Conecte-se conosco

Saúde

Boletim Epidemiológico apresenta crescimento nos casos de sífilis congênita

Publicados

em

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou, nesta terça-feira (19), o Boletim Epidemiológico da Sífilis. O documento evidencia o crescimento nos casos de sífilis congênita, apresenta a taxa de detecção da bactéria e como ela está circulando na Paraíba em 2021. No mês dedicado ao combate da sífilis, o órgão alerta a população sobre os cuidados e prevenção da infecção.  

De acordo com o boletim, até o mês de agosto de 2021, a Paraíba apresentou uma taxa de detecção de 17,2 casos/100 habitantes de sífilis adquirida. Isto reflete uma queda nas notificações com relação aos anos anteriores. Para a chefe do Núcleo de IST/AIDS da SES, Joanna Ramalho, esta redução ainda é reflexo da pandemia. 

“Entendemos que a queda na notificação de casos se deve ao acesso da população para realizar os exames de sífilis durante o período da pandemia. Os serviços priorizaram o atendimento à covid e deixaram de realizar teste rápido nos usuários”, pontua. 

Sobre a sífilis em gestante, o boletim informa que até agosto a Paraíba apresentou uma tendência de crescimento. Este ano, a taxa de detecção de sífilis em gestante por 1.000 nascidos vivos foi de 17.8. Joanna Ramalho reforça que, quando a infecção é diagnosticada no período gravídico, é preciso intensificar as ações voltadas para qualificação do cuidado com essa gestante para evitar a transmissão para o bebê. 

O documento também apresenta os dados da sífilis congênita, em que a taxa de incidência se comportou de forma ascendente em 50% das regiões com relação aos anos anteriores. Este ano, a Paraíba apresentou uma taxa de 9.0 por 1.000 nascidos vivos. A chefe do Núcleo de IST/Aids explica que a sífilis congênita é um agravo prevenível, porém continua sendo um desafio para a saúde pública. 

“A precocidade no diagnóstico da sífilis em gestante é fundamental para o tratamento oportuno e redução da sífilis congênita”, afirma. 

O boletim epidemiológico traz ainda recomendações aos municípios com relação ao tratamento e uso de penicilina, fortalecimento de ações de testagem e do pré-natal para detecção precoce. O documento está disponível no link: https://paraiba.pb.gov.br/diretas/saude/arquivos-1/vigilancia-em-saude/boletim-sifilis-2021-final.pdf.

Secom-PB

Rate this post

Saúde

Confira onde se vacinar contra a COVID-19 em Guarabira, neste mês

Nas UBSs a vacinação segue, a partir de 1º de dezembro, uma nova programação estipulada pela Coordenação de Epidemiologia e Imunização.

Publicados

em

Foto: Codecom/PMG

A Prefeitura de Guarabira através da sua Secretaria Municipal de Saúde segue com a Campanha de Vacinação Contra a COVID-19; aplicando a primeira dose para adolescentes 12+ e para adultos 18+. E, ainda, a segunda dose para quem estar concluído o esquema vacinal e a dose de reforço para profissionais de saúde, imunossuprimidos e, atualmente, para adultos 18+. Observando que o período para tomar a DR foi antecipado de 6 para 5 meses, após a aplicação da D2, conforme atualização do Ministério da Saúde.

VACINAÇÃO NA SECRETARIA DE SAÚDE

No auditório da sede da Secretaria a primeira dose da vacina permanece sendo direcionada para adolescentes de 12 a 17 anos e para adultos (remanescentes) de 18 a 59 anos; bem como a dose de reforço para profissionais de saúde. A atividade ocorre de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 11h.

VACINAÇÃO NAS UBSs

Nas UBSs a vacinação segue, a partir do dia 1º de dezembro, uma nova programação estipulada pela Coordenação de Epidemiologia e Imunização da SMS, onde estão sendo aplicadas a segunda dose para quem está concluindo o esquema vacinal e a dose de reforço para adultos 18+ e imunossuprimidos. A referida ação nas unidades básicas ocorre das 8h às 14h30, de acordo com o cronograma.

“Esse mês, para as UBSs, fizemos o cronograma por vacina, para evitar desperdício de doses. A Pfizer (reforço de idosos e segunda dose) estará disponível de segunda a sexta, CoronaVac: segunda, quarta e quinta, e AstraZeneca: segunda, terça, quarta e quinta.”, informou a coordenadora de epidemiologia e imunização, Elicácia Cunha.

Confira o novo cronograma de vacinação contra covid-19 nas UBSs:

Codecom

Rate this post
Continue lendo

Saúde

Saúde de Guarabira encaminha mais pacientes para tratamento de glaucoma em clínica da Capital

Publicados

em

No sábado, 27/11, a Prefeitura de Guarabira através da Secretaria de Saúde – encaminhou mais pacientes que fazem acompanhamento de tratamento de glaucoma, para a realização de exames no CENOFT (Centro Oftalmológico Tarcísio Dias) em João Pessoa. Desta vez, 8 pessoas foram contempladas com o benefício.

A importante ação é executada pela secretária de Saúde Harlanne Herculano, e conta com a sensibilidade do prefeito Marcus Diôgo, que dar todo o aval para que os serviços sejam realizados em prol da saúde das pessoas que mais precisam.

Além do tratamento oftalmológico ofertado gratuitamente, o transporte também é disponibilizado de forma franca pela Prefeitura, com apoio da sua Coordenadoria de Transporte.

Codecom

Rate this post
Continue lendo

Saúde

Principal resposta contra Ômicron é vacinação, diz ministro

Cuidado da vigilância em saúde no país permanece o mesmo.

Publicados

em

©Tomaz Silva/Agência Brasil

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta segunda-feira (29) que a principal resposta contra a variante Ômicron é a vacinação. “Esse contrato assinado com a farmacêutica Pfizer é a prova cabal da programação do Ministério da Saúde para enfrentar não só essa variante Ômicron como as outras que já criaram tanto problema para nós”, completou.  

Em Salvador, ele afirmou que o cuidado da vigilância em saúde no país permanece o mesmo adotado desde o começo da pandemia. “É uma variante de preocupação, mas não é uma variante de desespero porque temos um sistema de saúde capaz de nos dar as respostas no caso de uma variante dessa ter uma letalidade um pouco maior. Ninguém sabe ainda”.

Réveillon e carnaval

Questionado sobre a retomada de festas de réveillon e carnaval, Queiroga lembrou que o tema não é pauta do ministério e que a definição é feita pelos municípios. “Esse é um momento de vigilância, de observar o que vai acontecer em função dessa nova variante que foi descrita. O Ministério de Saúde está vigilante, preparado para essa emergência e para outras que possam surgir”.

Dose de reforço

Mesmo diante da identificação da Ômicron, o ministro descartou, pelo menos por enquanto, a possibilidade de reduzir o intervalo de cinco meses exigido atualmente pela pasta para a aplicação da dose de reforço da vacina contra a covid-19. A exigência, segundo ele, permanece a mesma.

“Ainda não há evidência na ciência pra isso. Não se pode querer uma ciência self-service. Pra umas coisas, se quer evidência científica de nível A. Pra outras, não tem nenhuma evidência, só opinião de um secretário municipal. Não pode ser assim. A partir de cinco meses, já pode ser aplicada a dose de reforço naqueles com mais de 18 anos.”

OMS

Queiroga disse ainda que conversou ontem (28) com o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, sobre os possíveis impactos da nova variante no cenário brasileiro. “Estamos trabalhando com a perspectiva de, no Brasil, com a situação epidemiológica mais controlada, não deixarmos ter retrocesso em relação ao que já conseguimos”.

Rate this post
Continue lendo
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas