Conecte-se conosco

Brejo/Agreste

Festival de Música da Paraíba 2019 divulga ordem de apresentação das 30 canções selecionadas

Publicados

em

Eliminatórias acontecem em Alagoa Grande, no Brejo, no dia 18 de maio, e em Monteiro, no Cariri, dia 25.

II Festival de Música da Paraíba divulgou a ordem de apresentação das 30 canções selecionadas para as eliminatórias da edição do evento este ano. A definição foi feita por meio de sorteio. De acordo com a organização do festival, as eliminatórias acontecem em Alagoa Grande, no Brejo paraibano, no dia 18 de maio, e em Monteiro, no Cariri, no dia 25 do mesmo mês. Em cada etapa do evento, serão apresentadas 15 músicas.

Este ano o evento homenageia o centenário de nascimento do artista paraibano Jackson do Pandeiro, o “Rei do Ritmo”. A final do festival 2019 acontece em João Pessoa, no dia 31 de maio. Serão pagos R$ 20 mil em prêmios, sendo R$ 10 mil para o primeiro colocado, R$ 5 mil para o segundo, R$ 3 mil para o terceiro e R$ 2 mil para melhor intérprete.

A comissão organizadora do evento divulgou a lista com as 30 canções selecionadas para as eliminatórias no dia 28 de março deste ano. O festival é realizado pelo Governo do Estado, por meio da Empresa Paraibana de Comunicação, Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) e Secretaria de Estado da Comunicação (Secom).

Ano passado, o evento prestou homenagem a pifeira paraibana Zabé da Loca. Chico Limeira, que foi o vencedor da primeira edição do festival (1ª colocação e Melhor Intérprete) com a canção “Imprópria”, concorre novamente ao prêmio este ano.

Ordem de apresentação das 30 canções

Em Alagoa Grande, no dia 18 de maio

  1. Tudo o que a estrada dá (Daniela Rezende)
  2. Carta pra Maria (Chico Limeira)
  3. Um ser melhor (Myra)
  4. Brasil Colômbia (Pedro Faissal)
  5. Meus ideais (Mebiah)
  6. No seu lugar (Lucas Barreto e Everton Avelino)
  7. Vou danado pra Campina (Marcos Santos)
  8. Diagnóstico (Fabio Smith e Roberto Araujo)
  9. História de vida 2 (PDR_Poeta do Rap)
  10. Remendos (Ruanna)
  11. Baile de Pandeiro (Xisto Medeiros e Acilino Madeira)
  12. Um coco pra Jackson (Miguel Monteiro)
  13. Tia Ciata (Nara Limeira)
  14. 14. Para além de paracetamóis (Titá Moura)
  15. Balançando a feira (Renan Rezende)

Em Monteiro, dia 25 de maio

  1. Terra a vista (Yanca Medeiros)
  2. Pandeiro (Yuri Gonzaga, Zé Neto e Carlos Henrique)
  3. Maldito (Caique Ferreira)
  4. A vida é sonho (Jéssica Melo e Ari Rodrigues)
  5. Varal de bem querer (Amorim)
  6. Canto protetor (Tiago Sotero)
  7. Meu recado (Wagner Malta)
  8. Apnéia (Cerebraz)
  9. Calamidade (Willames Diniz)
  10. Florescer (Tathy Martins)
  11. Brados do guerreiro (Poeta Alberto Batista)
  12. O que vale? (Nelson Nunes Farias)
  13. Descoberta (Lucas Gaião)
  14. Nordeste Imenso (Raabe Catarine)
  15. Clareou (Jeann Bin)

Fonte: G1 PB

Rate this post

Brasil

Livro de Caiçarense herói da 2ª Guerra Mundial será lançado em Manaus

Publicados

em

Foto: Assessoria

O Brasil participou diretamente das batalhas da 2ª Guerra Mundial com a atuação da Força Expedicionária Brasileira (FEB) na Itália. O caiçarense José Alípio de Carvalho (1917-1995) fez parte desse momento histórico participando da principal campanha brasileira a tomada da região de Monte Castelo, onde sagrou-se herói de guerra. 

O então 2º Tenente Alípio pertencia ao 1º Regimento de Infantaria do Rio de Janeiro. O ato heroico do caiçarense se deu na tentativa de tomada de Monte Castelo em 29/11/1944. Sob forte inverno nos Montes Apeninos, Alípio comandou o avanço do seu pelotão sob um “ninho de metralhadoras” alemães, conquistando assim um ponto de resistência inimiga e fazendo prisioneiros de guerra. Após essa ação, foi atingido na perna por uma granada e, mesmo ferido, seguiu comandando o pelotão até a ordem do capitão para recuarem pois, mesmo eles tendo sucesso naquele ponto, a FEB já contava com muitas baixas naquela tentativa. A conquista de Monte Castelo só se deu em fevereiro de 1945. 

Pelos seus feitos, Alípio recebeu importantes medalhas como a “Cruz de Combate de 1ª Classe”, “Medalha Sangue do Brasil” e a “Silver Star” concedida a pelas Forças Armadas Americanas por extraordinário heroísmo, de 12 mil soldados brasileiros que atuaram diretamente na guerra apenas cerca de vinte conquistaram tal medalha. Por sua militância contra as guerras, foi agraciado também com a “Medalha do Pacificador”. 

Após a participação na guerra, Alípio seguiu com sua carreira militar chegando a Coronel e postumamente elevado a general. Estabelece-se no estado do Amazonas onde, entre outros cargos, chegou a Comandante do Grupamento de Elementos da Fronteira durante a Ditadura Militar, Comandante do 27º Batalhão de Caçadores, Diretor da Caixa Econômica Federal e Coordenador da Superintendência para o Desenvolvimento da Amazônia (SUDAM). Alípio foi responsável pela prisão do então governador do Amazonas Plínio Coelho, fato que repercutiu nacionalmente. O coronel recepcionou em Manaus os presidentes Castelo Branco, Costa e Silva, e Emílio Médici. 

Alípio faleceu em julho de 1995 vítima de insuficiência respiratória.  

O Coronel estava escrevendo suas memórias e agora essas históricas notas biográficas foram organizadas por sua viúva Clio Baraúna de Carvalho e sua sobrinha Márcia Baraúna Pinheiro no livro “Verás que um filho teu não foge à luta”, que será lançado nesse dia 17/10 com apoio do Governo do Estado do Amazonas, no Centro Cultural “Palácio Rio Negro”, em Manaus.  

O pesquisador Jocelino Tomaz, presidente do Grupo Atitude, que há 16 anos promove voluntariamente a leitura e a cultura em Caiçara e região, esteve em Manaus em 2012 a convite da cantora caiçarense Fátima Marques, que tem carreira consolidada na região norte. Jocelino, que planeja escrever um livro sobre os filhos ilustres da sua cidade, buscou contatos e chegou até familiares do coronel Alípio, tendo acesso ao registro de suas memórias, acervo fotográfico, medalhas, etc. além de entrevistar a viúva do mesmo. 

Da redação Brejo.com com Jocelino Tomaz


Rate this post
Continue lendo

Brejo/Agreste

Bananeiras e Solânea entram em colapso no abastecimento de água e contas serão suspensas

Publicados

em

Foto: Reprodução

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) comunica aos clientes de Solânea e Bananeiras que essa será a última semana de abastecimento de água nas cidades, em virtude do esvaziamento da barragem de Canafístula.

O manancial está com apenas 2,16% de sua capacidade, de acordo com o registro feito pela Aesa, no dia 03/09/2021. Diante desse cenário, a empresa informa, mais uma vez, o colapso do abastecimento dessas cidades a partir do mês de setembro de 2021.

Comunica ainda que o faturamento será suspenso a partir deste mês de setembro.

Por fim, a companhia está buscando alternativas de apoiar às prefeituras no enfrentamento à crise, como perfuração de poços, doação de reservatórios e distribuição de água por meio de carros pipas.

Blog do Felipe Silva

Rate this post
Continue lendo

Brejo/Agreste

Ex-gestora do FMS de Alagoa Grande, citada em denúncia do MPPB emite Nota Pública

Confira a NOTA PÚBLICA na íntegra

Publicados

em

Nesta segunda-feira (06), foi publicado nas redes sociais uma NOTA PÚBLICA assinada em nome da ex-gestora do Fundo Municipal de Saúde de Alagoa Grande, Emanuelle da Costa Chaves Trindade, citada em denúncia do Ministério Público de Alagoa Grande na operação Papel Timbrado.

De acordo com o MPPB, a Operação Papel Timbrado foi deflagrada em 2014 com o objetivo de desmantelar organização criminosa composta, notadamente, por empresários (com apoio de auxiliares técnicos [engenheiros e contadores], colaboradores e “laranjas”) e operadores que haviam criado (e vinham se utilizando) empresas “fantasmas” e “de fachada” para fraudar licitações públicas e desviar os recursos delas provenientes.

Confira abaixo a NOTA na íntegra.

Da redação Brejo.com

Rate this post
Continue lendo
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas