
10h30 – Início das provas
16h – Término das provas

Fonte: Agência Brasil

Cidades

Procedimentos investigativos e lei 13.718/18 pautam 1º Workshop de Psicologia Jurídica no Campus III

Publicados

em

Fotos: Jarbelle Bezerra

Professores, estudantes e especialistas das áreas do Direito e da Psicologia se reuniram, na última quarta-feira (14), no Campus III da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), localizado em Guarabira, para debater a temática “O crime em cena e a lei 13.718/18”. Tratou-se do 1º Workshop de Psicologia Jurídica, uma iniciativa do Centro Acadêmico de Direito Antônio Cavalcante (CADI), com o apoio do Departamento de Direito do Centro de Humanidades (CH).

O evento teve como objetivo abordar questões relacionadas à psicologia investigativa e à criminologia, além de levantar um debate acerca da lei que alterou o rol de crimes contra a dignidade sexual. A programação se estendeu pelos turnos manhã e tarde, sendo composta por palestras e mesas redondas.

A abertura das atividades se deu com a palestra da psicóloga Aline Lobato, intitulada “Psicologia Investigativa: a cena do crime fala – a psicologia escuta”. Apresentando exemplos de análises da psicologia jurídica referentes a crimes nacionais e internacionais, a professora titular dos Departamentos de Psicologia e Direito da UEPB explicou que essa área não deve ser confundida com a psicologia clínica, que se ocupa, segunda ela, de tratar doenças e transtornos. “A psicologia jurídica visa analisar o crime a partir da observação de características e padrões comportamentais peculiares”, relatou a palestrante, que já emitiu pareceres sobre crimes de grande repercussão no Brasil.

Ainda segundo Aline Lobato, a psicologia jurídica se concentra na análise de uma base estrutural que compreende o seguinte cenário: o crime, o criminoso, a cena e a vítima, bem como os padrões comportamentais do suspeito, ou seja, como escolhe sua vítima, o que faz com ela e como deixa a cena do crime.

Sob o tópico “A atuação do delegado de Polícia Civil na apuração dos homicídios dolosos – estudos de casos”, Tatiana Matos, delegada de Polícia Civil do Estado da Paraíba, citou alguns casos de homicídios para traçar uma discussão sobre a atuação da Polícia Civil no pós-crime, alertando sobre os cuidados que se devem ter com o local da ocorrência para que a investigação não sofra quaisquer tipos de interferência. A delegada também demonstrou, com base no artigo 6º do Código de Processo Penal, como procede o trabalho investigativo policial.

“A importância do trabalho investigativo para a redução dos crimes” foi tema da palestra ministrada pelo policial civil Frank Barbosa. Ele se debruçou sobre os papeis desempenhados pelas Polícias Civil e Militar, elencando as competências de cada instância, tendo conferido  ênfase ao fato de que “o papel da Polícia Civil se inicia depois que o crime acontece”. O policial apresentou, ainda, uma abordagem sobre a função de investigador, a qual desenvolve atualmente, trazendo relatos de experiências vivenciadas no dia a dia da profissão.

No turno da tarde, a mesa redonda “As alterações proporcionadas pela lei 13.718/18 e seus impactos no sistema jurídico” ficou a cargo de dois professores do Departamento de Direito do Centro de Humanidades, Vinicius Lúcio e Luiza Rocha. O docente traçou um quadro explicativo para debater os novos tipos penais acerca da dignidade sexual. Na ocasião, ele também discorreu sobre problemáticas que dificultam a elucidação de crimes cibernéticos, apontando a existência de poucas delegacias especializadas nessa área. Já a professora Luiza discorreu sobre uma série de questões, chamando atenção para o crime de estupro enquanto fenômeno sociocultural.

 

Ascom-CH

Continue lendo

Cidades

Câmara de Guarabira aprova título de cidadania para João Azevedo

Publicados

em

Foto: Divulgação

A Câmara Municipal de Guarabira, no Agreste paraibano, aprovou por unanimidade, na sessão ordinária da última terça-feira (13), a concessão do Título de Cidadão guarabirense ao Governador eleito da Paraíba, João Azevedo Lins Filho (PSB). O Decreto Legislativo é de autoria do vereador Renato Meireles (PSB), que justificou a cidadania ao socialista pela atuação que o mesmo teve à frente da Secretaria de Infraestrutura, Recursos Hídricos, MeioAmbiente e da Ciência e Tecnologia na gestão de Ricardo Coutinho.

“A honraria é uma forma de agradecimento aos inúmeros benefícios que João, enquanto secretário, ajudou a trazer para o nosso município e região, juntamente com a nossa maior liderança do Estado, Ricardo Coutinho”, afirmou Meireles, destacando os investimentos na construção do Contorno Rodoviário João Pedro Teixeira, do Condomínio Cidade Madura, da Escola Técnica Estadual, entre outras obras que beneficia também a região.

Renato ainda destacou os 12.499 votos (46,15%) que o ex-secretário de Estado recebeu em Guarabira nas Eleições 2018.

“Guarabira disse que está ao lado do trabalho, ao colocar João em primeiro lugar, e impôs uma derrota histórica a velha política no primeiro turno. Sem contar com uma votação esmagadora nas urnas sufragadas pelos paraibanos, consagrando uma gestão reconhecida nacionalmente”, declarou o vereador líder da bancada Girassóis na Casa Osório de Aquino.

Segundo o parlamentar, uma sessão especial será agendada pela presidência da Câmara, de acordo com a agenda de João Azevedo, para a entrega da honraria.

PERFIL

João Azevedo Lins Filho é brasileiro, casado e nasceu no bairro Cruz das Armas, em João Pessoa, no dia 14 de agosto de 1953. Formou-se em Engenharia Civil pela UFPB em 1979. Em 1980 terminou a pós-graduação em Metodologia do Ensino Técnico; no mesmo ano, assumiu a Diretoria da Divisão de Planejamento Habitacional do IPEP. Dois anos depois tornou-se professor do Instituto Federal de Educação Tecnológica (IFPB). Assumiu a Chefia da Assessoria de Planejamento Econômico da URBAN em 1983. No ano seguinte, assumiu a Coordenação Geral do Programa Cidade de Porte Médio (UAS/CPM). Já em 1986, João assumiu a Secretaria de Serviços Urbanos da Prefeitura de João Pessoa. Em 2003 ocupou o cargo de Secretário de Planejamento da Prefeitura de Bayeux. No ano de 2005 assumiu a Chefia de Gabinete da Sedurb, a Assessoria da Seplan e foi Secretário Adjunto da Secretaria de Habitação. Assumiu a Secretaria de Infraestrutura do Município de João Pessoa em 2007. No primeiro ano de mandato do Governador Ricardo Coutinho, tornou-se Secretário de Recursos Hídricos, Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia do Estado da Paraíba; em 2014, com a reforma política, sua pasta incorporou também a Secretaria de Infraestrutura. Permaneceu na SEIRHMACT até abril de 2018.

Fonte: Portal Midia

Continue lendo

Cidades

IDMP comemora 20 anos no Bairro Clóvis Bezerra. Confira!

Publicados

em

Fotos: brejo.com

A Congregação da IDMP localizada no Bairro Clóvis Bezerra em Guarabira comemorou no último dia 17 de novembro de 2018, 20 anos de ministério. Confira nas fotos a seguir como foi o culto de comemoração.

Do brejo.com

Continue lendo
Apoio

Mais Lidas