Conecte-se conosco

Esporte

MP não recebe laudos dos estádios e agenda audiência para a próxima semana

Publicados

em

O Ministério Público da Paraíba, através do Núcleo do Desporto e Defesa do Torcedor (Nudetor), promove, na próxima quarta-feira (3), uma audiência para discutir a situação dos estádios de futebol do Estado que serão utilizados no Campeonato Paraibano 2018, que começa no próximo dia 7 de janeiro. A audiência será realizada às 9h, no auditório da sede do MP-Procon, na Capital.

Segundo o coordenador do Nudetor e da Comissão a Comissão Permanente de Prevenção e Combate à Violência nos Estádios da Paraíba, procurador Valberto Lira, faltando apenas 10 dias para o início do campeonato, o Ministério Público ainda não recebeu os laudos de todos os estádios relacionados na tabela de jogos publicada no site da Federação Paraibana de Futebol. (Confira situação dos estádios abaixo). “A perspectiva, no momento, é do início do Campeonato com a realização dos jogos de portões fechados, quiçá, em outras rodadas e não só na primeira”, informa o coordenador.

Segundo Valberto Lira, na audiência será apresentada oportunidade aos gestores dos estádios assumirem compromisso de saneamento das irregularidades e, com relação aos estádios ‘Silvío Porto’, em Guarabira, e ‘Zé Cavalcante’, em Patos, verificar se foram sanadas as irregularidades, conforme Termos de Ajustamento de Conduta já assinados.

Valberto Lira destaca ainda que três clubes da Paraíba têm participação prevista na Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro das séries “C” e “D’ e também poderão ter jogos de portões fechados, segundo comunicação da Gerência de Segurança da CBF.

“Infelizmente, diante da nova legislação que modificou os laudos previstos no Estatuto do Torcedor, convoquei uma reunião, no início do mês de outubro, onde seriam explicadas as novas regras para a elaboração dos laudos, conforme a Portaria 290/2015 do Ministério dos Esportes, mas ninguém deu atenção. Agora que cada um assuma. A legislação mudou. Demos oportunidade. Ninguém se preocupou. Só lamento que o mais prejudicado é o torcedor paraibano que poderá ser privado de assistir seu clube jogar, sem que tenha dado causa à situação”, conclui Valberto Lira.

Situação dos estádios

Segundo o banco de dados do Núcleo do Desporto e de Defesa do Torcedor, do Ministério Público da Paraíba, a situação dos estádios é a seguinte:

1- Estádio ‘Alemidão’, em João Pessoa, encontra-se reprovado, pelo Laudo de Prevenção e Combate a Incêndio e Pânico, emitido pelo Corpo de Bombeiros Militar e “aprovado com restrição”, pelo Laudo de Segurança, emitido pela Polícia Militar e não foi apresentado ao MP o Laudo de Condições Sanitárias e de Higiene.

2- Estádio ‘Amigão’, em Campina Grande, encontra-se reprovado, pelo Laudo de Prevenção e Combate a Incêndio e Pânico, emitido pelo Corpo de Bombeiros Militar e “aprovado comrestrição”, pelo Laudo de Segurança, emitido pela Polícia Militar e não foi apresentado ao MP o Laudo de Condições Sanitárias e de Higiene.

3- Estádio ‘Marizão’, em Sousa, encontra-se “aprovado com restrição”, pelo Laudo de Prevenção e Combate a Incêndio e Pânico, emitido pelo Corpo de Bombeiros Militar e não foram apresentados ao MP o Laudo de Segurança e o Laudo de Condições Sanitárias e de Higiene.

4- Estádio ‘Perpetão’, em Cajazeiras, encontra-se reprovado, pelo Laudo de Prevenção e Combate a Incêndio e Pânico, emitido pelo Corpo de Bombeiros Militar e não foram apresentados ao MP o Laudo de Segurança e o Laudo de Condições Sanitárias e de Higiene.

5- Estádio ‘Zé Cavalcante’, em Patos, encontra-se “aprovado com restrição”, pelo Laudo de Prevenção e Combate a Incêndio e Pânico, emitido pelo Corpo de Bombeiros Militar e “ reprovado” pelo Laudo de Segurança e não foi apresentado ao MP o Laudo de Condições Sanitárias e de Higiene.

6- Estádio ‘Presidente Vargas’, em Campina Grande, encontra-se reprovado, pelo Laudo de Prevenção e Combate a Incêndio e Pânico, emitido pelo Corpo de Bombeiros Militar e não foram apresentados ao MP o Laudo de Segurança e o Laudo de Condições Sanitárias e de Higiene.

7- Estádio ‘Sílvio Porto’, em Guarabira, encontra-se “aprovado com restrição”, pelo Laudo de Prevenção e Combate a Incêndio e Pânico, emitido pelo Corpo de Bombeiros Militar, “reprovado” pelo Laudo de Segurança emitido pela Polícia Militar e o Laudo de Condições Sanitárias e de Higiene apresentado fora dos parâmetros e devolvido.

8- Estádio ‘Graça’, em João Pessoa, não foram apresentados Laudo de Prevenção e Combate a Incêndio e Pânico, Laudo de Segurança e o Laudo de Condições Sanitárias e de Higiene.

Assessoria/MPPB

Apoio

Esporte

Desportiva Guarabira reúne a imprensa para apresentar projeto, nesta terça

Publicados

em

A Desportiva Guarabira estará reunindo a imprensa da região para participar de um café da manhã nesta terça-feira (9). Na ocasião, a direção vai apresentar aos profissionais da mídia o projeto do Azulão do Brejo para o ano de 2019 e as perspectivas para o futuro do clube.

A representação guarabirense estará participando de duas competições, simultaneamente, neste segundo semestre: o Campeonato Paraibano da Segunda Divisão e o Campeonato Paraibano Sub-19.

O evento com a imprensa será realizado a partir das 8h, no Victor’s Center Hotel.

Confira o convite abaixo:

Do Plugados

Continue lendo

Esporte

Policial do 4º BPM vence mais uma corrida de rua

Publicados

em

O soldado Edinaldo, da Ciclopatrulha do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar), subiu mais uma vez ao pódio ao ficar em primeiro lugar na categoria Militar do Circuito Sesc de Corridas/Corrida da Infantaria, que aconteceu nesse domingo (26), na praia de Cabo Branco, em João Pessoa. O policial concluiu o percurso de 10km em 37’35”, vencendo a sua categoria, e na classificação geral ficou em 8º lugar.

O Circuito Sesc de Corridas/Corrida da Infantaria foi organizado pelo Sesc, por iniciativa da Fecomércio Paraíba e do 15º Batalhão de Infantaria Motorizado. O soldado Edinaldo, que faz parte da equipe Militares Runners PB, tem participado de corridas em várias cidades paraibanas e conquistado excelentes resultados.

Com Ascom/4ºBPM

Continue lendo

Cidades

STJD arquiva as ações de Auto Esporte e Desportiva Guarabira

Publicados

em

Pleno do Superior Tribunal entende que ações possuíam problemas de ordem processual e, por maioria de votos, optou pelo arquivamento em julgamento realizado na quinta-feira.

Por maioria de votos – 4 a 3 -, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) arquivou nesta quinta-feira os processos do Auto Esporte e da Desportiva Guarabira, que pediam os rebaixamentos de Botafogo-PB e Campinense no Campeonato Paraibano. Além dos descensos de Belo e Raposa, os clubes autores das ações queriam ser incluídos no estadual deste ano, que já está em andamento. A maioria dos auditores do STJD, no entanto, entendeu que havia problemas de ordem processual nas ações, e o caso foi mesmo arquivado.

A tese defendida pelos departamentos jurídicos de Auto Esporte e Desportiva Guarabira, que foram os dois times rebaixados no Campeonato Paraibano do ano passado, é de que seus clubes foram os maiores prejudicados por conta de um esquema de corrupção no futebol do estado, que supostamente envolvia dirigentes e árbitros paraibanos.

Por conta das investigações e dos relatórios da Polícia Civil e do Ministério Público da Paraíba, dois dirigentes – de Botafogo-PB e Campinense – e nove árbitros foram banidos do futebol. E, na análise dos advogados de Auto e Desportiva, essas condenações são a prova de que Belo e Raposa cometeram atos ilícitos graves e que, portanto, merecem ser punidos com o rebaixamento.

Ademais, em se considerando que o Alvinegro de João Pessoa e o Rubro-Negro de Campina Grande fossem punidos com a queda para a 2ª divisão, as suas duas vagas seriam ocupadas justamente por Auto e Desportiva. Na verdade, além de assumir esses dois postos, os clubes queriam também a anulação da edição 2018 do Campeonato Paraibano, que teve o Botafogo-PB como campeão.

Ex-presidente do Auto Esporte e advogado do clube nesse caso, Watteau Rodrigues argumentou que os valores pagos aos clubes em decorrência das classificações no Campeonato Paraibano do ano passado também deveriam ser devolvidos.

– O Campeonato Paraibano era classificatório para a Copa do Brasil, Copa do Nordeste, Série D e com a distribuição das cotas dos primeiros colocados que vão receber R$ 4 milhões em uma competição fraudada. Na denúncia consta o organograma feito pelo Ministério Público mostrando como atuava essa organização criminosa. Queremos que seja restabelecida a Justiça – defendeu Watteau.

Quem também participou do julgamento foi Osvaldo Sestário, advogado do Botafogo-PB. Ele alegou que já se passou muito tempo desde a consumação do estadual de 2018 e foi taxativo sobre a impossibilidade de se tomar como verdade a manipulação dos resultados dos jogos da competição.

– Não existem provas de contaminação de resultados – cravou.

O procurador-geral do STJD, Felipe Bevilacqua, concordou com o advogado do Belo sobre o pedido de Auto Esporte e Desportiva Guarabira estar sendo feito fora de hora e sugeriu que o caso fosse mesmo encerrado.

– Tudo que foi colocado pelo advogado dos clubes não respeita prazos, não vem revestida de provas e não está amoldada no artigo que diz respeito – resumiu.

A partir daí, começaram os votos. A relatora dos processos, Arlete Mesquita entendeu que o pedido dos clube estava sim dentro do prazo e que deveria ser julgado, mas admitiu que não havia elementos suficientes para acatar a solicitação. E ela foi seguida pelo auditor Otávio Noronha e pelo presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho, totalizando assim os três votos em favor de o pleito de Auto e Desportiva ir a julgamento.

Mas o auditor do STJD, Ronaldo Piacente, entendeu que o pedido dos clubes estava fora do prazo e sem subsídios suficientes. Três auditores – João Bosco, José Perdiz e Vanderson Maçullo – o seguiram nesse entendimento, e, com esses quatro votos, o caso foi mesmo dado por encerrado.

Fonte: GloboEsporte

 

Continue lendo

Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas