Conecte-se conosco

Saúde

Varíola dos macacos: com 813 casos, Brasil tem situação “preocupante”

É o que diz a OMS. Ministério da Saúde diz que já tomou todas as medidas necessárias.

Publicados

em

Pixabay/ ilustração

O Brasil tem 813 casos confirmados da varíola dos macacos (monkeypox), segundo dados do Ministério da Saúde. Nesta terça-feira (26), a líder técnica da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a doença, Rosamund Lewis, disse que a situação no país “é muito preocupante” e que os casos podem estar subnotificados por não haver testes suficientes à disposição. 

“É importante que as autoridades também tomem conhecimento da emergência de saúde pública e de interesse internacional, das recomendações e tomem as medidas adequadas”, declarou. Ela também disse que o surto pode ser interrompido com “estratégias certas nos grupos certos”. “Mas o tempo está passando e todos precisamos nos unir para que isso aconteça”, acrescentou.

Anúncio


No sábado (23), o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, anunciou que a varíola dos macacos configura emergência de saúde pública de interesse internacional. “Temos um surto que se espalhou rapidamente pelo mundo, através de novas formas de transmissão, sobre as quais entendemos muito pouco, e que se encaixa nos critérios do Regulamento Sanitário Internacional”, declarou. 

O Ministério da Saúde destacou, por meio de nota, que a doença é prioridade para a pasta, que faz constante monitoramento e analisa a todo momento a situação epidemiológica para definir orientações e ações de vigilância e resposta à doença no país. “Todas as medidas hoje anunciadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) já são realizadas pelo Brasil desde o início de julho de forma a realizar uma vigilância oportuna da doença”, diz o texto.

O órgão ressaltou também que, antes mesmo da confirmação de casos no Brasil, foi instalada “uma sala de situação para elaborar um plano de ação com o objetivo de estabelecer estados e municípios sobre a melhor forma de atender a população”. Ainda segundo o ministério, “testes para diagnóstico estão disponíveis para toda a população que se enquadre na definição de casos suspeitos para varíola dos macacos”.

No sábado (23), a pasta informou que articula com a OMS a aquisição da vacina contra a doença. Em nota, o Ministério da Saúde disse que as negociações estão sendo feitas de forma global com o fabricante para ampliar o acesso ao imunizante para os países com casos confirmados.

Números

No Brasil, o maior número de casos está em São Paulo, com 595 infecções confirmadas. No Rio de Janeiro, são 109 pessoas com a doença, em seguida estão: Minas Gerais (42), Distrito Federal (13), Paraná (19), Goiás (16), Bahia (3), Ceará (2), Rio Grande do Sul (3), Rio Grande do Norte (2), Espírito Santo (2), Pernambuco (3), Mato Grosso do Sul (1) e Santa Catarina (3).

O vírus

A varíola causada pelo vírus hMPXV (Human Monkeypox Virus, na sigla em inglês) provoca uma doença mais branda do que a varíola smallpox, que foi erradicada na década de 1980. 

Trata-se de uma doença viral rara transmitida pelo contato próximo com uma pessoa infectada e com lesões de pele. O contato pode ser por abraço, beijo, massagens ou relações sexuais. A doença também é transmitida por secreções respiratórias e pelo contato com objetos, tecidos (roupas, roupas de cama ou toalhas) e superfícies utilizadas pelo doente.

Não há tratamento específico, mas os quadros clínicos costumam ser leves, sendo necessários o cuidado e a observação das lesões. O maior risco de agravamento acontece, em geral, para pessoas imunossuprimidas com HIV/AIDS, leucemia, linfoma, metástase, transplantados, pessoas com doenças autoimunes, gestantes, lactantes e crianças com menos de 8 anos de idade.

Sintomas

Os primeiros sintomas podem ser febre, dor de cabeça, dores musculares e nas costas, linfonodos inchados, calafrios ou cansaço. De um a três dias após o início dos sintomas, as pessoas desenvolvem lesões de pele, geralmente na boca, pés, peito, rosto e ou regiões genitais.

Para a prevenção, deve-se evitar o contato próximo com a pessoa doente até que todas as feridas tenham cicatrizado, assim como com qualquer material que tenha sido usado pelo infectado. Também é importante a higienização das mãos, lavando-as com água e sabão ou utilizando álcool gel.

Agência Brasil

Rate this post
Anúncio


Saúde

Primeira-dama da Paraíba conhece Hospital da Mulher e destaca importância da obra na saúde da população feminina

Publicados

em

Fotos: José Marques/Secom-PB

A primeira-dama da Paraíba, Ana Maria Lins, conheceu, no fim da manhã desta sexta-feira (1°), em João Pessoa, a obra de construção do Hospital da Mulher. Localizada no bairro de Cruz das Armas, em João Pessoa, a unidade hospitalar suprirá uma lacuna existente há décadas na atenção à saúde da mulher no Estado, oferecendo obstetrícia e prevenção a outras doenças, com foco na oncologia — os investimentos são da ordem de R$ 120 milhões.

Durante a visita, juntamente com o governador em exercício Lucas Ribeiro, Ana Maria Lins ressaltou a importância do equipamento para as mulheres paraibanas, com atendimento de casos de alta complexidade, urgência e emergência, além  de ser uma maternidade, com um novo modelo de atenção ao parto, nascimento e à saúde da criança com a implementação de uma rede de atenção que garanta acesso, acolhimento e resolutividade, reduzindo, assim, a mortalidade materna e neonatal.

Anúncio


A primeira-dama do Estado comentou que a unidade atenderá as especialidades de obstetrícia, ginecologia, mastologia e irá disponibilizar um centro diagnóstico e de imagem de alta resolução, passando a cuidar da saúde integral da mulher em todos os ciclos da vida, tanto na assistência hospitalar como também na ambulatorial, com serviços de prevenção e orientação integrais. E que também serão oferecidos serviços de urgência e emergência 24h, serviço de referência ao Atendimento de Vítimas de Violência Sexual, com consultórios exclusivos por perfil da paciente e ambulatório de egressa do pré-natal de alto risco.

A segunda-dama Camila Mariz, que também participou da visita ao hospital externou sentimento de gratidão pela obra que será entregue em breve à população paraibana. “É muito gratificante estar neste time conduzido pelo governador João Azevêdo e por Lucas Ribeiro. O Hospital da Mulher será também o hospital da família, onde as mães da Paraíba vão ter toda a assistência na hora de dar à luz, seus bebês vão ter todo um acompanhamento. Além disso, a mulher paraibana vai ter acesso também à prevenção”, disse.

A superintendente da Suplan, Simone Guimarães, falou do caráter humano da obra. “É mais uma obra que foi pensada visando à humanização, principalmente porque se destina à população feminina, a nós mulheres. Particularmente, estou muito feliz por essa grande obra que nós, que fazemos o Governo da Paraíba, vamos ter o prazer de entregar muito em breve”, comentou.

A secretária de Estado da Mulher e Diversidade Humana, Lídia Moura, outra auxiliar presente na visita, externou alegria por uma obra destinada às mulheres. “Esse equipamento não fazia parte do plano de governo do governador João Azevêdo, mesmo assim ele está entregando para a população paraibana um equipamento tão importante, que representa algo muito valioso para nós, mulheres: o acolhimento. Fico muito feliz por, com o Hospital da Mulher, ser fortalecido  mais um direito da mulher, que é o acesso à saúde”, comentou.

Também participaram da visita às obras do Hospital da Mulher a secretária-executiva da Saúde, Renata Nóbrega; a senadora Daniella Ribeiro; o diretor-técnico da Suplan, Luiz Rabelo, entre outros auxiliares da gestão estadual e autoridades.

Atendimento humanizado — Com mais de 14 mil metros quadrados de área construída, o Hospital da Mulher será referência na saúde da população feminina da Paraíba e vem suprir uma lacuna histórica. Serão investidos mais de R$ 120 milhões, entre a construção do prédio e os equipamentos necessários para o funcionamento.

O grande objetivo da unidade é oferecer à mulher acesso a serviços qualificados, assim como demais níveis de atenção à saúde da mulher, com urgência e emergência — tudo em conformidade com o que está instituído na Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (MS/2004).

O Hospital da Mulher terá, ainda, ambulatório, banco de leite humano, centro de imagem, centro de parto normal, centro cirúrgico obstétrico, Unidade de Terapia Intensiva (adulto e neonatal), unidade de cuidado intermediário (adulto, convencional e canguru). Ao todo, são 203 leitos.

Secom

Rate this post
Anúncio


Continue lendo

Saúde

Opera Paraíba realiza 60 cirurgias pediátricas de otorrinolaringologia

Publicados

em

Foto: Arquivo/Secom-PB/ilustração

O Programa Opera Paraíba, iniciativa do Governo do Estado, para reduzir o tempo de espera por cirurgias eletivas e agilizar o atendimento da população, realizou 60 cirurgias pediátricas no Hospital de Clínicas de Campina Grande. A ação ocorreu nesse fim de semana (24 e 25). Os procedimentos incluíram desde a remoção de amígdalas e adenoides, até correções de problemas nasais. 

Entre as 60 crianças beneficiadas com esta edição do programa, está Geyslla de Souza, de 5 anos, da cidade de Aroeiras. Daiane de Souza Gomes, mãe da menina, conta que a filha tinha várias crises de garganta, por mês, e vivia no antibiótico e indo a hospitais. Agora, ela está confiante com o resultado da cirurgia e espera que filha leve uma vida normal como qualquer outra criança. “Eu espero uma qualidade de vida melhor, que ela possa desfrutar de muitas coisas geladas, como sorvete, picolé, que ela gosta muito”, comemora.

Anúncio


Para o diretor-geral do Hospital de Clínicas, Thyago Morais, o Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), vem fortalecendo o atendimento pediátrico para atender à demanda da população. “Recebemos as crianças com atividades com atenção especial para que não seja um processo traumático. Com as cirurgias, as crianças que antes não podiam brincar, agora podem ter uma infância tranquila”. 

Igor da Silva Costa , pai de Williany Thaynara, da cidade de Guarabira, conta que a filha vivia na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) tomando antibiótico por conta das crises. “Agora, ela vai ter mais liberdade, vai poder tomar um sorvete, vai ficar livre de tantos antibióticos”, conta o pai.

O Opera Paraíba é um programa do Governo do Estado que já atendeu mais de 90 mil pessoas com cirurgias de baixa, média e alta complexidade. Para ser atendido, o usuário deve procurar as Secretarias de Saúde de cada município ou fazer o cadastro acessando a página operaparaiba.pb.gov.br.

Secom

Rate this post
Anúncio


Continue lendo

Saúde

Governo da Paraíba avança na pactuação de parceria na gestão dos Hospitais Universitários

Publicados

em

Foto: Secom-PB

secretário de Saúde da Paraíba, Jhony Bezerra, participou, nessa quarta-feira (21), da reunião com a presidência do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems-PB), superintendências dos Hospitais Universitários da Paraíba (HU) e vice-presidência da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), para avançar nas tratativas da parceria do Governo do Estado nos contratos já vigentes com os municípios de João Pessoa, Campina Grande e Cajazeiras. O objetivo da pactuação é ampliar a oferta de serviços das unidades de saúde, melhorando a assistência da média e alta complexidade.

De acordo com o gestor, o Governo da Paraíba liberou R$ 30 milhões para investir nos Hospitais Universitários. Ele explica que o recurso está sendo pactuado com a Ebserh para ser utilizado na contratação de procedimentos e serviços nessas unidades, que não fazem parte dos contratos atuais com os municípios de João Pessoa, Campina Grande e Cajazeiras. Durante a agenda dessa quarta, foi discutido quais procedimentos podem ser pactuados pelo Estado.

Anúncio


“O Governo do Estado agora passará a ser um parceiro desses contratos de gestão que já existem. Dos R$ 30 milhões investidos, serão aportados R$ 6 milhões para o HU de Cajazeiras, R$ 12 milhões para o HU de Campina Grande e mais R$ 12 milhões para o HU de João Pessoa”, pontuou.

O vice-presidente da Ebserh, Daniel Beltrammi, frisou que esse é um passo importante para o Sistema Único de Saúde da Paraíba. “Respeitando as contratualizações existentes, vamos ter um suplemento estadual, por meio de uma interveniência, para que os Hospitais Universitários possam cuidar mais e melhor dos paraibanos e paraibanas”, destacou.

A agenda ocorreu na sede da SES, em João Pessoa. Para o próximo encontro, ficou encaminhada a definição dos procedimentos que poderão ser contratualizados pelo Governo da Paraíba. A previsão é que os contratos sejam assinados já em março.

Fonte: Secom-PB

Rate this post
Anúncio


Continue lendo
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas