Variedades

Como cumprir em 2018 as promessas feitas na virada do ano

Perder peso, se exercitar mais, parar de fumar, aprender uma língua – tão comum quanto fazer as tais resoluções de Ano-novo é descumpri-las conforme os meses passam.

Mas será que temos mais chances de sucesso com algumas promessas do que com outras? O serviço de checagem de fatos e dados da BBC decidiu investigar o assunto.

Há evidências que os humanos são guiados pela aversão à perda – isso é, somos mais motivados a nos recuperar das perdas do que somos para ganhar.

Enquadrar uma resolução como sendo para recuperar algo perdido – um antigo hobby ou um nível anterior de ginástica – pode ser mais efetivo que procurar ganhar uma habilidade ou aparência, por exemplo.

Isso também leva a outra peça-chave de orientação quando se trata de resoluções bem-sucedidas – elas precisam ser realistas.

Envolver outras pessoas

John Michael, filósofo da Universidade de Warwick, estuda os fatores sociais envolvidos em fazer e manter compromissos.

Ele diz que nós temos mais disposição em manter as resoluções se as enxergamos como algo importante para outras pessoas – esse “bem-estar da vida dos outros está em jogo” se a gente falhar.

O efeito poderia ser ainda mais forte se você tiver que pagar adiantado – uma vez que sentimos que alguém investiu tempo e dinheiro em alguma coisa, somos mais capazes de ver nosso esforço.

Dr Michael está atualmente testando sua teoria de que nós somos mais motivados a prevenir a perda para outras pessoas do que para nós mesmos.

Evidências anteriores desse trabalho sugerem que as pessoas podem ficar mais motivadas a continuar uma tarefa difícil ou chata quando alguém mais investiu esforço nisso.

Sugestões específicas

A reputação também é um forte motivador. Tornar públicas suas resoluções pode ajudá-lo a mantê-las.

“Não queremos uma reputação pouco confiável, então anunciar publicamente nossos planos pode ser motivante. Apostar pode ser ainda mais motivador”, diz o professor Nevil Levy da Universidade de Oxford.

Getty Images Cinzeiro com bitucas de cigarro Para muitas das decisões, oomo parar de fumar, por exemplo, a força de vontade sozinha não adianta 1

Fazer resoluções detalhadas é importante também, ele acrescenta.

“Dizer: ‘eu vou à academia na terça à tarde e aos domingos de manhã’ terá provavelmente mais sucesso do que simplesmente dizer ‘vou mais à academia’, diz o professor Levy.

Se você quer aprender uma língua, você pode primeiro resolver escutar um podcast de aprendizado quando for para o trabalho todo dia.

Para melhorar suas chances de sucesso, vale colocar um lembrete no espelho do banheiro ou no volante do seu carro para lembrá-lo de escutar o podcast, por exemplo. Você não está apenas expressando uma intenção, mas também ajeitando as coisas para implementá-la.

Exceções

Ele também alerta sobre o potencial para “decisões se tornarem precedentes”. Reconhecemos que há exceções (por exemplo, “não vou para a academia se estou gripado”) que podem nos desviar das resoluções. Mas é preciso estar atento à possibilidade de que essas excepcionalidades se tornem circunstâncias corriqueiras a ponto de impedir o cumprimento da promessa.

“Meu aniversário pode ser uma legítima exceção que acontece uma vez ao ano. Mas se eu começar a reconhecer como excepcionais coisas que ocorrem com mais frequência – é a última semana do mês, melhor começar na primeira; ou está muito frio para sair da cama tão cedo – então tudo tende a ser tornar uma exceção”, diz o professor Levy.

Planos a longo prazo

Para a doutora Anne Swinbourne, psicóloga comportamental na Universidade James Cook, na Austrália, as melhores resoluções são aquelas que constituem uma parte de um plano de longo prazo que você tem para si, em vez daqueles que são vagos e aspiracionais.

Se você nunca demonstrou interesse em esporte, decidir virar um atleta brilhante é difícil – resolver poupar dinheiro porque você sempre sonhou em viajar o mundo antes dos 50 pode ser mais exitoso.

E mantê-las é tudo uma questão de planejamento, ela diz.

Descubra quais são os estímulos que funcionam melhor para você, tanto para o comportamento negativo que você quer evitar quanto para o comportamento positivo que você quer encorajar. Não se sabote: se você quer beber menos, planeje encontrar os amigos em um café e não no bar.

“As pessoas que só confiam na força de vontade acabam falhando”, diz a doutora Swinbourne. “Para manter uma resolução você tem que ser um meticuloso planejador”.

BBC Brasil




Mais Lidas

Topo