Conecte-se conosco

Cidades

Estudantes do Campus de Lagoa Seca são premiados por trabalhos nas áreas de Entomologia e Fitopatologia

Publicados

em

Três estudantes do Campus II da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Lagoa Seca, foram premiados no 6º COBRADAN, evento técnico-científico que reuniu profissionais, professores, pesquisadores, estudantes e produtores rurais na discussão sobre o controle alternativo de insetos, doenças e plantas invasoras nos agroecossistemas, em uma promoção da Embrapa Algodão com a UEPB, no mês de abril.

O estudante Antonio Manoel da Silva Filho conquistou o segundo lugar na área de Entomologia e o quarto na área de Fitopatologia. A aluna Jéssica Karina da Silva Pachú obteve o terceiro e quinto lugares, em Entomologia, com dois trabalhos distintos. Já Adriana Noberto Pereira alcançou o terceiro lugar com trabalho na área de Fitopatologia.

A pesquisa “Hormesis induzida no predador Podisus nigrispinus Dallas (Heteroptera: pentatomidae) mediante o óleo essencial de Foeniculum vulgare Mill”, apresentada por Anotnio Manoel, estudou em laboratório possíveis efeitos horméticos em Podisus nigrispinus Dallas (Heteroptera: Pentatomidae), mediados pelo óleo essencial de erva-doce.

“Inibição do consumo foliar e do crescimento de Alabama argillacea Huebner (Lepidoptera: Noctuidae) mediante o óleo essencial de Foeniculum vulgare Mill”, apresentada por Jéssica Karina, trabalhou com compostos bio-ativos encontrados em óleos essenciais que ocasionam efeitos sub-letais em pragas agrícolas e objetivou determinar concentrações efetivas do óleo essencial de erva-doce que são capazes de inibir o consumo foliar em larvas do curuquerê do algodoeiro, e, por conseguinte a inibição do seu crescimento.

Outra pesquisa de Jéssica, “Atividade inseticida do óleo essencial de Foeniculum vulgare Mill em larvas de Alabama argillacea Huebner (Lepidopteria: noctuidae)”, procurou avaliar o potencial inseticida desse bio-produto na importante lagarta desfolhadora do algodoeiro Alabama argillacea Huebner (Lepidoptera: Noctuidae), em ensaio caracterizado através da pulverização.

Na área de Fitopatologia, Adriana Noberto apresentou o trabalho “Fungitoxidade de extratos vegetais sobre patógenos associados às sementes de pinhão-manso”, que teve como objetivo estudar o efeito de extratos vegetais de goiaba, mamona, melão de São Caetano, pinhão-manso e pitanga sobre o crescimento de patógenos associados às sementes de pinhão-manso.

O trabalho de Antonio Manoel na área de Fitopatologia, intitulado “Controle da mancha de alternaria em tangerina Dancy (Citrus tangerina) com extratos vegetais”, buscou avaliar o controle da mancha de alternaria por meio da aplicação de extratos vegetais. O experimento foi arranjado em delineamento inteiramente casualizado, com sete tratamentos e quatro repetições, concluindo que a utilização de extratos vegetais é uma potencial medida para o controle da mancha de alternaria em tangerina.

UEPB

Avalie esta postagem
Apoio
Comentários

Cidades

Fogueiras e fogos de artifício podem prejudicar a visão

Publicados

em

Os cuidados devem ser redobrados ao assistir os fogos de artifício.

A temporada de festas juninas traz, além de música caipira, comidas e bebidas típicas, muita fogueira e fogos de artifício. Não há quem não goste de apreciar os espetáculos pirotécnicos ou de se esquentar na beira da fogueira. No entanto, brincar com fogo exige cuidados para evitar acidentes graves, não só com queimaduras no corpo, como também na região dos olhos. As informações são do Portal Correio.

“A irritação por causa da fumaça pode desenvolver uma conjuntivite ou, em casos mais graves, uma ceratite”, explica o oftalmologista Hilton Medeiros (FOTO), da Clínica de Olhos Dr. João Eugênio. Segundo o médico, não é recomendado ficar muito próximo das fogueiras nem olhar fixamente para o fogo por longo tempo.

Os cuidados devem ser redobrados ao assistir os fogos de artifício, pois os fragmentos liberados durante as explosões podem perfurar o globo ocular, causando transtornos oculares ou comprometimento da visão. “Quando o dano ocorre nas pálpebras, pode haver deformidades sérias, com retração, perda de tecido e ressecamento, comprometendo a superfície ocular”, explica o especialista.

Casos mais graves

Mesmo queimaduras leves podem atingir a córnea e causar a diminuição da sua transparência, comprometendo seriamente a visão. Casos mais graves, com opacidade total da córnea, podem resultar em cegueira e, em algumas situações, é necessário fazer o transplante da córnea para restabelecer a visão.

Se a pólvora entrar em contato com os olhos, a orientação é lavar abundantemente com água corrente ou soro fisiológico sem esfregar. Não utilize colírio ou pomada por conta própria, muito menos coloque gelo no local afetado. Óculos de sol ou de grau e lentes de contato não protegem os olhos dos fogos de artifício, ao contrário, costumam agravar a situação.

Todos os casos que envolvem queimadura ocular precisam ser analisados e tratados por um especialista, pois a área é muito sensível e requer cuidados imediatos.

Fonte: Pbvale

Avalie esta postagem
Continue lendo

Cidades

Ótica Visão: Confira os lançamentos de óculos em Junho!

Publicados

em

Fotos: brejo.com

Confira os lançamentoa em óculos e armações na Ótica Visão. A Ótica Visão está no Centro de Guarabira e na cidade de Pilões.

Avalie esta postagem
Continue lendo

Cidades

SP Variedades está em ritmo de São João. Confira!

Publicados

em

Fotos: brejo.com

A loja SP Variedades em Guarabira está repleta de artigos para você brincar neste São João.

Confira os endereços das lojas:
Guarabira-PB: Av. Dom Pedro, II, 351, Centro – Fones: (83) 3271-1212 / 99111-4549;
Sapé-PB: Av. Comendador Renato Ribeiro Coutinho, 1285, Centro – Fone: (83) 3283-3952;
Esperança-PB: Rua Manoel Rodrigues de Oliveira, 98, Centro, fone: (83) 99628-3010
e no centro de Alagoa Grande – PB: (83) 3273-1715.

Confira nas fotos abaixo as novidades.

Avalie esta postagem
Continue lendo
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas