Conecte-se conosco

Educação

CCJ da Câmara aprova projeto que proíbe venda de refrigerantes em escolas

Publicados

em

Um projeto de lei que pretende proibir a venda de refrigerantes nas escolas do ensino fundamental, do 1° ao 9° ano, foi aprovado pela Comissão de Constituição e de Justiça da Câmara (CCJ) nesta terça-feira (8). Com isso, o texto está pronto para ser votado no plenário da Cãmara dos Deputados. Se aprovado, será encaminhado ao Senado.

De autoria do deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG), primeiro vice-presidente da Câmara, o texto contra a venda de refrigerantes em escolas recebeu parecer favorável do relator, Luiz Couto (PT-BA), e foi aprovado pelos membros da CCJ .

A proposta, segundo o relator,  vem em bom momento, “tendo em vista os riscos relacionados ao excesso de consumo de bebidas açucaradas e o aumento dos casos de sobrepeso e de obesidade”.

O relator afirmou ainda que a lei que trata da alimentação escolar estabelece que a merenda deve seguir princípios de alimentação saudável e adequada.

Obesidade infantil – Na justificativa do projeto, Fábio Ramalho afirma que obesidade infantil vem crescendo e, com ela, crescem também as preocupações dos pais em fazerem com que seus filhos percam peso e evitem danos à saúde dentro e fora das escolas .

“Um dos grandes vilões da obesidade infantil é o consumo indiscriminado de alimentos de alto teor energético e pouco nutritivos. Estudos demonstram que uma das maiores fontes de gordura e açúcar na dieta infantil vem dos lanches escolares, que cada vez mais se reduzem a alimentos industrializados e pouco saudáveis, quando não nocivos à saúde,” diz.

 

Em outro trecho da justificativa, o deputado afirmou também que a obesidade infantil vem acompanhada, em muitos casos, de múltiplas complicações como o diabetes, o aumento dos níveis de colesterol no sangue, a hipertensão arterial e outros problemas cardiovasculares. Segundo o texto, a obesidade já atinge cerca de 10% das crianças brasileiras e os refrigerantes, que os pequenos tanto adoram, são os grandes vilões.

Fonte: iG

Educação

“Máquina de livros” visita cidades do país para estimular leitura

Publicados

em

Inovando como biblioteca, van do projeto troca livros de forma lúdica.

A mágica acontece diante dos pequenos olhos de Catarina Costa, 6 anos. Livros já lidos são transformados em outros, a partir do momento em que ela insere uma obra em uma “máquina de livros”. A experiência chamou a atenção da menina, que já sabe o alfabeto e está aprendendo a juntar as letras. Agora, a vontade de aprender a formar palavras e, a partir disso, mergulhar no universo das histórias aumentou. “Vou ler todos”, disse, segurando nas mãos as obras que ganhou hoje.

Catarina é uma das brasilienses que, até amanhã (21), podem trocar livros no projeto Incrível Máquina de Livros. A van transformada em atrativo lúdico permite o depósito e a entrega imediata dos livros, chamando a atenção de quem passa pela Biblioteca Nacional pelas cores e luzes que ostenta. Organizador da iniciativa, Ricardo Martins conta que o objetivo é incentivar a cultura e, indo além da cultura digital e da dependência de tablets e smartphones, “tirar um pouquinho desse mundo tecnológico e tentar resgatar a paixão pela leitura através do livro físico”.

A inovação tem um objetivo: fazer do encontro com os livros parte do cotidiano. “A gente tentou fugir também de feiras convencionais, onde os livros ficam expostos. [Aqui] é uma forma lúdica, interativa, voltada para as pessoas que estão nas ruas, totalmente gratuita, para que elas possam vir trocar seus livros”, informa Martins. Para participar, é simples: basta trazer para troca livros de literatura em bom estado de conservação.

Da máquina, saem capas coloridas, obras ilustradas, literatura de todos os tipos. E ainda é possível escolher entre obras para crianças ou para pessoas mais velhas. Com 12 anos, Isadora Costa se diz apaixonada por livros desde os 8 anos. “Meu pai sempre gostou muito de ler e tinha livros em casa, aí ele me emprestou e disse que, se eu gostasse, poderia pegar outro. Aí adorei, peguei mais; adorei, peguei mais. Aí comecei a amar os livros a partir daí. Todo dia eu leio um pouquinho, não importa qual o livro”, conta.

Van “Máquina de livros” faz troca de livros no Museu da República, em Brasília. Da máquina, saem capas coloridas, obras ilustradas, literatura de todos os tipos. É possível escolher entre obras para crianças ou para pessoas mais velhas.

O projeto é da Infinito Cultural e iniciada em São Paulo, no ano passado, com “o maior sucesso”, segundo Martins. A partir de então, com o apoio do Ministério da Cultura, os organizadores projetaram a expansão da iniciativa. A mesma van que promove a “mágica” leva a equipe de três pessoas para diferentes cidades do país. Brasília é a décima visitada por eles. A expectativa é de que sejam atendidas, ao todo, 21 cidades de 13 estados, perfazendo mais de 16 mil quilômetros rodados.

Depois do Distrito Federal, o projeto segue para Porto Alegre, Florianópolis, Blumenau (SC), Curitiba, Londrina (PR), São Paulo, Guarulhos (SP), Campinas (SP), Barueri (SP), São Bernardo do Campo (SP) e Ribeirão Preto (SP). A lista das cidades que serão visitadas e mais informações podem ser conferidas no perfil do projeto em rede social: https://www.facebook.com/incrivelmaquinadelivros/.

Agência Brasil

Continue lendo

Educação

Resultado do Sisu pode ser consultado pela internet

Publicados

em

O Ministério da Educação (MEC) liberou o resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Nesta edição, o programa oferece 57.271 vagas em 68 instituições públicas de ensino superior em todo o país. O resultado pode ser consultado na página do programa na internet.

Os estudantes selecionados deverão fazer a matrícula nas instituições de ensino entre 22 e 28 de junho. Aqueles que não foram selecionados poderão participar da lista de espera que estará aberta de 22 a 27 de junho. A convocação dos candidatos em lista de espera será de 3 de julho a 21 de agosto.

As vagas foram oferecidas em oito instituições públicas estaduais, uma faculdade pública municipal e 59 instituições públicas federais, com dois centros de Educação Tecnológica, 27 institutos federais de Educação, Ciência e Tecnologia e 30 universidades.

Agência Brasil

Continue lendo

Cidades

Raniery Paulino adverte: Crise na UEPB pode fechar campus na Paraíba

Publicados

em

Após discutir problemática da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) em Guarabira, Raniery Paulino voltou a discutir sobre a situação financeira e administrativa da UEPB, durante audiência pública ocorrida, na sexta-feira no Plenário da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP).

O parlamentar vem manifestando sua preocupação com a real situação e cobra dos seus pares na ALPB um engajamento na defesa da UEPB “Tenho dever de ofício como representante do povo, defender o fortalecimento da universidade estadual, irei convidar os 36 parlamentares da Assembleia Legislativa a se unirem, independente de partido ou bancada para defender a autonomia da UEPB”. Defendeu Raniery.

Raniery, ainda falou sobre a expansão da UEPB “Sou a favor da volta da lei 7643/2004 que dá autonomia para UEPB, e isso concretizando, a instituição volta a expandir trazendo benefícios ao povo paraibano.” Finalizou Raniery

Na oportunidade, o Reitor Rangel Júnior defendeu também autonomia da instituição “Estamos em busca de apoio para que a universidade possa usufruir de uma lei de autonomia financeira e administrativa, bem como da autonomia didática pedagógica. Estamos lutando, há muito tempo, pela estabilidade da UEPB,” enfatizou o professor.

Fundada em 15 de março de 1966, a UEPB tem hoje 52 cursos de graduação, 20 programas de pós-graduação, 21 mil estudantes, 1.320 professores, dos quais 500 são doutores. A instituição possui 8 campus, nas cidades de João Pessoa, Campina Grande, Guarabira, Lagoa Seca, Catolé do Rocha, Monteiro, Araruna e Patos.

Confira o projeto de lei7643/2004 :

(http://sites.uem.br/autonomia/arquivos/a-lei-de-autonomia-da-ufpb-descomplicada/view)

Continue lendo

Redes Sociais

Twitter Brejo.com Youtube Brejo.com Orkut Brejo.com Facebook Brejo.com

Mais Lidas