Conecte-se conosco

Educação

Sessão especial discute com professores e alunos novas alternativas de ensino na Paraíba

Publicados

em

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, nesta terça-feira (30), uma sessão especial para debater as novas alternativas em educação na Paraíba. A sessão, proposta pelo deputado Chió (REDE), aconteceu no Plenário José Mariz, e também comemorou o Dia Mundial da Educação, celebrado em 28 de abril. O evento aconteceu no Plenário Deputado José Mariz e contou com a presença de prefeitos, professores, diretores e gestores da educação na Paraíba.

Com o intuito de apresentar ao Parlamento paraibano e à população novas formas de fazer educação na Paraíba, o deputado Chió lembrou que é no Poder Legislativo que nascem os projetos, que se transformam em Leis e trazem benefícios ao povo paraibano. “Com esse evento, a gente quer mostrar que existem outras formas de educação na Paraíba e este estado precisa conhecer. A ideia é compartilhar”, declarou Chió.

O parlamentar destacou que as técnicas desenvolvidas nas mais variadas escolas da Paraíba precisam ser trazidas à Assembleia. “Aqui na Casa são elaboradas as leis e os marcos regulatórios. A educação precisa inovar, mudar e ter uma nova pauta. A Assembleia Legislativa é o local ideal para que a gente possa estar captando novas técnicas de trabalho para a educação. Queremos compartilhar conhecimento. Nós ouvimos todos os representantes presentes na sessão e a ideia é buscar soluções para a melhoria do setor”, declarou o deputado.

Para a deputada Pollyana Dutra, é fundamental que o parlamento, eleito pelo povo, ouça e discuta novas técnicas da educação, para que desta forma novas leis sejam elaboradas. “Estar junto com a população e os representantes dos setores é de extrema importância, pois não há como deixar que tudo seja decidido apenas pelo Executivo. O mundo mudou e a educação tem que se adaptar a essas transformações. Tem que dinamizar, e essa dinâmica tem que passar pelo parlamento”, afirmou.

Educação, na opinião o deputado Raniery Paulino, é um tema de extrema relevância e precisa ser debatido constantemente. O parlamentar lembrou que as novas alternativas de ensino devem se adequar inclusive à inclusão social. “Tenho trabalhado com educação inclusiva, especificamente para crianças que têm síndrome de down, autismo. O momento é de somar esforços”, opinou Raniery.

Trazer à ALPB os profissionais que atuam na área da educação, de acordo com o deputado Eduardo Carneiro, é tratar da política mais importante do mundo. Segundo ele, é preciso apresentar novas alternativas para lidar com uma geração que não mais se sente atraída pelo modelo tradicional de ensino. “São novas alternativas para que estas crianças de hoje, amanhã se tornem cidadãos que possam trabalhar na área que se identifiquem. Acredito que debater educação é, acima de tudo, um grande aprendizado”, disse o deputado. Eduardo Carneiro acrescentou ainda que trazer à Casa do Povo instrutores, professores e alunos de várias regiões do estado ajuda a dar sequência ao trabalho do parlamentar na elaboração de encaminhamentos para o tema.

A deputada Camila Toscano disse que é ouvindo a população, suas idéias e reivindicações, que o parlamento pode conhecer melhor as demandas e as inovações. Desta forma, segundo ela, é possível trazer temas de relevância para o Legislativo. “Nós fazemos um papel importante na Casa, que é o de conviver com a sociedade e evoluir com ela. Precisamos acompanhar essa nova era, essa nova geração. Temos que buscar alternativas para atrair nossas crianças para a escola no sentindo de querer participar. Aqui é um lugar bacana para realizar esse debate e construir ideias e pensamentos para fazer uma nova Paraíba”, disse.

Os presentes na sessão assistiram ainda a uma palestra da professora Leila Coelho, gestora da Escola Nossa Senhora do Carmo, na zona rural de Bananeiras, e membro do Núcleo de Educação Transformadora da Paraíba. A palestrante apresentou uma nova metodologia de ensino que foi implantada na escola e que, segundo ela, foge do tradicional, aonde toda a didática é colocada de forma vertical, ou seja, partindo do professor para o aluno. A idéia implantada na escola, de acordo com a gestora, é construída a partir do interesse do aluno.

“Na era que a gente vive, esse modelo conhecido como ‘bancário’, como Paulo Freire coloca, não atende mais as reais necessidades do educando de hoje. A gente precisa parar, olhar e perguntar para o educando o que eles querem. Hoje, a gente vem mostrar que essa experiência na Paraíba está sendo reconhecida e alcançando resultados”, ressaltou. A Escola Nossa Senhora do Carmo, de acordo com Leila Coelho, excluiu o modelo de séries no ano de 2015 e desde então atua sem provas e com todas as crianças integradas.

Participaram da sessão especial os deputados Cabo Gilberto, Tovar Correia Lima, João Henrique; os prefeitos Olivânio Dantas, do município de Picuí; e André Alves, do município de Remígio; o secretário de Educação Alexandre Rufino, da cidade de Remígio; o representante da classe estudantil, Humberto Balbino, da Escola Integral José Bronzeado Sobrinho; e o gerente executivo da Secretaria de Estado da Educação, Ciências e Tecnologia, professor Robson Ferreira.

Assessoria/ALPB

 

Cidades

IFPB prorroga suspensão das atividades presenciais até 30 de setembro

Decisão foi referendada pelo Colégio de Dirigentes da instituição

Publicados

em

As atividades didático-pedagógicas presenciais do Instituto Federal da Paraíba estão suspensas até o dia 30 de setembro. A decisão foi referendada na última reunião do Colégio de Dirigentes da instituição ocorrida no dia 28 de agosto. A medida colabora com o isolamento social e se torna eficaz para evitar a disseminação do novo coronavírus no país.

O IFPB faz o acompanhamento sistemático do cenário da pandemia e analisa junto com o comitê de crise as medidas a serem tomadas em relação ao enfrentamento do coronavírus. Sem aulas presenciais desde o dia 16 de março, o Instituto Federal vem prorrogando a suspensão das atividades presenciais para proteger a saúde de sua comunidade, sempre lastreado pelas informações e orientações científicas advindas das autoridades sanitárias e da Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Reafirmamos nosso compromisso com a vida humana, a segurança e a saúde pública. Nós só retornaremos as atividades presenciais, quando tivermos certeza de que a nossa comunidade estará devidamente protegida” disse o reitor Nicácio Lopes.

Nesta segunda-feira (31) os campi Esperança, Patos, Cabedelo, Cabedelo-Centro, Mangabeira, Campina Grande, Guarabira, Soledade e Itabaiana iniciaram as aulas no formato não presencial. 

Outras dez unidades já vêm ofertando aulas para os estudantes no formato on-line. No dia 04 de setembro será a vez do Campus Princesa Isabel iniciar esse tipo de oferta e no dia 08 de setembro o campus João Pessoa, totalizando 21 Campi. Os servidores técnico-administrativos continuam com suas atividades em home-office.

Via ClickPB

Continue lendo

Educação

UEPB lança editais com 800 bolsas para auxílio a estudantes sem acesso à internet ou equipamentos

O Auxílio Conectividade oferta 500 vagas na modalidade “Acesso à internet em caráter emergencial”, e 300 vagas na modalidade “Aquisição de equipamento”

Publicados

em

A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) lançou novos editais do Programa Auxílio Conectividade, ofertado pela Instituição aos estudantes regularmente matriculados em componentes curriculares e/ou atividades acadêmicas que estão sendo ofertadas de forma não presencial, devido à pandemia.

O segundo edital do Auxílio Conectividade está ofertando 500 vagas na modalidade “Acesso à internet em caráter emergencial”, que concede bolsa mensal no valor de R$ 100,00 para aquisição de serviço de internet enquanto durarem as atividades regulamentadas pela Resolução UEPB/Consepe/0229/2020; e 300 vagas na modalidade “Aquisição de equipamento”, que concede bolsa em cota única, no valor de R$ 1 mil, para aquisição de equipamento adequado ao acompanhamento das aulas remotas.

As inscrições estão abertas até as 23h59 do dia 17 de agosto, por meio de formulário eletrônico disponível no endereço https://cpcon.uepb.edu.br/form… . Para receber o Auxílio Conectividade, é necessário que o aluno declare não possuir acesso à internet e/ou equipamento de qualidade para o desenvolvimento das atividades não presenciais, além de possuir renda per capita menor ou igual a R$ 785,77 (média da renda per capita da Região Nordeste, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE).

Mais de um estudante da mesma família poderá ser contemplado pelo auxílio, que pode ser cumulativo com outras modalidades de auxílio, bolsas ou programas de ensino, pesquisa e extensão.

Conforme o cronograma dos editais, o resultado preliminar dos alunos selecionados para o Auxílio Conectividade será divulgado no dia 21 de agosto. Aqueles que não foram contemplados e desejarem apresentar recurso, poderão realizar o procedimento de 21 a 24 de agosto, mediante envio de documento, conforme modelo disponibilizado no site da Pró Reitoria Estudantil (Proest), para o e-mail [email protected] O resultado final será divulgado no dia 28 de agosto.

Outras informações sobre o Auxílio Conectividade podem ser obtidas junto à Proest, pelo telefone (83) 9 8753-8757 ou através do e-mail [email protected]

ClickPB

Continue lendo

Educação

IFPB aprova atividades não presenciais e início de aulas à distância em agosto

Publicados

em

O Conselho Superior do Instituto Federal da Paraíba (IFPB) aprovou a realização de atividades não presenciais na instituição, numa decisão que deve durar o tempo que permanecer o contexto da pandemia de coronavírus. Assim, segundo estimativas do próprio Instituto, as aulas em alguns campi devem ser iniciadas na segunda quinzena de agosto, dentro do “plano de retomada” que foi definido.

Segundo o diretor de Educação Profissional do IFPB, Degmar dos Anjos, os diferentes campi vão ter autonomia para tomar as próprias ações, de forma que algumas aulas deverão ser retomadas antes das outras.

Os próximos 15 dias serão obrigatoriamente de “planejamento interno”, a partir daí acontecerá uma segunda fase do processo, de ambientação dos professores e dos estudantes para as novas plataformas. Findada esta fase, as atividades serão iniciadas.

Na reunião do Conselho Superior, realizada na noite da segunda-feira (27), foram aprovados dois processos, sendo que um tratava dos procedimentos para o desenvolvimento e registro de atividades de ensino não presenciais e o outro direcionado para regulamentar as fases de implementação destas atividades. Os dois foram aprovados por maioria de votos, mas com a discordância do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Básica, Profissional e Tecnológica da Paraíba (Sintef-PB).

O sindicato alegava que, antes de iniciar as atividades virtuais, era necessário como pré-condição a publicação e a execução de editais de auxílio inclusão digital para os estudantes do IFPB.

O reitor Nicácio Lopes, no entanto, argumentou que já são 160 dias com atividades acadêmicas suspensas para justificar a adoção temporária das atividades à distância. E que não aprovará o retorno das atividades presenciais enquanto tiver vidas ameaçadas, restando a adaptação para o ensino remoto como solução momentânea. “O plano está estruturado de modo flexível e com retroalimentação para avaliações”, ressaltou.

Fonte: G1PB

Continue lendo
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio
Apoio

Mais Lidas