Conecte-se conosco

Policial

UNINTELPOL: Da maconha apreendida em Campina à caça ao estuprador de Queimadas

Publicados

em

A Unidade de Inteligência Policial (Unintelpol) da Polícia Civil da Paraíba, que vem norteando grande parte das operações de maior impacto em todo o estado, teve mais uma importante participação na apreensão de quase 60kg de maconha em Campina Grande, na noite de quinta-feira, 30. A droga foi apreendida pela Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DRACO) e o Grupo de Operações Especiais (GOE), com o apoio da Polícia Rodoviária Federal.

O entorpecente estava na mala de um veículo que vinha do estado de Pernambuco. Os traficantes pretendiam levar a droga até João Pessoa, mas foram interceptados em Campina Grande. Dois investigados foram presos em flagrante e conduzidos à Central de Polícia Civil.

Anúncio


Investigar…

A Unintelpol é a essência de uma polícia investigativa, especialmente nos casos que apresentam maiores desafios na investigação, como, por exemplo, a captura do mentor da chamada “Barbárie de Queimadas”, em março deste ano, no Rio de Janeiro. Ele foi localizado pela Unintelpol e preso pelas ‘mãos’ da DRACO, com apoio da PCRJ. 

E Proteger

A sensação de proteção, no entanto, se revela quando as equipes ostensivas completam esse trabalho. É onde entram em cena os grupos especializados em ações táticas, operações especiais e abordagens de risco. É a ‘cereja do bolo’; o desfecho de uma investigação que pode durar semanas, meses ou anos. 

Investigar para Proteger

O trabalho da Polícia Civil obviamente não se limita aos núcleos/setores mencionados (a instituição é bem mais ampla). A apreensão desses quase 60 quilos de maconhada tomados como ‘exemplo’ é apenas para mostrar que a PCPB investiga para proteger. 

Dentro ou fora do estado; e nos diversos tipos de crimes que estão sob sua alçada. 

Ascom

Rate this post
Anúncio


Policial

Polícias Militar e Civil prendem quatro suspeitos com duas armas de fogo em Sapé

Publicados

em

Nesta quinta-feira (20), policiais militares da 9ª Companhia Independente, juntamente com policiais civis da Delegacia de Polícia Civil de Sapé, deflagraram uma operação integrada, conseguindo efetuar a prisão de quatro suspeitos e de duas armas de fogo e munições, fato ocorrido em Renascença, na zona rural de Sapé.

Juntamente com a prisão dos suspeitos, que respondem por crime de tentativa de homicídio, foram apreendidos os seguintes materiais: dois revólveres de calibre 38 e mais 40 munições intactas também de calibre 38. Diante dos fatos, os indivíduos foram devidamente presos e os materiais mencionados foram apreendidos.

Anúncio


Adotados os procedimentos cabíveis, os suspeitos e as armas de fogo e munições foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil para medidas legais.

Ascom com informações da 9ª CIPM.

Rate this post
Anúncio


Continue lendo

Policial

Polícia Civil, Gaeco e Seap realizam maior operação policial da Paraíba até o momento

Publicados

em

Grupos criminosos que tentam se estabelecer em território paraibano sentiram nesta quarta-feira, 19 de junho, o impacto da maior operação policial já realizada este ano na Paraíba. Trata-se da Operação Renita, que prendeu 32 pessoas envolvidas com homicídios, crimes patrimoniais e tráfico de drogas. A investigação é da Polícia Civil da Paraíba e teve o apoio do Ministério Público, por meio do GAECO, da Secretaria da Administração Penitenciária (SEAP) e da Polícia Civil do Rio de Janeiro.

As investigações tiveram início há mais de um ano, com a identificação de ações criminosas provocadas por facções dos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro aqui na Paraíba. A Polícia Civil, por meio da Unintelpol/PCPB, começou a investigar integrantes com poder de comando dessas organizações criminosas, trabalho que resultou em 38 mandados de prisão e 50 mandados de busca e apreensão, expedidos pela justiça.

Anúncio


Os alvos na Paraíba, criteriosamente analisados durante as investigações, foram identificados nas cidades de João Pessoa, Bayeux, Santa Rita, Cabedelo e Gurinhém. Alguns deles também foram monitorados no Rio de Janeiro, cujos mandados judiciais ficaram a cargo da Polícia Civil carioca. De acordo com o delegado-geral da PCPB, André Rabelo, esta foi a maior operação policial de repressão qualificada realizada este ano na Paraíba. 

“Podemos classificar, sem sombra de dúvidas, como uma operação espetacular, com o objetivo alcançado. Há mais de um ano que a Polícia Civil vem monitorando esses grupos, identificando seus líderes e coletando provas técnicas para que o Poder Judiciário possa expedir os mandados judiciais. Não é um trabalho fácil, mas quando atuamos de forma conjunta, com o apoio do GAECO e da Secretaria da Administração Penitenciária, o desfecho da missão tende a ser mais exitoso, como foi neste caso”, disse André Rabelo.

100 quilos 

Durante as diligências, os policiais apreenderam mais de 100 quilos de drogas, entre maconha, cocaína e haxixe. Duas pistolas e um revólver também foram apreendidos e serão periciados pelo IPC da Polícia Civil, trabalho que poderá apontar autores de crimes de homicídio cometidos na Paraíba ou até mesmo fora do estado.

Presídios

O secretário da Administração Penitenciária, João Alves, disse que o sistema prisional não pode tolerar que, apesar de longe do convívio social, criminosos ainda influenciem em atos violentos nas ruas. “Estou momentaneamente assumindo o cargo de secretário de Estado, mas sou e continuarei sendo delegado de Polícia Civil. No que depender da nossa Pasta, operações como esta irão se repetir quantas vezes for necessário”, declarou João Alves, que colaborou nas investigações dos alvos que se encontram recolhidos em unidades prisionais. 

Zelo na investigação

O promotor Daniel Dal Pont, do Gaeco, destacou a forma como a investigação foi conduzida até a operação chegar ao seu desfecho. “É preciso mencionar os bastidores desse trabalho; os cuidados que foram tomados; a identificação correta das pessoas e dos locais a receberam a intervenção policial. Foi, de fato, um trabalho muito bem executado pelos atores envolvidos”, frisou o promotor.

Investigar e Proteger

A Polícia Civil continua investigando ramificações dessas organizações criminosas, para a deflagração de mais operações policiais como esta. “Desta magnitude ou até maior. O futuro dirá”, concluiu o delegado-geral André Rabelo.

Sigilo total

A PCPB dispõe do site https://197.pc.pb.gov.br/ A ferramenta possibilita o envio de textos, vídeos e imagens que possam contribuir com as investigações, além do Disque-Denúncia 197. Em qualquer das opções, o usuário não precisa se identificar. O sigilo é absoluto.

Ascom

Rate this post
Anúncio


Continue lendo

Policial

Acusados de estelionato, roubo, tráfico e porte de arma são presos em JP

Publicados

em

Sete foragidos da Justiça que estavam sendo procurados por diversos crimes como estelionato, roubo, tráfico e outros delitos foram presos na noite da última terça-feira (18) em bairros de João Pessoa. As prisões foram realizadas pela Polícia Militar através da Força Regional e Força Tática do 5º Batalhão.

Os acusados foram localizados nos bairros da Torre, Mangabeira, Bancários e Esplanada. Segundo as unidades operacionais que realizaram as prisões, os acusados possuíam mandados em aberto e ordens de busca e apreensão expedidos pela Justiça. Os foragidos foram encontrados durante rondas e abordagens policiais.

Anúncio


Presos, os acusados seguem a disposição da Justiça para o devido cumprimento das penas e medidas socioeducativas.

Ascom

Rate this post
Anúncio


Continue lendo
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas