Conecte-se conosco

Cidades

Igreja anuncia ordenação de novos padres em Guarabira

A Diocese de Guarabira, confirmou para terça-feira, 04/08, às 19h, dia de S. João Maria Vianney, patrono dos sacerdotes

Publicados

em

Foto: Ilustração

A Diocese de Guarabira, na pessoa do bispo diocesano, dom Aldemiro Sena dos Santos, confirmou para terça-feira, 04 de agosto, às 19h, dia de São João Maria Vianney, patrono dos sacerdotes, a ordenação presbiteral de quatro novos padres, depois de devidamente formados em Filosofia e Teologia, e o cumprimento do estágio pastoral, dos seguintes diáconos transitórios:

  • Rinaldo da Costa Fernandes
  • Felipe José Xavier da Silva
  • Hítalo Sidney Nascimento Aquino
  • Damião Edmilson Gonçalves 

Em razão dos protocolos sanitários, em face da presente da pandemia da covid-19, a cerimônia será aberta a participação do Conselho Presbiteral e aos  Párocos/Administradores Paroquiais das Paróquias onde os candidatos estão realizando
seu estágio pastoral. Os candidatos poderão estar levando 10 pessoas, cada um.

A vida de São João Maria Vianney

“Se soubéssemos bem o que é um padre na terra, morreríamos: não de medo, mas de amor”. A vida de São João Maria Vianney pode ser resumida neste pensamento.

Também conhecido como “Cura d’Ars”, João Maria Vianney nasceu em 8 de maio de 1786, em Dardilly, próximo de Lyon. Seus pais eram camponeses e, desde pequeno, o encaminham ao trabalho da lavoura, tanto que, aos 17 anos, João ainda era analfabeto.
No entanto, graças aos ensinamentos maternos, conseguiu aprender muitas orações de cor e viveu uma forte religiosidade.

“Queria conquistar muitas almas”!

Na época, sopravam ventos de Revolução na França. Por isso, João Maria Vianney frequentou o sacramento da confissão em casa, não na igreja, graças a um sacerdote “refratário”, que não havia jurado fidelidade aos revolucionários. A mesma coisa aconteceu com a sua Primeira Comunhão, recebida em um celeiro, durante uma Missa “clandestina”.

Aos 17 anos, João sentiu-se chamado ao sacerdócio. “Se eu fosse padre, queria conquistar muitas almas”, disse ele. Mas, não era fácil atingir esta meta, por causa dos seus poucos conhecimentos culturais. Mas, graças à ajuda de sacerdotes sábios, entre os quais o Abbé Balley, pároco de Écully, recebeu a ordenação sacerdotal, em 13 de agosto de 1815, com a idade de 29 anos.

Longas horas no confessionário

Três anos depois da sua ordenação, em 1818, João foi enviado para Ars, uma pequena aldeia no sudeste da França, que contava 230 habitantes. Ali, dedicou todas as suas energias ao cuidado pastoral dos fiéis: fundou o Instituto da “Providência” para acolher órfãos; visitava os enfermos e as famílias mais necessitadas; restaurou a igrejinha e organizou quermesses na festa do padroeiro.

Entretanto, o Santo Cura d’Ars destacou-se na sua missão de administrar o sacramento da Confissão: sempre pronto a ouvir e oferecer o perdão aos fiéis, passava até 16 horas por dia no confessionário. Diariamente, uma multidão de penitentes de todas as partes da França vinha confessar-se com ele, tanto que a cidadezinha de Ars ficou conhecida como o “grande hospital das almas”. O próprio João Maria Vianney vigiava e jejuava para ajudar os fiéis a expiarem os pecados.

Certo dia, disse a um seu coirmão: “Vou dizer-lhe qual é a minha receita: dou aos pecadores uma pequena penitência e o resto eu faço no lugar deles”.

Patrono dos párocos

Após ter-se dedicado totalmente a Deus e aos seus paroquianos, João Maria Vianney faleceu no dia 4 de agosto de 1859, com 73 anos de idade. Seus restos mortais descansam em Ars, no Santuário a ele consagrado, que recebe a visita de cerca de 450 mil peregrinos por ano.

João Maria Vianney foi beatificado em 1905, pelo Papa Pio X, e canonizado em 1925, pelo Papa Pio XI, que o proclamou, em 1929, “padroeiro dos párocos do mundo”.
Em 1959, por ocasião do centenário da sua morte, São João XXIII dedicou-lhe a encíclica

“Sacerdotii Nostri Primordia”, apresentando- como um modelo dos sacerdotes.
Em 2009, pelo seu 150° aniversário de morte, Bento XVI propôs um “Ano Sacerdotal”, para “favorecer e promover uma maior renovação interior de todos os sacerdotes e um testemunho evangélico mais forte e mais incisivo no mundo contemporâneo”.

Fonte: Diocese de Guarabira

Cidades

Estudantes com Fies podem suspender pagamentos até o fim da pandemia

Publicados

em

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Estudantes que têm contratos do Financiamento Estudantil (Fies) por meio do Banco do Brasil (BB) ou da Caixa Econômica Federal poderão requerer a suspensão do pagamento enquanto durar a vigência do estado de calamidade pública decretado por causa da pandemia da covid-19. A medida vale para clientes em situação de inadimplência com seus contratos, antes do dia 20 de março, data em que foi aprovado o estado de calamidade pública no país, pelo Congresso Nacional. Os estudantes que estão em situação de inadimplência também poderão suspender as parcelas, desde que as amortizações devidas até 20 de março sejam de no máximo 180 dias. As parcelas em atraso antes da pandemia não serão suspensas.

As novas condições foram atualizadas pela Resolução nº 39, de 27 de julho, expedida pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão do Ministério da Educação (MEC) que concede financiamento a estudantes para a educação em cursos superiores de instituições de ensino particulares. A resolução anterior já permitia a suspensão do financiamento, mas limitado a quatro parcelas e autorizado para os alunos que estivessem em dia com os pagamentos. Segundo o FNDE, pouco mais de 151 mil estudantes do Fies aderiram ao programa de suspensão do pagamento das parcelas. Com as novas regras, cerca de 1,5 milhão de alunos do Fies, do total de 2,8 milhões que estão no programa, são elegíveis para a suspensão temporária do pagamento. 

As prestações que forem pausadas serão incorporadas ao saldo devedor do financiamento, nos termos e condições contratados, incidindo juros contratuais sobre as parcelas suspensas e não juros de mora, ou multa por atraso. Os pagamentos das parcelas de amortização e das demais obrigações financeiras com o Fies devem ser retomados a partir do mês seguinte ao término da suspensão. De acordo com o FNDE, a suspensão vale para os pagamentos de contratos em fase de utilização, carência ou amortização.

Banco do Brasil

A adesão ao programa de suspensão do pagamento do Fies já está disponível no Banco do Brasil, e pode ser feito diretamente nas agências bancárias e via aplicativo do banco na internet, mas neste segundo caso, apenas a partir da primeira quinzena de outubro. Segundo o BB, a manifestação é feita de forma simples, sendo necessária apenas a concordância do estudante acerca das alterações contratuais, no momento da solicitação da suspensão. Após a formalização da proposta, a suspensão não poderá ser cancelada.

Para quem optar por procurar o atendimento presencial, o BB informa também que, durante a pandemia, as agências atendem em contingenciamento e triagem para o acesso às salas de autoatendimento, com a autorização de acesso limitada à capacidade do espaço disponível em cada unidade.

Caixa Econômica Federal

Para o estudante que possui contrato do Fies com a Caixa Econômica Federal, a nova regra de suspensão dos pagamentos ainda não está disponível, mas o banco esclarece que ela será feita de forma retroativa, sem prejuízo ao beneficiário. O banco divulgará quando o serviço estiver disponível, o que deve ocorrer em algumas semanas. 

Fonte: Agência Brasil

Continue lendo

Cidades

65 vagas de emprego oferecidas no Sine de Campina Grande a partir desta quinta (24)

Publicados

em

O Sistema Nacional de Empregos de Campina Grande (Sine-CG) oferece a partir desta quinta-feira (24) um total de 65 vagas de trabalho para diverso cargos, disponíveis para a cidade. Há oportunidades para pessoas com deficiência e para trabalhadores com e sem experiência na carteira de trabalho.

Para se inscrever, os candidatos devem apresentar carteira de identidade, CPF, carteira de trabalho e currículo atualizado. O atendimento entre 8h e 12h na sede do Sine Municipal, localizado no Museu Vivo da Ciência e Tecnologia, localizado na rua Santa Clara, s/n, próximo ao Terminal de Integração, no entorno do Açude Novo.

Mais informações sobre as vagas podem ser obtidas no local. Confira as oportunidades abaixo:

Vagas de emprego em Campina Grande

Número de vagasCargo oferecidoExperiência
1Auxiliar de microcrédito (para a cidade de Queimadas)6 meses na CTPS
1Mecânico automóvel6 meses na CTPS
2Auxiliar de limpeza (para pessoas com deficiência)6 meses na CTPS
1Auxiliar de manutenção predial6 meses na CTPS
1Auxiliar técnico de mecânica e elétrica6 meses na CTPS
1Babá6 meses na CTPS + carta de referência
1Chapeiro6 meses na CTPS
1Cozinheiro do serviço doméstico6 meses na CTPS
1Soldador6 meses na CTPS
1Eletrotécnico6 meses na CTPS
1Empregada doméstica6 meses na CTPS
20Auxiliar de linha de produção6 meses na CTPS
1Marceneiro6 meses na CTPS
2Marceneiro6 meses na CTPS
2Motorista rodo trem6 meses na CTPS
2Mecânico de automóvel a diesel6 meses na CTPS
1Mecânico de bicicletas6 meses na CTPS
4Montador de móveis de MDF e inox (chapa)6 meses na CTPS
1Montador de móveis de madeira6 meses na CTPS
1Pintor de estruturas metálicas6 meses na CTPS
5Vendedor pracista6 meses na CTPS
1Pastaleiro6 meses na CTPS
1Torneiro mecânicoCom ou sem experiência, mas com curso
1Costureira de máquinas industriais6 meses na CTPS
1Costureira em geralExperiência na área
1Instalador de sistemas de alarme6 meses na CTPS ou sem experiência comprovada na carteira
1Mecânico preparador de máquinas para panificaçãoCom e sem experiência na CTPS
1Inspetor de qualidade6 meses na CTPS
2Vendedor pracista6 meses na CTPS
1Operador de máquina copiadoraSem experiência na CTPS
1Churrasqueiro6 meses na CTPS
1Forneiro de padaria6 meses na CTPS
1Auxiliar de faturamento6 meses na CTPS
1Chefe de depósito/encarregado de depósito6 meses na CTPS

Fonte: G1 PB

Continue lendo

Cidades

TSE atualiza aplicativo Pardal, que recebe denúncias sobre eleições

Publicados

em

Foto: José Cruz/Agência Brasil

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) atualizou o aplicativo Pardal, criado para receber denúncias de irregularidades em campanhas eleitorais. O aplicativo existe desde 2014, vem sendo atualizado ao longo do tempo e agora possibilita um detalhamento maior da denúncia apresentada.

A ideia é facilitar o trabalho de apuração por parte dos tribunais regionais eleitorais (TREs) e do Ministério Público Eleitoral, que podem contar com os cidadãos para atuar como fiscais e ajudar a combater a corrupção no processo eleitoral.

Com a atualização do aplicativo, além da foto da denúncia, o usuário deverá enviar um relatório demonstrando qual a irregularidade a ser apurada. Quando as denúncias tratarem de outro tema que não seja a propaganda eleitoral, o aplicativo vai oferecer o contato da ouvidoria do Ministério Público de cada localidade. O aplicativo vai disponibilizar um link específico para que as denúncias sejam enviadas ao Ministério Público Eleitoral de cada unidade da Federação.

“Havia uma enorme gama de denúncias que não conseguiam ser apuradas a contento para reunir provas e elementos materiais, como testemunhas, fotos, vídeos e tudo o que pode comprovar a irregularidade”, explicou Sandro Vieira, juiz auxiliar da presidência do TSE.

A nova versão do Pardal estará disponível a partir deste domingo (27).

Fonte: Agência Brasil

Continue lendo
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas